Stoa :: Universidade de São Paulo - USP :: Blog

novembro 03, 2012

user icon

Megafone.net é uma plataforma na Internet criada de uma idéia simplesmente interessante: possibilitar que comunidades criem canais de comunicação com o público no espaço digital. Através de telefones móveis, os celulares, aparelhados com recursos multi-mídias, a rede www.megafone.net vem interligando um conjunto de comunidades ao redor do mundo. As pessoas que participam do projeto encontram por meio do site uma maneira de defenderem suas comunidades diante da grande mídia, que muitas vezes criam uma imagem negativa destas não lhes dando a oportunidade de voz. Munidos então de celulares pelo criador do projeto, o artista plástico catalão, Antoni Abab, os grupos comunitários utilizam-os como forma de se expressarem e reivindicar seus direitos. O artista incentiva os participantes, emissores, formados dentro das comunidades, a usar a Internet à publicizar o seu dia-a-dia e seus interesses comunitários em canais na Web. Os grupos hoje formam uma grande rede de comunidades, interligadas e emanadas de uma vocação comunicativa.

Este post é Domínio Público.

Postado por Eliezer Muniz dos Santos | 0 comentário

outubro 14, 2012

user icon
Postado por Narumi Abe

Aqui vai uma receita prontinha para criar um herói:

  • Faça os veículos de massa repetirem exaustivamente que a pessoa desejada é um herói;
  • Faça a associação do incauto com outros heróis reais ou fictícios;
  • Heróis geralmente tiveram a vida humilde e são modestos. Explore a infância e faça comentários generosos o tempo todo;
  • Coloque entrevistas de pessoas famosas elogiando o futuro herói.

 

Joaquim Barbosa é um juiz assim como tantos outros juizes. Mas recentemente ganhou notoriedade pois assumiu a relatoria do polêmico caso do mensalão. Mês que vem irá assumir o cargo de presidente do STF. 

 

 

É normal que o juiz apareça nos noticiários, pois o caso mensalão foi um grande escândalo. Mas o que não é normal, é idolatrar um homem que não está fazendo mais do que sua obrigação. TODO juiz deve fazer o que a lei manda. Apesar de existir a chance de interpretações dúbias, no geral o trabalho de juiz consiste em seguir uma receita de bolo. Portanto, nenhum juiz deveria receber atenção especial. Pra que desenterrar o passado do dito cujo? Não me importa se ele teve a infância dura ou se foi um playboy. Pouco me importa se ele conseguiu crescer por meios próprios. Ele é um juiz, não é um ator do arquivo confidencial do Faustão.

Falando nisso, até a última vez que eu vi, quem deveria decidir o que é justo ou não é a justiça. Quando foi que o papel de julgar inocência ou culpa passou para a imprensa? Então a mídia já decidiu quem são os vilões da história? Decisões não condenatórias sempre são frutos de corrupção e injustiça? É claro que o povo se revolta quando tudo termina em pizza. Mas parabenizar um juiz por uma decisão simplesmente é absurdo. Isso acaba influenciando no veredito do juiz, afinal ele é apenas um homem sujeito a falhas e a vaidade. Inocente até que se prove o contrário, lembra?

Enquanto isso, caça as bruxas e panis et circenses continuam existindo. A imprensa que sofreu com a ditadura, deveria ter o papel informativo. Infelizmente, os militares se foram, mas o papel manipulativo só trocou de dono. 

Bom faça a sua parte e não compartilhe tudo o que vê no Facebook. ;)

 

 

 

Postado por Narumi Abe | 1 comentário

outubro 07, 2012

user icon

A hora H para São Paulo está próxima.

"Importantes intelectuais e artistas brasileiros receberam Fernando Haddad (PT) no dia 2 de outubro, para mostrar seu apoio ao candidato do PT na reta final do primeiro turno."

Palavras-chave: eleição, haddad, prefeitura

Postado por Antonio C. C. Guimarães | 1 comentário

setembro 24, 2012

user icon

Gostaria de declarar o meu voto (e indicar essa possibilidade para quem ainda não tem candidato) para vereador no Nabil Bonduki. Ele é professor da FAU-USP e tem uma história de serviço público para mostrar. Confira:


http://www.nabil.org.br/

http://www1.folha.uol.com.br/folha/especial/2008/eleicoes/vereadores/sp-sao_paulo-13633-3.shtml 

http://politica.estadao.com.br/eleicoes/candidatos/vereador-2012,sao-paulo,sp,nabil-bonduki,13633 

http://raquelrolnik.wordpress.com/2012/08/24/voce-conhece-nabil-bonduki-candidato-a-vereador-em-sao-paulo/ 

 

 

Palavras-chave: eleição, Nabil Bonduki, vereador

Postado por Antonio C. C. Guimarães | 0 comentário

setembro 13, 2012

user icon

setembro 07, 2012

user icon
Postado por Narumi Abe

 

Tudo começou com a banda Walk off the Earth fazendo um cover da música Somebody That I used To Know do cantor Gotye usando apenas um violão.

Aconteceu que o cover fez tanto sucesso que mereceu até uma paródia muito engraçada do Key of Awesome:

 

Postado por Narumi Abe | 0 comentário

agosto 30, 2012

user icon

Contra os idiotas

Somos todos prisioneiros, embora tenhamos penas diferentes ninguém escapa de suas celas. A vida cotidiana representa a clausura do indivíduo preso às futilidades cotidianas onde o homem torna-se espectador do mundo, refém das necessidades imediatas ditadas pela lógica das relações de produção e do consumo. Isso seria óbvio se não nascesse de um paradoxo, nunca fomos tão livres. Ocorre que a liberdade do indivíduo que caracteriza a modernidade traz em si um avanço ambíguo. Nela os indivíduos já não estão presos a laços sociais hierárquicos, a amarras religiosas ou morais; é inteiramente de cada indivíduo a responsabilidade de criar a si mesmo, o homem é o responsável por instituir ou validar os valores sob os quais pode e quer viver; mas isso é uma possibilidade que não se concretiza. Sabemos que o mundo não trás em si nenhum sentido e se nenhum valor é transcendente, universal ou divino, eles só podem ser estabelecidos na luta entre os homens, como arma e resultado de processos de dominação. O esfacelamento da moral cristã como denominador comum do mundo ocidental dá ao indivíduo a possibilidade de criar e recriar os valores sob os quais pretende viver mas isso exige uma racionalidade que é cada vez mais rara. 

O mundo exterior não é capaz de dar qualquer sentido objetivo a vida humana, portanto essa tarefa poderia e deveria ser obra para cada indivíduo, escolher seu deus ou demônio, escolher a que ordem seguir e a partir dessa escolha conduzir sua vida. Nesse sentido o homem é livre, ocorre que, na sua vida cotidiana irracional ele está cada vez mais condenado à escravidão. Essa condenação significa o cerceamento das possibilidades de escolhas individuais e da dotação de sentido da vida a uma existência cada vez mais atrelada às necessidades exteriores e aos meios de sobrevivência material. A sociedade moderna, o Estado e a economia capitalista formam uma teia que se torna mais rígida a cada dia, da qual não é mais possível escapar mas é possível resistir.O cotidiano, a vida rotineira e disciplinada, o mundo racionalizado do especialista sem espírito e do homem do prazer sem coração tiram do homem a única tarefa que lhe resta: a de dar sentido a sua vida e conduzi-la de acordo com suas escolhas racionais. Ocorre que a condução da vida depende da capacidade e da vontade de tomar posição de maneira consciente ante o mundo e dar-lhe um sentido. O nascimento da lucidez perante o mundo só é possível a partir da noção do absurdo da existência humana; contudo, o cotidiano foi naturalizado e o espanto ao morrer nos leva junto ao seu túmulo. Diante do absurso não podemos nem devemos procurar a origem do mundo, mas, dado que ele existe e tal qual ele se mostra, saber como se deve, ou se pode, conduzir a vida. Se o mundo é absurdo, se a existência humana é absurda, o que se pode tentar, no fim das contas, é a superação da rotina inflexível e constante, que ao mesmo tempo embala o cotidiano mas não é capaz de dar qualquer fundamento a existência humana. O homem, individualmente, só é capaz de ser dono do seu destino, ou pelo menos de conduzir sua vida quando ele encontra em si uma unidade. Unidade aqui significa escolher qual o critério sob o qual vai entender e agir sobre o mundo. Vivemos em labirintos e não temos ao menos um fio que nos ajude a sair deles, a racionalidade ao menos nos permite imaginar a vida fora dele e sonhar com a possibilidade ou capacidade do homem de tomar as rédeas de uma situação, colocar-se acima da ‘massa’, sair do rebanho e ir além.

Esta mensagem está sob a licença CreativeCommons Atribuição, Não-Comercial.

Postado por Ailton Laurentino Caris Fagundes | 1 comentário

agosto 27, 2012

user icon

O cadáver cordial  

 

Nelson Rodrigues está completando um século, mais vivo do que nunca o desgraçadinho. Cem anos despertando amores e ódios intensos e eternos. Parece que hoje o respiramos em todos os ares, mas nos perfumes sublimes e não nos odores mais fétidos.  Desde o dia em que foi descansar o corpo no Cemitério do Caju, o milagre se operou, aquele que era odiado por todas as bandas passou a ser amado até pelos inimigos. Ah essa nossa canalhice! Aquele que nunca foi complacente, que nunca poupou ninguém e que atirava em todas as direções deve estar odiando saber que chega aos cem se aproximando da unanimidade; poderia ser uma rara unanimidade, precisa, inapelável e eterna como o Juízo Final, mas não, parece ser apenas mais uma unanimidade burra; a burrice se aproximou dele para torná-lo unânime. Sinal dos tempos, aquele que foi odiado, rejeitado e vaiado pela esquerda e pela direita, por conservadores e liberais, por putas e freiras, agora parece ser o defunto de casaca com cara de mordomo, querem deixá-lo livre das provocações e polêmicas, querem matá-lo. O sujeito obsceno, machista, conservador, reacionário e autoritário morreu para dar lugar a outro, o cara das frases feitas jogadas ao vento, o cadáver tranquilo que já não provoca iras e rancor. Continue lendo

 

Parte do mundo em que tio Nelson viveu já não existe, embora tanto naquele quanto neste os idiotas dominem tudo e nos matem um pouco a cada dia, o que o torna atual é aquilo que os antigos chamavam de natureza humana ou a capacidade de percebê-la envolta no lodo, na lama inconfessa e encantada da alma, ele sabe que o que nos torna grandes e pequenos; o nosso ponto demasiado humano é nossa capacidade de viver a contradição, coerência é para os fracos! Quem observa os sentimentos humanos sabe que coerência só serve para satisfazer os gramáticos. Sua grandeza está nos desafios que nos impõe, no espanto diante do óbvio, na provocação, na imposição de uma leitura que tenta desvendar as lógicas presentes ou ausentes nas contradições da alma. Num país onde a palavra é medida e a desfaçatez é regra, tio Nelson se tornou o maior dramaturgo brasileiro por ser o grande cronista da vida cotidiana, por expor a vida como ela é. Se não escrevia sobre pessoas normais é por que sabia que elas não existem, por traz do drama e da comédia suas personagens são pessoas ridículas rodeadas por farsas, movidas por elementos sórdidos, atraídas pela morbidez. O reacionário e o profundamente libertário que conviviam nele despertavam ódios por devassar nossa intimidade e expor as fraturas do nosso caráter, se hoje já não choca é porque as pequenas fraturas se tornaram grandes e estão expostas como ossos em açougue. Tio Nelson, só os tuberculosos podem ser capazes de compreendê-lo. Meu cinismo me faz agradecer aos deuses pela falta de caráter, só aquele que teve o seu caráter corrompido no caminho da escola pode gostar de fato do tio Nelson; eu gosto.

Postado por Ailton Laurentino Caris Fagundes | 0 comentário

agosto 19, 2012

user icon
Postado por Ewout ter Haar

A instalação de um ambiente de trabalho mínimo para análise de dados usando ferramentas python, a partir de uma instalação nova de Ubuntu 12.04:

sudo apt-get install matplotlib build-essential python-dev libzmq-dev 
sudo apt-get install python-pip
sudo pip install ipython
sudo pip install pandas
sudo pip install tornado
sudo pip install pyzmq

A instalação com pip ao vez de apt-get é para ter acesso à versões mais novas das pacotes. Inicialmente, tinha feito a instalação de matplotlib usando pip e esta parou várias vezes, com erros do tipo

src/_png.cpp:10:20: fatal error: png.h: No such file or directory

Neste casos, uma busca no Google leva ao Stackoverflow que geralmente indica o pacote Debian/Ubuntu que está faltando, neste caso, libpng-devel. Consegui instalar, mas ao rodar ipython, estava usando o Agg backendo ao vez de TkAgg. Depois disto, resolvi instalar numpy e matplotlib via apt-get. Para pandas e ipython, porém, acho que vale a pena usar as últimas versões.

Para ver se tudo está funcionando, fiz

ipython notebook --pylab inline

e isto levante um FireFox com interface notebook do ipython.

Palavras-chave: dados, dataviz, ipython, matplotlib, pandas, python

Esta mensagem está sob a licença CreativeCommons Atribuição.

Postado por Ewout ter Haar | 0 comentário

agosto 06, 2012

user icon
Postado por Paulo Queiroz Neto
PV

Este post é Domínio Público.

Postado por Paulo Queiroz Neto | 0 comentário

julho 29, 2012

user icon

Postado por Luciana Santos

“Como a linguagem não é neutra, serve a quem faz uso dela, as perguntas também podem ser manipuladas. É da jornalista americana Cynthia Crossen o exemplo que segue: “um jovem monge foi advertido severamente por seu superior quando perguntou se poderia fumar enquanto rezava. Faça a pergunta diferente, sugeriu um amigo. Pergunte se você pode rezar enquanto fuma.”

Alberto Carlos Almeida, Como são feitas as pesquisas eleitorais e de opinião.

Postado por Luciana Santos | 0 comentário

maio 06, 2012

user icon
Postado por Narumi Abe

 

Durante a idade medieval, o povo da Inglaterra passava fome. Faltava comida em cada vilarejo. Embora houvesse batatas crescendo por toda a parte, elas não eram consumidas pois eram consideradas alimentos sujos e eram destinadas somente para alimentação dos porcos. O Rei teve uma brilhante ideia. Espalhou boatos de que a batata era consumida pela nobreza e ordenou que soldados  montassem guarda em um jardim para proteger as “batatas reais”. A ideia deu certo até demais. O povo começou a comer batatas, mas houve uma revolta. O jardim das batatas foi invado e o rei decapitado. Provavelmente essa história seja falsa. Há versões que contam essa história como sendo com Luis XVI na França ou com Frederick II da Prússia. Embora essa história seja falsa, existem outras histórias fascinantes envolvendo comida que realmente aconteceram.

- Soy muy atraente

Vocês já pararam pra imaginar o quanto a história da humanidade está ligada de algum modo com a história da comida?  A busca por comida provavelmente levou a migração dos homens pré-históricos por todos os continentes. Levou Colombo a descobrir as Américas, em busca de uma nova rota para as Índias para o simples transporte de especiarias. E quem nunca ouviu falar dos vomitódromos romanos nos quais os ricos vomitavam para continuar comendo para demonstrar riqueza? (Nos futuro descrito pelo livro dos Jogos Vorazes isso também acontece). Até cientistas da NASA investem algum esforço em técnicas de conservação da validade e do sabor dos alimentos no espaço e que mais tarde são usadas aqui na Terra.

Você consegue pensar em um prato mais italiano que o espaguete? O espaguete é um exemplo de globalização nos tempos antigos. O macarrão foi levado para a Itália da China pelo navegador Marco Polo e o tomate da América do Sul. Talvez as aulas de histórias fossem mais fáceis de lembrar e mais interessantes se os professores incluíssem causos, como os causos culinários. Aqui vai duas histórias escolhidas ao acaso.

Tempura

Quem consome comida japonesa já deve ter experimentado o tempura. O tempura é um bolinho frito, geralmente de algum vegetal. Pouca gente sabe que tanto a receita quanto o nome tem influência portuguesa. Durante a época das grandes navegações, portugueses mantinham bastante contato com o Japão. Neste período, os jesuítas faziam uma penitencia durante a quaresma (ad tempora quadragesimae) e não comiam carne e fritavam os legumes ou alguns frutos do mar. Logo o prato se popularizou entre os habitantes locais e a moda pegou.

Os pobres jesuítas eram obrigados a se penitenciar comendo isso

Uma Senhora Geladeira

Outro dia, procurando na Internet uma receita de Faloodeh (sobremesa gelada feita com vermicelli e sucos), descobri algo interessante. A iguaria existia na Pérsia há mais de 400 A.C. para refrescar a realeza nos dias quentes de verão. Mas como é que pode existir alguma sobremesa gelada no deserto a mais de dois mil anos? Os chineses tomavam algo parecido com o sorvete nos tempos remotos, mas eles tinham neve. E no deserto, como os persas (iranianos e paquistaneses mais precisamente), conseguiam tal proeza?


Yakhchal coroa é que faz comida boa

A 400 A.C. os engenheiros persas criaram a mãe de todas as geladeiras. Yakhchals são grandes estruturas que foram construídas para armazenar gelo em pleno verão desértico.

Os yakhchals são feitos de uma argamassa chamada sarooj, composta de areia, argila, clara de ovo, cal, pêlo de cabra e cinzas, e chegam a 18m de altura. Sua parede tem até 2m de espessura na base, é altamente resistente a transferência de calor e impermeável. Existe um grande espaço escavado no subsolo com capacidade de 5000m³. O gelo era trazido das montanhas geladas e armazenado. O yakhchal também servia para armazenar alimento. Alguns yakhchals eram acoplados a tuneis de vento. Os tuneis faziam o ar gelado resfriar o interior da câmara. Além disso, captava o ar durante a noite e fazia a água recongelar no frio do deserto.

Esses túneis de vento eram usados também em residências. Ele funciona em dois estágios. No primeiro momento, ele esfria o ar quente forçando a passagem através de uma avançada rede de abastecimento de água (Qanat) que contém a água do desgelo. O ar resfriado sobe e circula dentro do armazém. Durante a noite, o vento gelado entra pelas aberturas e congelam a água armazenada.

Postado por Narumi Abe | 0 comentário

user icon
Postado por Narumi Abe

Dizem por aí que não existe pergunta tola. Mas, se eu pudesse eleger alguma, seria "Por que reinventar a roda?". Ta aí, uma expressão/pergunta que sempre soou estranha e que merece algumas respostas. Aqui vai:

1. Você jamais irá compreender uma roda, a não ser que construa uma. Não importa se você só tire dez em Rodas. Algumas dúvidas e problemas de detalhes "rodísticos" só irão surgir na hora da construção. Sabe quantos engenheiros de computação seriam capazes de construir um computador do zero após um evento pós-apocalíptico? Suspeito que poucos. Sabe quando você vai aprender a surfar assistindo uma video aula? Nunquinha.

2. O desenvolvimento tecnológico consiste em pegar coisas existentes e melhorá-las na próxima geração. O melhor modo de fazer isso é conhecendo a roda atual, esmiuçando todos os seus defeitos e vantagens para propor uma roda melhor.

3. Será que você realmente seria capaz de inventar a roda sozinho? Menosprezar algo depois de pronto é muito fácil, pois tudo é óbvio desde que você saiba a resposta.

4. Reinventar a roda é um exercício mental e de conhecimento. Acredite, você será melhor que os seus pares que não fizeram isso. Além disso, outras idéias podem surgir a partir daí.

5. A maioria das pessoas que não vão pra frente não perde tempo reinventando a roda porque acha muito básico. Infelizmente, também não faz nada avançado por ser muito avançado (justamente por não ter começado pela roda). Já vi pessoas que preferem fazer um trabalho repetitivo e exaustivo ao invés de fazer um simples script. Daí quando querem programar algo complexo, também não fazem por falta de experiência. Isso também acontece com pessoas que não leem um texto em outro idioma por saberem pouco daquele idioma. E dizem que precisam aprender o outro idioma para conseguir ler o idioma. É um argumento circular que não leva a lugar nenhum (como qualquer círculo). 

Substitua a roda desse texto por qualquer coisa que você já deixou de fazer, estudar ou entender por pura preguiça ou arrogância. 

Videozinho sobre a maior invenção da história:


Postado por Narumi Abe | 0 comentário

março 28, 2012

user icon
Postado por Narumi Abe

Aqui vai uma mini-propaganda e dica para aumentar o espaço no dropbox. Não estou ganhando nada. :)

O Dropbox costuma dar 250MB adicionais para convites enviados que forem efetivados. O espaço dobra se o usuário for de alguma escola ou universidade. Na página diz que o usuário precisa de um email com domínio .edu, mas testei com meu da @usp.br e funcionou direitinho. Ah! E o espaço dobra também para convites enviados antes da validação do email.

Digite o email aqui após fazer o login na página.

https://www.dropbox.com/edu

 

Postado por Narumi Abe | 0 comentário

março 04, 2012

user icon
Postado por Ana A. S. Cesar

"Não devemos permitir que alguém saia da nossa presença sem se sentir melhor e mais feliz."  (Madre Teresa de Calcutá )

Palavras-chave: Citações

Postado por Ana A. S. Cesar | 0 comentário

março 01, 2012

user icon
Postado por Ewout ter Haar

Palavras-chave: pró-aluno, stoa, uspnet

Esta mensagem está sob a licença CreativeCommons Atribuição.

Postado por Ewout ter Haar | 0 comentário

fevereiro 27, 2012

user icon
Postado por Carla Neves Costa

O incêndio na Estação Comandante Ferraz na Antártida neste sábado, 25.02.2012, deixa dois mortos e, pelo menos, um ferido.

A Estação é uma base militar da Marinha do Brasil usada para desenvolver pesquisas. Não se sabe ao certo as causas do incêndio, mas os pesquisadores sobreviventes relataram que houve uma explosão de nitrogênio, os alarmes de segurança contra incêndio não funcionaram e as pessoas tiveram que abandonar o local às pressas, sem tempo para salvar os documentos e pertences.

Os sobreviventes, 45 pessoas ao todo, foram resgatados e já estão de volta ao Brasil.

Assista o vídeo GloboNews®

O acidente causou a perda total do espaço físico ocupado pela base na área continental. A expectativa é de que a reconstrução da base e a retomada de pelo menos 50% das pesquisas demore no mínimo dois anos.

Leia:

Incêndio destrói 40% da pesquisa brasileira na Antártida

Fonte: Veja Online

Esta mensagem está sob a licença CreativeCommons Atribuição.

Postado por Carla Neves Costa | 1 usuário votou. 1 voto | 1 comentário

fevereiro 25, 2012

user icon

 

Por todo o país as polícias militares abrigam, escondem e protegem enormes contingentes de criminosos; a greve de policiais baianos apenas evidencia aquilo que qualquer jovem morador das periferias das grandes cidades sabe, desde sempre, por sentir na pele: que ladrões e assassinos, criminosos de todos os tipos, aproveitam o direito de usar armas, as fardas que vestem e o poder que o Estado lhes concede para praticar crimes. Às elites talvez assuste a ilegalidade dos atos praticados, é raro ver imagens de PMs encapuzados atirando a esmo e apavorando a população como se viu no centro de Salvador. Nas periferias o que choca é que os homens que deveriam proteger a população além de não cumprirem sua tarefa ainda contribuem para aumentar a sensação de insegurança. Durante a greve, 109 pessoas foram assassinadas apenas na capital baiana, 100 delas por arma de fogo, dessas pelo menos 59 foram baleadas na cabeça. Se o número é maior, os executados são os de sempre: jovens pobres e, em sua maioria, negros. Jamais saberemos quantos desses assassinatos foram praticados por policiais interessados em espalhar pânico e insegurança ou fazer acertos de contas. Ainda que se saiba, pelos boletins de ocorrência, que houve chacinas, que em pelo menos 26 casos os matadores estavam armados em comboios de até quatro veículos, atuação típica de milícias. Algumas vítimas, seis, receberam mais de treze tiros, uma levou trinta e dois; quem faz isso não quer apenas matar, quer dar recado! Em alguns estados as milícias formadas por policiais são o principal problema de segurança pública. Sim é possível dizer que a banda pobre das PMs representa apenas uma minoria, deve ser verdade, ocorre que não é possível imaginar que essa banda exista sem a conivência e o acobertamento de uma ampla e influente parcela de policiais omissos ou coniventes.

[O arquivo não existe]

 

Postado por Ailton Laurentino Caris Fagundes | 0 comentário

fevereiro 19, 2012

user icon
Postado por Narumi Abe

 

Vancouver, Canadá, dia 15 de Junho de 2011. Após a derrota do Vancouver Canucks por 4-0 para um time local, torcedores do time de hóquei enraivecidos saíram as ruas destruindo tudo pelo caminho. A cidade ficou em chamas, lojas foram depredadas, carros foram virados e queimados.

- É nóis manooo!

A polícia de choque e os bombeiros entraram em ação. Pelo menos 140 pessoas foram feridas. Para se ter uma idéia do estrago, mais de 8 mil pessoas se voluntariaram via Facebook para limpar a cidade no dia seguinte. E em um momento tão estranho, um rapaz beijava uma moça na rua, como se nada estivesse acontecendo.


- Quando é pra pegar eu pego mesmo!

 

Obviamente a foto ficou famosa. A cena era tão bizarra que alguns acharam que ela poderia ser falsa. Mais tarde, diversas montagens engraçadas foram feitas com a foto e espalhadas no mundo inteiro.

 

 

Em plena era digital não foi difícil descobrir quem era o casal. Scott Jones disse que na verdade se jogou em cima da namorada Alex Thomas para tentar protegê-la.

História interessante. Mas vamos continuar com a programação normal.

Paraíba, Brasil. Quatro semanas atrás, um comercial de uma imobiliária também ficou famoso, pelo menos em terras brasileiras. A propaganda era da Paraíba, mas também remetia ao Canadá. O comercial chamava a atenção pois o homem do comercial dava uma informação totalmente desnecessária. Se você estava em Marte nos últimos dias, a propaganda é essa aí embaixo:

O vídeo gerou milhares de comentários pela Internet. Pessoas completavam o final de cada frase com menos Luiza que está no Canadá, o cantor Lenine fez uma piada sobre isso no seu show e Luiza até mesmo foi entrevistada no Jornal Hoje. Ah, o Jornal Hoje, que também já protagonizou um meme só seu, com a apresentadora Sandra Annemberg e sua frase "que deselegante" (Procure no youtube, não preciso fazer todo o trabalho). - O que? Isso é meme?

Sim. Isso é meme. Meme não são aquelas cabecinhas que fazem Fuuuu ou Okay. Aquilo também são memes, mas memes também podem ser mais complexos e diversificados. 

- Nós somos os memes

Os memes aí de cima são os mais conhecidos. Tão conhecidos que algumas pessoas acabam achando que eles são a definição de memes. A palavra meme foi criada pelo cientista Richard Dawkins em seu livro O gene egoísta (1976). Um dos melhores livros já escritos, ele fala de um jeito fácil sobre a evolução das espécies do ponto de vista do gene e não de um indivíduo. Além disso, fala sobre o meme como um ser vivo, da sua característica viral de se espalhar e se multiplicar. Dawkins diz que o meme é para a memória, o que o gene é para a genética. Uma unidade de informação que vive de cérebro em cérebro, que evolui e se multiplica. Hoje em dia é o campo de estudos da memética.

Memes são manifestações espontâneas, que acabam tendo vida e que podem sobreviver por muito tempo ou até algo melhor surgir. Fofocas são memes que costumam ter uma duração limitada. Outras formas de memes costumam se consolidar, como os memes faces. Um meme não pode ser fabricado. Ele surge e contamina as pessoas em volta (no bom sentido), teve e tem um papel importantíssimo na evolução intelectual do homem. O jornalista pseudo-intelectual e hipócrita Carlos Nascimento acabou soltando uma frase infeliz no seu telejornal. Disse que "... já fomos mais inteligentes", reclamando da proporção tomada pelo meme, como se fosse algo intencional. Não é. Os memes têm exatamente o tamanho que devem ter e se extinguem sozinhos. Não cabe a ele ditar as regras. Mas se ele sentia a necessidade de reclamar da nossa inteligência, não precisava esperar tanto tempo e ir para um estado tão distante. Basta olhar na própria emissora que ele verá vários exemplos de baboseiras muito mais sem graça. No final, o feitiço virou contra o feiticeiro e ele próprio acabou virando meme. Ou quem sabe, seja isso que ele sempre quis. 

Postado por Narumi Abe | 1 usuário votou. 1 voto | 5 comentários

fevereiro 18, 2012

user icon
Postado por Narumi Abe

Aqui vai uma listinha com alguns dos filmes mais legais que estão por vir. Somente de ficção ou fantasia evidentemente. :D

9. John Carter

John Carter é um soldado americano que acaba indo lutar em Marte e se apaixona por uma princesa. Pelo que sabemos do planeta vermelho a história parece absurda. Vale pela curiosidade, o personagem foi criado em 1912 e o visual parece uma mistura de Conan, Mad Max e Duna. O filme estréia no dia 12 de março.


8. Iron Sky

Uma história absurda intencionalmente, com ar de Bastardos Inglórios. Nazistas fugiram para o lado escuro da lua após o final da segunda guerra e voltam para invadir a Terra. O filme começou a ser produzido e ficou congelado por anos em busca de verba. Muitos efeitos especiais e uma história divertida. Estréia no dia 4 de abril.

 

7. Homens de Preto 3 (MIB 3)

Comédia da melhor qualidade. Homens de Preto conta a história de dois agentes do governo (Tommy Lee Jones e Will Smith) que lidam diariamente com alienígenas que vivem no planeta Terra. Altamente influenciado pelo Guia do Mochileiro das Galáxias. Estréia: 25 de maio.

 


6. Os Vingadores (The Avengers)

Finalmente com a estréia de Capitão América e Thor ano passado, o mundo está pronto para o filme dos Vingadores. Os mais famosos são Capitão América, Homem de Ferro, Hulk e Thor. Infelizmente o ator Edward Norton não fará o papel do Hulk esmaga. Estréia 27 de abril.

 


5. Chronicle

Três garotos do ensino médio com poderes especiais. Mas ao invés de serem super heróis, só queriam se divertir com seus poderes até que algo deu errado. Lançamento 3 de fevereiro.


4. O Espetacular Homem Aranha (The Amazing Spider-man)

Quando soube que o Homem Aranha teria um remake fiquei com o pé atrás. Porque o filme original é muito bom e nem é muito antigo. Mas olhando o trailer, parece que o filme será sensacional e mais fiel aos quadrinhos. Gwen Stacy aparece como a primeira garota, a teia de aranha é fabricada como deveria ser e o aranha fica fazendo piada enquanto luta. A câmera do ponto de vista do Aranha vai ser surpreendente em uma tela 3D. Tudo de bom!


 3. Prometheus

Ridley Scott vai voltar com tudo para o que sabe fazer de melhor: Filmes de ficção de primeira. O filme estréia 8 de junho. A história é sobre cientistas que irão viajar para os confins do universo para pesquisar a origem da vida. Prequência de Alien: o Oitavo Passageiro.



2. Batman: O Cavaleiro das Trevas Resurge (The Dark Knight Rises)

Batman. Não preciso dizer mais nada. Estréia 27 de julho.


1. O Hobbit – Uma jornada inesperada (The Hobbit – An unexpected journey)

Batman só não ficou em primeiro da lista por causa de um pequeno ser com pé peludo. O Hobbit, conta a história de como Bilbo encontra o anel do poder. O filme sofreu muitos atrasos por mudanças de diretor, mas felizmente Peter Jackson resolveu reassumir o posto. Além disso, o filme já causa polêmica pois vai trazer personagens que ainda não deveriam aparecer e não será tão fiel ao livro. Coisas de Hollywood. Infelizmente os produtores pensam que o livro do Hobbit é monótono. Estréia em dezembro de 2012 (Parte 1) e dezembro de 2013 (Parte 2).


Postado por Narumi Abe | 0 comentário

<< Anterior