Stoa :: Universidade de São Paulo - USP :: Blog

Setembro 10, 2007

user icon

peço licença para deixar aqui o aviso: 

ASSEMBLÉIA GERAL DOS ESTUDANTES DA USP 

DIA 13 DE SETEMBRO, QUINTA-FEIRA, ÀS 18 HS 

NO PRÉDIO DE HISTÓRIA E GEOGRAFIA 

  (o local está sujeito a possíveis alterações)

Postado por Priscila Frohmut Fonseca em Universidade de São Paulo - USP | 2 comentários

Junho 21, 2007

user icon

[Update 22/6 : Leiam os comentários, onde a Virgínia, bibliotecária do IF, explica melhor o acordo entre o CRUESP e o Safaribooks (joint venture de duas editoras: O'Reilly e Pearson). A USP assina atualmente somente 267 livros. Para ver quais são os livros assinados, se loga no sistema (verifique se tem "Universidade de Sao Paulo" na canto superior direito da tela) e faça uma busca sem termos de busca com "My Bookshelf" selecionado.]

Recebi este email da nosssa biblioteca:

Está disponível através do CRUESP o acesso ao Safari Books Online da empresa proquest. São mais de 300 títulos sobre TI e informática dos melhores autores e editores, liberados na integra à toda comunidade USP.

URL de acesso http://proquest.safaribooksonline.com

São milhares de livros (não 300), inclusive as mais recentes publicações. Vai ser muito útil para quem é da área de tecnologia de informação e comunicação. Alias, talvez aqui é uma boa hora lembrar da receita do Renato (agora não lembro onde ele documentou) para navegar o Internet de casa como se fosse de dentro da USP (acesso a este serviço, como às revistas é restrito para computadores com IP da USP). A receita funcione se você tiver uma conta de shell numa máquina da USP.

  1. Na sua casa, entrar seu servidor da USP com ssh -D 12345
  2. Configurar o FireFox para se conectar ao internet via um "proxy": Preferences/Advanced/Network/Connection Settings, Abilitar Manual Proxy configuration, settar SOCKS Host para "localhost" e porta "12345" (esta porta é somente um exemplo, pode usar qualquer um > 1024 e não usado)
  3. Pesquisar o que é um socks proxy
Como faria para Internet Explorer? Usuários de windows podem usar o Putty para inciarar uma sessão de ssh, como fariam para usar o port forwarding?

Palavras-chave: livros, port forwarding, putty, safari, ssh

Postado por Ewout ter Haar em Universidade de São Paulo - USP | 1 usuário votou. 1 voto | 9 comentários

Junho 03, 2007

user icon

Assembléia Geral dos estudantes da USP

já está marcada

dia 5 de junho de 2007, terça-feira, ás 18hs

local a confirmar, provavelmente será em frente à Reitoria (informem-se)

Postado por Priscila Frohmut Fonseca em Universidade de São Paulo - USP | 0 comentário

Abril 28, 2007

user icon

Se por um lado a vigilância da USP afirma que 

se o ciclista se identificar como aluno da USP ele pode andar em qualquer local do campus Butantã.

(O Everton ligou a vigilância da USP e este foi a resposta, veja http://stoa.usp.br/usp/weblog/2302.html#cmt1587) e por outro lado tem estas placas de trânsito na Rua do Matão 

Rua do Matão sem bike 

então a dúvida que surge é: vivemos num regime de direito, ou vale a lei do homem? Este é um caso trivial e não vale a pena fazer um grande caso disso. Mas é um questão de cultura, desrespeito das regras em favor de julgamentos individuais se repetem em todos os níveis. "Dar um jeitinho", abuso de poder, a possibilidade de uma lei "não pegar", Coronelismo, Caudilhismo, são todos exemplos de deixar a lei dos homens prevalecer sobre o regime de direito. É claro que em muitas situações é preferível deixar margem para julgamentos individuais, por pessoas capacitados como juízes, em vez de engessar tudo por leis rígidas. Mas uma vez que a Lei existe, não tem que respeitar?

Isso me lembra de uma crônica de João Ubaldo Ribeiro gozando de um velhinho alemão que xingou ele porque tinha estacionado numa vaga de deficiente físico (ou algo assim, não me lembro bem). O escrito deixou transparacer que achou engraçado e meio esquisito este preocupação moralista dos alemães. Tenho um monte de coisas contra os alemães, mas este aparente rigidez no respeito das regras também leva ao respeito para os direitos dos mais fracos e faz parte da construção de um pais "civilizado". 

Postado por Ewout ter Haar em Universidade de São Paulo - USP | 2 usuários votaram. 2 votos | 3 comentários

Fevereiro 27, 2007

user icon

Amanhã, quarta, 28/02, acontecerão vários eventos, palestras, oficinas com o tema da Calourada 2007: Combate às opressões. Com o lema "Todas as caras, todas as cores!" a programação e atividades estão sendo preparadas pelo DCE (Diretório Central dos/as Estudantes) e pelos Centros Acadêmicos.

Confira a programação completa em www.dceusp.cjb.net

Palavras-chave: 2007, bixete, bixo, calourada, calouro, dce, mágico, programação, quarta, recepção, show, teatro, unificada, usp

Postado por Alexandre Piero em Universidade de São Paulo - USP | 1 comentário

Fevereiro 23, 2007

user icon
PM reage a "guerra de ovos' em São Paulo; mulher morre
KLEBER TOMAZ
da Folha de S.Paulo
Uma brincadeira de crianças com ovos, no último dia de Carnaval em uma favela de São Paulo, acabou resultando na morte de uma jovem de 24 anos que assistia à festa da sacada da casa que dividia com a tia. Tudo porque policiais ficaram irritados quando ovos atingiram veículos da Polícia Militar que circulavam pela zona oeste da cidade.

Durante a confusão, após um dos policiais atirar para o alto, uma bala perdida acertou a garota. Ela foi atingida na cabeça.

A auxiliar de cozinha Maria Cícera Santos Portela, a Cicinha, estava no segundo andar do sobrado no número 552 da avenida São Remo, no bairro de mesmo nome, no Jaguaré. Foi levada com vida para o hospital, mas não resistiu ao ferimento.

"Eles já chegaram atirando. Minha filha saiu da confusão, mas o policial atirou para cima, onde ela estava. Depois rodou a arma no dedo. Ele quis acertá-la e ainda se recusou a socorrê-la", afirma Maria Aparecida dos Santos, 41, mãe da vítima.

Segundo ela, o PM que matou sua filha é o soldado José Álvaro Pereira da Silva, 38, da 5ª Companhia do 16º Batalhão da Polícia Militar.

Fiança

Após ser reconhecido por testemunhas, ele foi preso em flagrante e indiciado no 93º Distrito por homicídio culposo (sem intenção de matar).

Em sua defesa, Silva admitiu à Polícia Civil ter feito dois disparos --moradores afirmam ter ouvido cinco--, mas negou que tenham atingido alguém. Mesmo assim, pagou fiança de R$ 300 e foi solto.

Silva e três PMs tinham ido ao local, por volta das 16h de anteontem, conforme o comando do 16º BPM, para atender a suposta ocorrência de desordem e arrastão na favela.

Seus superiores classificaram a ação como "precipitada". Aguardam, porém, o resultado da perícia que será feita nas armas apreendidas dos quatro PMs para depois definir a punição para cada um.

"Tudo leva a crer que o Álvaro foi o responsável pelos disparos", afirmou o tenente-coronel Wanderley Medeiros, comandante do 16º BPM. A PM diz investigar também se outras pessoas fizeram disparos.

Preventivamente, todos foram afastados das ruas até que sejam concluídos os inquéritos das polícias Civil e Militar, que poderão determinar a expulsão deles da corporação.

Os quatro continuarão trabalhando em serviços administrativos. Segundo a assessoria de imprensa da PM, o nome dos outros não seriam divulgados.

Revolta

Após o episódio, a comunidade da favela protestou com cartazes e faixas na frente do 16º BPM, pedindo justiça. O mesmo ocorreu ontem no enterro da vítima, no cemitério São Luís, em Santo Amaro (zona sul). Os moradores fretaram dois ônibus para o velório. No caixão, colocaram uma faixa com a frase: "Cicinha, sempre vamos te amar".

Maria Cícera era de Alagoas e estava em São Paulo havia cinco anos. O pai mora em Pernambuco.

Filha única e solteira, dividia com a tia um sobrado numa rua sem asfalto e com esgoto a céu aberto. Era auxiliar de cozinha na Faculdade de Educação da USP, no Butantã.

"Eu era a mãe e o pai dela", disse Maria Aparecida. "Ela era uma pessoa sorridente, alegre e bastante prestativa."

Outro lado

O policial militar acusado de ter matado a jovem disse ter atirado para o alto por segurança, informou o tenente-coronel Wanderley Medeiros, comandante do 16º BPM.

"Ele falou que efetuou os disparos para se proteger e que não teriam atingido ninguém, mas isso quem vai dizer são as provas periciais", afirmou.

Duas cápsulas de armas usadas pela PM foram coletadas no local pela perícia científica para análise.

José Álvaro Pereira da Silva afirmou a seus superiores ter feito dois disparos --um para dispersar o tumulto e outro para impedir que as pessoas (400, segundo ele) arremessassem ovos e pedras nos dois veículos policiais.

Mesmo assim, Medeiros condenou a ação do soldado --o mais experiente do grupo, há 19 anos na PM.

Palavras-chave: nnpp, violência policial

Postado por Eliezer Muniz dos Santos em Universidade de São Paulo - USP | 2 comentários

Janeiro 25, 2007

user icon

A partir deste ano, o bilhete único de estudante será realmente único, ou seja, nada mais de passes de trem ou metrô. Você pode se cadastrar no site

http://www.usp.br/bolsascoseas/sptrans/sptrans/index_trans.php

e após alguns dias conferir no site da sptrans, pagar uma taxa e ir retirar o bilhete único. Não sei bem como isso vai funcionar: será que teremos direito a todo tipo de passe - ônibus, trem, metrô - ou só àqueles que a sptrans (ou a usp?) julgar necessários para chegar à USP?

Palavras-chave: bilhete único, coseas, passe escolar, sptrans

Esta mensagem está sob a licença CreativeCommons Atribuição.

Postado por Renato Mendes Coutinho em Universidade de São Paulo - USP | 0 comentário

Próxima >>