Stoa :: USP Notícias :: Blog :: EERP torna-se sede de rede mundial para desenvolvimento da obstetrícia e da enfermagem

dezembro 03, 2008

default user icon
Postado por USP Notícias

http://www4.usp.br:80/index.php/noticias/42-institucional/158

Enfermagem
EERP torna-se sede de rede global da Organização Mundial da Saúde
 
A Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto (EERP) da USP tornou-se oficialmente, no último dia 27, sede da Rede Global de Centros Colaboradores para o Desenvolvimento da Enfermagem e Obstetrícia, vinculada à Organização Mundial de Saúde (OMS). Composta por 43 instituições de todo o mundo e tendo a EERP como única representante brasileira, a rede tem o objetivo de estender a saúde para todos através da excelência em enfermagem e obstetrícia.

Os centros colaboradores da OMS são instituições designadas pelo diretor-geral da organização para apoiarem os programas da instituição. Isso é feito de diversas formas: por meio da disseminação de informações para a população; da padronização de procedimentos diagnósticos e terapêuticos; do desenvolvimento e aplicação de tecnologia; e do treinamento de profissionais, entre outras. Eles estão organizados em redes temáticas que coordenam suas atividades. Exemplos dessas redes são o Programa de Monitoramento e Quantificação da Contaminação Alimentar e a Rede Global de Centros Colaboradores em Saúde Ocupacional.

Rede Global de Centros Colaboradores para o Desenvolvimento da Enfermagem e Obstetrícia
Rede Global de Centros Colaboradores
A EERP passou a integrar a rede em 1988, sendo a 11ª instituição a compô-la. A liderança é delegada a um dos membros, por um período de quatro anos, através de uma eleição na qual votam todos os centros colaboradores. É a primeira vez que uma instituição latino-americana ocupa esse posto. O evento que empossou a professora Isabel Amélia Costa Mendes como secretária-geral da rede reuniu autoridades da OMS, da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), do Ministério da Saúde e da Associação Brasileira de Enfermagem.


Na rede, cada instituição têm uma missão específica. A da EERP é formar recursos humanos para a pesquisa em enfermagem. “Temos que investir muito na iniciação científica e na formação de mestres e doutores, para que os enfermeiros tenham cada vez mais atuação no campo da pesquisa”, diz Isabel. Há também alguns objetivos que são comuns a todos os centros, como dar prioridade à atenção básica em saúde. “Assim, quando formamos pesquisadores, temos que dar ênfase à formação de profissionais que estudem esta área”, completa a professora.

Professora Isabel Amélia Costa Mendes
Professora Isabel Amélia Costa Mendes
As atividades dos centros vão além daquelas relacionadas a seus objetivos específicos. “A rede foi criada exatamente para fortalecer o trabalho conjunto entre eles”, explica Isabel. A EERP, por exemplo, possui um curso de especialização de recursos humanos em saúde na área de álcool e drogas desenvolvido em conjunto com outros dois centros colaboradores, as universidades de Michigan, nos Estados Unidos, e de Alberta, no Canadá. Pela rede também foi firmado um acordo de intercâmbio acadêmico com o Instituto Superior de Enfermagem da Universidade Agostinho Neto, de Angola, que já formou cerca de 20 enfermeiros.


A OMS
Quando diplomatas do mundo inteiro reuniram-se em São Francisco, nos Estados Unidos, para criar a Organização das Nações Unidas (ONU), em 1945, uma das propostas discutidas foi a criação de uma organização global para a promoção da saúde. A constituição da OMS foi aprovada por 55 estados cerca de três anos depois, em 7 de abril de 1948, data que tornou-se, desde então, o Dia Mundial da Saúde.

Organização Mundial de Saúde (OMS)
Organização Mundial de Saúde (OMS)
A OMS desenvolve atividades em conjunto com diversos governos e instituições e é responsável pela Classificação Internacional de Doenças (CID), utilizada como padrão internacional para propósitos clínicos e epidemiológicos. A partir de 1967 iniciou uma campanha para a erradicação da varíola no mundo que culminou na extinção da doença, no final da década de 1970.

O objetivo da organização, descrito em sua constituição, é permitir que todas as pessoas usufruam do mais alto nível de saúde possível. Suas políticas são definidas pela Assembléia Mundial de Saúde, que reúne os 193 Estados-membros anualmente, em maio, sempre em Genebra.

O primeiro centro colaborador, instituído já em 1948, foi o Departamento de Padronização Biológica do Statens Serum Institute, de Copenhague, na Dinamarca.  Hoje há cerca de 900, distribuídos por aproximadamente 100 países.


Fotos: Assessoria de Imprensa da Prefeitura do Campus de Ribeirão

Palavras-chave: nnpp

Postado por USP Notícias

Você deve entrar no sistema para escrever um comentário.

Termo de Responsabilidade

Todo o conteúdo desta página é de inteira responsabilidade do usuário. O Stoa, assim como a Universidade de São Paulo, não necessariamente corroboram as opiniões aqui contidas.