Stoa :: USP Notícias :: Blog :: Exibição no MAE usa objetos para contar relatos da sociedade

agosto 18, 2009

default user icon
Postado por USP Notícias

http://www4.usp.br:80/index.php/cultura/17218-revisado-exibic

exposição
"Fragmentos de Memória" conta histórias por meio de objetos
O Museu de Arqueologia e Etnologia da USP abre na quarta-feira (19) a exposição “Fragmentos de Memória”. Na mostra, os visitantes não verão apenas pequenos objetos de uso pessoal. Atrás de cada peça é contada uma história de vida, resgatando a trajetória de homens, mulheres e famílias. A exposição, resultado de três meses de uma oficina com 18 participantes, demonstra que a terceira idade ainda tem muito a contribuir para a sociedade.

A mostra é uma síntese da oficina Arqueologia e Memória, voltada para o público de terceira idade. No primeiro semestre deste ano, em reuniões semanais, foram discutidas questões relacionadas a arqueologia, memória, museus e patrimônio cultural. “Os participantes são convidados a trazer objetos pessoais que considerem significativos”, conta a educadora Judith Mader Elazari, coordenadora do projeto. “A partir deles é contextualizada a história de vida de cada um”.

Identidades
A partir dos objetos, o grupo faz a reconstrução de suas trajetórias e compartilha experiências de vida. “Falar em arqueologia diz respeito a cultura material, e por meio dessa produção é possível entender e obter informações sobre a presença do homem”, explica Judith. “A oficina, além de gerar discussões sobre patrimônio cultural, também ajuda a debater o pertencimento ao grupo”. A oficina está em sua sexta edição.

Uma certidão de nascimento reforça um debate sobre identidade. Um tijolo encontrado na rua, com três letras gravadas, ajuda a relembrar todo o trabalho de uma família, que é pouco reconhecido. “Todas as atividades ajudam no processo de melhora da auto-estima”, ressalta a educadora.  A esposa de um antigo preso político traz uma peça de artesanato feita na prisão, e surge uma discussão sobre a repressão no Brasil.

Um prato nupcial, onde são colocadas alianças de casamento, além do chapéu usado na cerimônia em que a irmã se casou trazem o tema das relações familiares. “Cada objeto pode trazer a tona um mundo”, relata Judith. “As migrações, por exemplo, são um assunto constante, já que muitos dos integrantes da oficina vieram de outras cidades, estados ou países”.

Atividades
Além dos debates, os participantes também tiveram aulas com especialistas e atividades relacionadas a questões de memória e patrimônio. Para entender o processo da arqueologia, em uma das aulas da oficina aconteceu uma pequena escavação em caixas de areia. Em outra atividade, a partir da observação de um objeto indígena, foram produzidos os desenhos que estão no cartaz da exposição.

Como auxílio para montar a mostra, o grupo recebeu orientações de um museógrafo sobre a disposição das peças, produção de etiquetas e cartazes explicativos, entre outros aspectos. “Eles passaram a ver os museus com outros olhos”, lembra Judith. Além dos objetos, a exposição terá painéis fotográficos registrando as várias etapas da oficina e os próprios participantes contarão suas histórias de vida.

A abertura da exposição "Fragmentos de Memória” acontece no dia 19, às 14 horas, no MAE (Av. Prof. Almeida Prado, 1466, Cidade Universitária, São Paulo). A visitação é gratuita e pode ser feita entre os dias 20 e 23, das 10 horas ao meio-dia e das 14 às 16 horas. A oficina e a mostra foram realizadas pela Divisão de Difusão Cultural e Serviço Técnico de Musealização do MAE, e fazem parte do programa “Universidade Aberta à Terceira Idade”, da Pró-Reitoria de Cultura e Extensão da USP.

Palavras-chave: nnpp

Postado por USP Notícias

Você deve entrar no sistema para escrever um comentário.

Termo de Responsabilidade

Todo o conteúdo desta página é de inteira responsabilidade do usuário. O Stoa, assim como a Universidade de São Paulo, não necessariamente corroboram as opiniões aqui contidas.