Stoa :: Vagner Peixoto Alencar :: Blog ::

outubro 08, 2012

default user icon

ESCOLA DE ARTES, CIÊNCIAS e HUMANIDADES

Curso: Gestão de Políticas Públicas

Disciplina: Introdução ao Estudo das Políticas Públicas

Docente: Wagner Pralon Mancuso

Discente: Vagner Peixoto Alencar

 

Resenha de texto

Em “Distribuição, Regulação, Redistribuição: As funções do Governo”, tradução de André Villalobos, do texto de T. Lowi, tratando-se de como são vistas as políticas governamentais, sendo as chamadas de distributivas por trazerem, nas palavras do autor, as seguintes características: facilidade de ser desagregada e seus recursos, dispensando qualquer critério mais geral e universalista, sendo sinônimos de políticas clientelísticas e patronalistas, onde os favorecido e os não-favorecidos, os beneficiados e os não-beneficiados nunca precisam entrar em confronto direto, tendo por teoria “geral” a elaboração e implementação das conclusões de E.E. Schattschneider, tendo estrutura “pluralista” devido uma multiplicidade de participantes, mas por uma política individualista, tanto pessoas quanto firmas são individualmente, esta além dos grupos de pressão. O seguinte exemplo do autor ilustra bem tal política: uma dotação de um bilhão de dólares para ser desagregada entre inúmeros itens de pequeno custo e independentes, sendo inevitável a multiplicidade de interesses e possibilidades de acesso, tendo como conseqüência a redução de conflitos. A estrutura de tal política é o que Schattschneider chama “não-interferência mútua”, onde para cada um é buscam seus benefícios e favores, mas não atrapalhem outras pessoas com mesmos interesses em troca de seu há uma multiplicidade de lados tanto quanto forem os itens tarifários, as pontes, os diques

 

As política regulatórias  

            As políticas redistributivas são assim chamas porque quem mais recebe são os que menos ou nada contribuiu, como, por exemplo, nos programas sociais, onde os beneficiados serão aposentados ou desempregados, envolvendo amplas categorias de indivíduos e atingem categorias do tipo classes sociais ou algo próximo disso, isto é, ricos e pobres, grandes e pequenos relacionados a ter ou não ter propriedades. O papel do congresso nestes casos tem sido mais de mediador e ratificados das interações entre executivos governamentais, líderes empresariais e trabalhistas ou outros grupos mais quando envolve a determinação das alíquotas ou estabelecimentos de isenções. São políticas bastante estáveis, pois, como citado no texto, só existem dois lados grupos “fornecedores de dinheiro “ e grupos demandantes de serviços”

Este post é Domínio Público.

Postado por Vagner Peixoto Alencar

Você deve entrar no sistema para escrever um comentário.

Termo de Responsabilidade

Todo o conteúdo desta página é de inteira responsabilidade do usuário. O Stoa, assim como a Universidade de São Paulo, não necessariamente corroboram as opiniões aqui contidas.