Stoa :: Prefeitura do Campus USP da Capital :: Blog :: O trabalhador aprende o que vicencia - de 16 de março de 2010

abril 17, 2012

user icon

Uma tentativa de realizar a lição de casa que o Prof. Barco me passou.

O texto a seguir é baseado no poema "As crianças aprendem o que vivenciam" de Dorothy Law Nolte, tentando adaptar os versos à realidade que vivemos na Prefeitura.

Se os trabalhadores convivem com a mediocridade, aprendem a lastimar.

Se os trabalhadores vivenciam a mesquinharia, aprendem a se privar.

Se os trabalhadores vivem com a ameaça, aprendem a ter medo.

Se os trabalhadores convivem com a severidade, aprendem a transgredir.

Se os trabalhadores convivem com a ignorância, aprendem a cultivar intrigas.

Se os trabalhadores convivem com a injustiça, aprendem a calar.

Se os trabalhadores vivem com a tirania/ crueldade do poder, aprendem a tornar-se invisíveis.

Se os trabalhadores convivem com o investimento/ incentivo no ser humano, aprendem a confiar em sua capacidade e na instituição.

Se vivenciam a gratidão, aprendem a reconhecer o outro.

Se convivem com o comprometimento, aprendem a participar.

Se vivenciam a alegria, aprendem a ter vontade de realizar.

Se convivem com a informação, aprendem a entender suas responsabilidades.

Se vivenciam o apreço e a consideração, aprendem a valorizar as pessoas e seu trabalho.

Se convivem com a educação, aprendem a buscar o seu desenvolvimento.

Se os trabalhadores convivem com a liberdade de expressão, aprendem a criar e inovar.

Se os trabalhadores vivem com equilíbrio e harmonia, aprendem o que é sustentabilidade.

Se os trabalhadores vivenciam um ambiente de trabalho saudável, aprendem a gostar do que fazem.

Se vivenciam a compreensão, aprendem a ouvir, enxergar e respeitar.

Postado por Yuna Ribeiro em Prefeitura do Campus USP da Capital

Você deve entrar no sistema para escrever um comentário.

Termo de Responsabilidade

Todo o conteúdo desta página é de inteira responsabilidade do usuário. O Stoa, assim como a Universidade de São Paulo, não necessariamente corroboram as opiniões aqui contidas.