Stoa :: USP Notícias :: Blog :: GPR promove a prevenção do câncer de boca e melhora a qualidade de vida de quem superou a doença

setembro 28, 2009

default user icon
Postado por USP Notícias

http://www4.usp.br:80/index.php/saude/17527-gpr-promove-a-pre

odontologia
Grupo interdisciplinar busca acolhimento para vítimas do câncer de boca

 Pesquisadores do GPR
O melhor tratamento não é simplesmente aquele que utiliza equipamentos de última geração e aplica as técnicas mais avançadas da medicina. Além disso, é preciso proporcionar acolhimento ao paciente. Essa é a filosofia que norteia as ações mais recentes do Grupo de Pesquisa em Reabilitação Maxilofacial (GPR) da USP, que realiza pesquisas e atende pacientes vitimados pelo câncer de boca, atuando desde a prevenção até a reabilitação de quem carrega as seqüelas da doença.

O paciente de câncer é tão complexo que só os remédios, só essa atenção especializada que nós damos não dá conta das ansiedades, das angústias, das frustrações que ele carrega”, explica Fernanda Campos de Souza Almeida, pesquisadora do grupo, que reúne profissionais da Faculdade de Odontologia (FO) e da Faculdade de Medicina da USP (FMUSP). Para cuidar do bem-estar psicológico dos pacientes, recentemente foram incorporados psicólogos e naturólogos ao grupo. Eles atuam principalmente com quem precisa recorrer a próteses maxilofaciais após o tratamento. “Se você não conversar com esse paciente, entender quais são as queixas dele, os anseios dele, você nunca vai fazer uma prótese adequada.” Fernanda diz que as pessoas muitas vezes não têm noção das limitações da prótese, por isso é necessário informá-las sobre as dificuldades que elas enfrentarão e trabalhar sua auto-estima, ou então aquilo que deveria reconfortá-las torna-se motivo de mais frustração.


 Dorival Pedroso da Silva
Quando o GPR surgiu, em 2003, na FO, suas ações eram voltadas exclusivamente para a confecção de próteses. Mas a demanda era muito grande, então o grupo resolveu mudar sua estratégia de trabalho, expandindo sua atuação, enfocando estágios iniciais da doença. Para isso, foram agregados professores e pesquisadores da FMUSP. “Associados com os médicos, conseguimos fazer próteses para que ele [o paciente] saia do leito cirúrgico já com a prótese”, afirma Dorival Pedroso da Silva, professor da FO e líder do grupo. Posteriormente, o grupo focou suas atenções em iniciativas de prevenção. A maior ação de conscientização da qual o grupo participou foi a Campanha de Popularização do Auto-Exame Contra o Câncer de Boca, de alcance nacional, da qual foi um dos idealizadores. A campanha aconteceu em 2005. Atualmente, o GPR promove atividades de conscientização todo ano, geralmente perto dos dias nacional e internacional de combate ao tabagismo.


 Fernanda Campos de Souza Almeida
Apesar do grande número de pacientes que realizam tratamento ali, os membros do grupo têm o cuidado de não adotar uma postura assistencialista. “O produto da extensão não é o atendimento, não é a prestação de serviço. Ela pode acontecer, faz parte, mas o produto é a publicação, é o treinamento de pessoal especializado, é o intercâmbio entre graduação e pós”, diz Fernanda. Por
isso, os pesquisadores têm a preocupação de sempre publicar artigos científicos baseados em casos acompanhados por eles e possuem alunos de graduação entre seus membros. Por muito tempo, até 2006, o GPR também realizou cursos de atualização para dentistas da rede pública paulistana. Hoje, a prefeitura da cidade possui profissionais qualificados para fornecer esse treinamento.

Dorival ressalta que, apesar de a especialidade do grupo ser o câncer de boca, são atendidos casos de outros tipos de câncer que atingem a cabeça e o pescoço.

A doença
No Brasil, cerca de 14 mil pessoas são acometidas pelo câncer de boca anualmente, de acordo com a última estimativa divulgada pelo Instituto Nacional do Câncer (Inca). Na maioria das vezes os tumores são retirados cirurgicamente, mas também são utilizadas, em menor escala, radioterapia e quimioterapia para o tratamento. “Quando ele [o tumor] é pequeno, a gente pode fazer um cortinho pequeno e retirá-lo. Fazer uma radioterapia localizada, e facilitar a vida do paciente”, afirma Dorival. Por isso, as campanhas promovidas pelo grupo enfatizam não só a prevenção, mas também a detecção precoce da doença (veja o quadro abaixo). “Mas normalmente, quando chegam aqui, [os pacientes] já estão com grandes tumores”, lamenta o professor.

O grande vilão, quando o assunto é câncer, é sempre o tabaco. No caso do câncer bucal, não é diferente. Segundo Dorival, 9 entre cada 10 vítimas de tumores na boca têm o habito de fumar. A probabilidade de desenvolver a doença é ainda maior quando o fumo está associado ao consumo constante de álcool.

Dicas para prevenir e detectar o câncer de boca precocemente

 Fatores de Risco
Os fatores que podem levar ao câncer de boca são idade superior a 40 anos, vício de fumar cachimbos e cigarros, consumo de álcool e má higiene bucal.
 Sintomas
O principal sintoma deste tipo de câncer é o aparecimento de feridas na boca que não cicatrizam em uma semana. Outros sintomas são ulcerações superficiais, com menos de 2 cm de diâmetro, indolores (podendo sangrar ou não) e manchas esbranquiçadas ou avermelhadas nos lábios ou na mucosa bucal. Dificuldade para falar, mastigar e engolir, além de emagrecimento acentuado, dor e presença de linfadenomegalia cervical (caroço no pescoço) são sinais de câncer de boca em estágio avançado.
 Prevenção e Diagnóstico Precoce
Homens com mais de 40 anos de idade, dentes fraturados, fumantes e portadores de próteses mal-ajustadas devem evitar o fumo e o álcool, promover a higiene bucal, ter os dentes tratados e fazer uma consulta odontológica de controle a cada ano. Outra recomendação é a manutenção de uma dieta saudável, rica em vegetais e frutas.
Fonte: site do Inca

Serviço
Para agendar atendimento pelo Grupo de Pesquisa em Reabilitação Maxilofacial (GPR), o interessado deve ligar para o telefone (11) 3091-7878. O GPR reabilita também pacientes vitimados por outros tumores de cabeça e pescoço, não só o bucal.

Palavras-chave: nnpp

Postado por USP Notícias

Você deve entrar no sistema para escrever um comentário.

Termo de Responsabilidade

Todo o conteúdo desta página é de inteira responsabilidade do usuário. O Stoa, assim como a Universidade de São Paulo, não necessariamente corroboram as opiniões aqui contidas.