Stoa :: Narumi Abe :: Blog :: Manifestações na era da (des)informação

novembro 09, 2011

default user icon
Postado por Narumi Abe

Além das invasões no FFLCH e na reitoria está ocorrendo uma outra manifestação na Internet. Debates acalorados sobre qual lado está certo. De um lado, manifestantes defendendo a saída da PM. Do outro lado, uspianos com medo da falta de segurança caso a PM saia. E desse mesmo lado, muita gente desinformada que não sabe que o buraco é mais embaixo. Parte da culpa é da imprensa, que já escolheu um lado e está prestando um grande serviço de desinformação.

A imprensa também não é 100% culpada. Falta um pouco de pensamento crítico. Olha essa foto aí embaixo por exemplo:

Estou do lado de vocês, seus burros!


Essa foto foi divulgada na Folha de SP e ficou famosa em vários blogs e no Facebook. Muita gente comentou dizendo que é "lamentável" ou coisa pior. O que pouca gente percebeu é que o cara da foto está fazendo uma ironia. Ele está se manifestando contra a manifestação. Ninguém em sã consciencia faria um cartaz desse se quisesse adeptos, além do mais, os invasores estavam todos com o rosto coberto. Todos tem direito a opinião, certo? Mas pelo menos é bom saber contra o que você é contra antes de tentar revolucionar o mundo e repassar mensagens.

O que os manifestantes querem?

Ao contrário do que estão dizendo, os manifestantes não estão lutando pelo direito de fumar maconha no campus. O que eles querem é que a polícia deixe a USP pois eles tem agido de forma violenta. Recentemente uma amiga teve uma arma apontada para a cabeça, enquanto ouvia os berros de um policial perguntando sobre as drogas que ela não levava consigo. Só faltou o saco na cabeça. Exigir a retirada de policiais despreparados que tratam todos os cidadãos como criminosos me parece uma coisa sensata e não coisa de "filhinho de papai, playboy, maconheiro". A USP precisa sim de segurança. Mas ela tem autonomia e dinheiro para ter seguranças esclarecidos e que saibam que no Brasil os direitos  humanos devem ser respeitados. 

Outra exigência é a anistia dos que foram presos. O fato é que muitos não concordam que a polícia deveria estar lá. E se eles não estivessem, ninguém teria sido preso e por isso a anistia. Essa lógica parece estranha, mas é a mesma usada nos tribunais, quando um grampo não pode ser usado como prova porque foi feito sem permissão. Parece injusto? Pode ser, até porque a PM tem convênio firmado com a universidade. Mas por que eles (os estudantes) não tem direito de se manifestar? Por que tanta rapidez na ordem judicial, sem nem mesmo haver negociação? Por que foi preciso existir uma operação de guerra para retirar estudantes de uma manifestação pacífica e ordenada? Se você achou estranho o "pacífica e ordenada", a explicação está logo mais a frente. 

Meias verdades

De todos os noticiários que não tem compromisso com a verdade, talvez a VEJA seja a campeã. Em todos os textos, a revista fez questão de disseminar alguma mentira ou omitir informações cumprindo seu papel de pseudo-jornalismo. 
Veja alguns títulos das manchetes: 

"Delinquentes agridem jornalistas na USP; são iguais aos
traficantes do Rio que mataram cinegrafista."

"Os tumultos causados pelos rebeldes sem causa da USP."

Não bastasse as mentiras e falta de assunto, também criaram birra contra o passatempo dos coitados:

"Enquanto esperam interrogatório, eles riam e faziam palavras cruzadas."

<sarcasmo on>
O que?? Palavras cruzadas? Por que esses filhinhos de papai estão jogando palavras cruzadas ao invés de estudar? E ainda tiveram a petulância de dar risada! Bando de maconheiro sem vergonha.
<sarcasmo off>

Outros jornais seguem a mesma linha sensacionalista, como o G1 e alguns "jornalistas" populares.

Esses jornais fazem questão de noticiar coisas irrelevantes como "sempre havia muito álcool nas reuniões", mas não gastam nem mesmo uma linha para informar quais são as exigências e quais são os motivos dos protestos. Simplesmente manipulam a população que realmente acredita que o objetivo do protesto é a liberação da maconha e até mesmo defender o crime organizado dentro da USP.

Esses jornais dizem que os PMs e os jornalistas foram atacados, mas não contam que no confronto houve uso de gás lacrimogêneo, spray de pimenta, bala de borracha, uso de cassetetes e escudadas. Não dizem que os policiais estão nos abordando sem identificação. Não mostram que os manifestantes não querem jornalistas porque simplesmente eles são parciais (prova disso é que nunca filmam o símbolo da globo com um X em cima, ou os cartazes dizendo "Fora Rodas").

Mas como eles precisam noticiar algo e esse algo não pode ser a verdade, eles criam falsas notícias, com estatísticas duvidosas. Um exemplo é dizer que o movimento é fraco e a maioria é contra, porque muitos alunos estavam na sala de aula. Caros jornalistas, não usem a lógica, pois esse não é o forte de vocês. Estar na sala de aula não significa que são contra ou a favor. Depois em outro texto, um outro gênio diz que existe um grande movimento contra, pois houve uma 
contra-manifestação com aproximadamente 300 pessoas, enquanto a manifestação pró-presos teve apenas 300 pessoas. 

Outro ponto polêmico é a depredação do prédio e os coquetéis molotov. Testemunhas (mães preocupadas) inspecionaram o local antes da invasão e não viram nada depredado, apenas paredes pichadas. Os manifestantes afirmam que a depredação ocorreu no momento da invasão pela própria PM e os coquetéis foram implantados por eles. Verdade ou não, esse fato não foi noticiado. Somente são mostradas cadeiras quebradas e muita bagunça, tudo atribuído aos alunos.


Positivo e operante, fui colocado aqui pelos meliantes


Em plena era digital é impossível silenciar determinadas notícias. As notícias reais que eu vi foram recebidas de pessoas próximas, em jornais menores e no jornal do campus (JC). Apesar de serem meios com pouco impacto é bom saber que nem toda notícia é manipulada. Tentar enganar as pessoas dizendo que o movimento possuia meia dúzia de maconheiros
foi um tiro que saiu pela culatra na votação da greve de hoje (9). É claro que existem os favoráveis e os contra, como em qualquer movimento, mas o protesto já tomou dimensões que serão difíceis de ser contidas pela imprensa mentirosa. O campus da USP da capital é enorme, cheio de ruas escuras e precisa de segurança. A presença da PM trazia uma sensação de segurança. Agora com o apoio popular, tudo o que a polícia faz é trazer medo do abuso de poder.

Postado por Narumi Abe

Comentários

  1. Visitante escreveu:

    Os invasores estavam tão empolgados em afrontar a polícia que desenharam na parede da reitoria os coqueteis molotov que sonhavam em jogar nela.  Logo a idéia que aquilo foi plantado pela polícia é completamente absurda.

    default user iconVisitante ‒ quarta, 09 novembro 2011, 19:04 -02 # Link |

  2. escreveu:

    A manipulação da mídia é tão exagerada que não pode ser aguentada por pessoas que decidam pensar no que vem antes de memorizar e adotar como opinião própia, mas parece que não é a maioría. Eu só queria salientar que para mim a operação da polícia no dia 08, operação de guerra como você falou, nãopode ser entendida como consequência da ocupação da retoría. Uma ação com centenas de homens, varios helicopteros, cantidades de cavalos, viaturas, carros, camiões, omnibus, armas, gases etc etc não posso vé-la como consequencia de um grupo de estudantes estar num predio da universidade. Assim sendo, para mim o abuso e desrespeito da polícia, manifestado com exagero e hasta orgulho o 08, não pode ser ligado a quánto de certo ou de errado tiveram os caras ficando lá, menos ainda os detalhes da ocupação.

    default user icon ‒ quarta, 09 novembro 2011, 19:50 -02 # Link |

  3. Narumi Abe escreveu:

    Visitante, ninguém sabe ainda quem está dizendo a verdade. Cabe a imprensa decidir?

    Narumi AbeNarumi Abe ‒ quarta, 09 novembro 2011, 21:00 -02 # Link |

  4. Jocax escreveu:

    Recebi este e-mail pedindo para repassa-lo:

    --------


    Nota pública de pesquisadores da Universidade de São Paulo sobre a crise da USP

     
               Nós, pesquisadores da Universidade de São Paulo auto-organizados, viemos, por meio desta nota, divulgar o nosso posicionamento frente à recente crise da USP.
     
    No dia 08 de novembro de 2011, vários grupamentos da polícia militar realizaram uma incursão violenta na Universidade de São Paulo, atendendo ao pedido de reintegração de posse requisitado pela reitoria e deferido pela Justiça. Durante essa ação, a moradia estudantil (CRUSP) foi sitiada com o uso de gás lacrimogêneo e um enorme aparato policial. Paralelamente, as tropas da polícia levaram a cabo a desocupação do prédio da reitoria, impedindo que a imprensa acompanhasse os momentos decisivos da operação. Por fim, 73 estudantes foram presos, colocados nos ônibus da polícia, e encaminhados para o 91º DP, onde permaneceram retidos nos veículos, em condições precárias, por várias horas.
     
    Ao contrário do que tem sido propagandeado pela grande mídia, a crise da USP, que culminou com essa brutal ocupação militar, não tem relação direta com a defesa ou proibição do uso de drogas no campus. Na verdade, o que está em jogo é a incapacidade das autoritárias estruturas de poder da universidade de admitir conflitos e permitir a efetiva participação da comunidade acadêmica nas decisões fundamentais da instituição. Essas estruturas revelam a permanência na USP de dispositivos de poder forjados pela ditadura militar, entre os quais: a inexistência de eleições representativas para Reitor, a ingerência do Governo estadual nesse processo de escolha e a não-revogação do anacrônico regimento disciplinar de 1972.
     
    Valendo-se desta estrutura, o atual reitor, não por acaso laureado pela ditadura militar, João Grandino Rodas, nos diversos cargos que ocupou, tem adotado medidas violentas: processos administrativos contra estudantes e funcionários, revistas policiais infundadas e recorrentes nos corredores das unidades e centros acadêmicos, vigilância sobre participantes de manifestações e intimidação generalizada.
     
    Este problema não é um privilégio da USP. Tirando proveito do sentimento geral de insegurança, cuidadosamente manipulado, o Governo do Estado cerceia direitos civis fundamentais de toda sociedade. Para tanto, vale-se da polícia militar, ela própria uma instituição incompatível com o Estado Democrático de Direito, como instrumento de repressão a movimentos sociais, aos moradores da periferia, às ocupações de moradias, aos trabalhadores informais, entre outros. Por tudo isso, nós, pesquisadores da Universidade de São Paulo, alunos de pós-graduação, mestres e doutores, repudiamos o fato de que a polícia militar ocupe, ou melhor, invada os espaços da política, na Universidade e na sociedade como um todo.
     
     
     
    Fábio Luis Ferreira Nóbrega Franco – Mestrando da Filosofia-USP
    Henrique Pereira Monteiro – Doutorando em Filosofia-USP
    Patrícia Magalhães – Doutoranda em Física - USP
    Silvia Viana Rodrigues - Doutora em Sociologia-USP
    Bianca Barbosa Chizzolini – Mestranda em Antropologia-USP
    José Paulo Guedes Pinto – Doutor em Economia – USP
    Daniel Santos Garroux – Mestrando Pós-graduação em Teoria Literária – USP
    Andrea Kanikadan -  doutoradando da ESALQ-USP
    Nicolau Bruno de Almeida Leonel – Doutorando em Cinema-USP
    Paula Yuri Sugishita Kanikadan - Doutora em Saúde Pública - FSP/USP
    Luciana Piazzon Barbosa Lima - mestranda em Estudos Culturais – EACH-USP.
    Gustavo Seferian Scheffer Machado - Mestrando em Direito do Trabalho – USP
    Maria Tereza Vieira Parente - Mestranda em Arqueologia – USP
    Marcelo Hashimoto, doutorando em Ciência da Computação-USP.
    Luiz Ricardo Araujo Florence - Mestrando em Arquitetura e Urbanismo – USP
    Jade Percassi - Doutoranda em Educação - USP
    Maria Caramez Carlotto – Doutoranda em Sociologia-USP
    Georgia Christ Sarris – Doutoranda Filosofia-USP
    José Carlos Callegari - Mestrando em Direito do Trabalho - USP
    Gilberto Tedeia – Doutor em Filosofia-USP
    Anderson Gonçalves– Doutor em Filosofia-USP
    Douglas Anfra – Mestrando em Filosofia - USP
    Fábio H. Passoni Martins -  Mestrando - Depto de Teoria Literária e Literatura Comparada
    Eduardo Altheman Camargo Santos – Mestrando em Sociologia-USP
    Fernanda Elias Zaccarelli Salgueiro – Graduanda Filosofia-USP
    Guilherme Grandi - Doutor em História Econômica – USP
    Yardena do Baixo Sheery - PPG Artes Visuais – ECA-USP
    Lucia Del Picchia, doutoranda em Direito-USP
    Fernando Rugitsky, mestre em Direito-USP
    Ricardo Leite Ribeiro, mestrando em Direito-USP
    Maira Rodrigues - doutoranda em Ciência Política – USP.
    Ana Lúcia Ferraz - Doutora em Sociologia - USP.
    Daniela Silva Canella, doutoranda em Nutrição em Saúde Pública - USP Tatiana de Amorim Maranhão – Doutora em Sociologia-USP
    Ana Paula SAlviatti Bonuccelli – Mestranda em História – USP
    Anderson Aparecido Lima da Silva – Mestrando em Filosofia – USP
    José Calixto Kahil Cohn – Mestrando em Filosofia – USP
    Antonio Fernando Longo Vidal Filho – Mestrando em Filosofia –USP
    Bruna Della Torre de Carvalho Lima – Mestranda em Antropologia – USP
    Ana Paula Alves de Lavos - Mestre em Arquitetura e Urbanismo - EESC - USP
    Lucas Amaral de Oliveira – Programa de Pós Graduação em Sociologia – USP
    Bruna Nunes da Costa Triana – Programa de Pós-Graduação em Antropologia – USP
    José César de Magalhães Jr. – Doutorando em Sociologia – USP
    Eduardo Orsilini Fernandes – Mestrando em Filosofia -USP
    Ricardo Crissiuma – mestre em Filosofia USP
    Philippe Freitas – Mestrando em Música – UNESP
    Weslei Estradiote Rodrigues – Mestrando em Antropologia – USP
    Bruno de Carvalho Rodrigues de Freitas – Graduando em Filosofia – USP
    Camila Gui Rosatti – Graduando em Ciências Sociais – USP
    Martha GAbrielly Coletto Costa – mestranda em Filosofia - USP
    Rafael Gargano – Mestrando em Filosofia – USP
    Antonio David – Mestrando em Filosofia – USP
    Pedro Alonso Amaral Falcão – Mestrando em Filosofia - USP
    Lígia Nice Luchesi Jorge, PPG em Língua Hebraica, Literatura e Culturas Judaicas – USP
    Camila Rocha - Mestranda em Ciência Política - USP
    André Kaysel - Doutorando em Ciência Política – USP
    Michele Escoura - Mestranda em Antropologia -USP
    Vladimir Puzone -Doutorando em Sociologia-USP
    Arthur Vergueiro Vonk - Mestrando em Teoria Literária e Literatura Comparada - USP
    Renata Cabral Bernabé - Mestranda em História Social – USP
    Raquel Correa Simões - Graduanda em Filosofia – USP
    Danilo Buscatto Medeiros – Mestrando em Ciência Política-USP
    Ana Flávia Pulsini Louzada Bádue – Mestranda em Antropologia-USP
    Carlos Henrique Pissardo. Mestre - Dep. de Filosofia da USP e Diplomata.
    Anouch Kurkdjian – Mestranda em Sociologia-USP
    Léa Tosold - Doutoranda em Ciência Política-USP
    Pedro Fragelli - Doutor em Literatura Brasileira-USP
    Christy Ganzert Pato - Doutor em Filosofia – USP
    José Agnello Alves Dias de Andrade - Mestrando em Antropologia – USP
    Nicolau Dela Bandera - doutorando em Antropologia USP
    Felipe de Araujo Contier – Mestrando em Arquitetura-IAU-SC-USP
    Mauro Dela Bandera Arco Júnior –  mestrando em Filosofia USP
    Ane Talita da Silva Rocha - mestranda em Antropologia – USP
    Juliana Andrade Oliveira - Doutoranda em Sociologia
    Reinaldo César – Doutorando em Ciência dos Materiais - USP
    Manoel Galdino Pereira  Neto - doutor em ciência política da USP
    Carlos Filadelfo de Aquino, doutorando em Antropologia USP.
    Jonas Marcondes Sarubi de Medeiros – mestrando em Filosofia-USP
    Ana Letícia de Fiori - Mestranda em Antropologia - USP
    Gonzalo Adrián Rojas - Doutor Ciência Política USP
    Mariana Toledo Ferreira - Mestranda em Sociologia - USP
    Julia Ruiz Di Giovanni - Doutoranda em Antropologia Social
    Caio Vasconcellos - doutorando em sociologia – USP
    Reginaldo Parcianello - doutorando/Literatura Portuguesa – USP
    Fernando Sarti Ferreira - mestrando em História Econômica – USP
    Júlia Vilaça Goyatá - mestranda em Antropologia– USP
    Maria Aparecida Abreu - doutora em Ciência Política – USP
    Bruno Nadai – Doutorando em Filosofia - USP
    João Alexandre Peschanski - Mestre em Ciência Política – USP    
    Lucas Monteiro de Oliveira - Mestrando em história social – USP
    Fabrício Henricco Chagas Bastos - Mestrando em Integração da América Latina - USP
    Rafaela Pannain - Doutoranda em Sociologia- USP
    Bernardo Fonseca Machado - mestrando em Antropologia - USP
    Victor Santos Vigneron de La Jousselandière - mestrando em História - USP
    Gabriela Siqueira Bitencourt - mestre em Letras - USP
    Dalila Vasconcellos de Carvalho , Mestre em Antropologia Social-USP.   
    César Takemoto Quitário - mestrando em Letras - USP
    Maíra Carmo Marques - mestranda em Letras - USP
    Ana Carolina Chasin - doutoranda em sociologia-USP
    Dimitri Pinheiro - doutorando em sociologia-USP
    Natália Fujita – doutoranda em Filosofia – USP
    Julio Miranda Canhada – doutorando em Filosofia – USP
    Caio M. Ribeiro Favaretto Mestrando Dpto de Filosofia - USP
    Juliana Ortegosa Aggio - doutoranda em Filosofia - USP
    Bruna Coelho – mestranda em Filosofia - USP
    Ana Carolina Andrada - mestranda em Sociologia – USP
    Karen Nunes – mestranda em sociologia – USP
    Monise Fernandes Picanço - Mestranda em Sociologia – USP
    Arthur Oliveira Bueno - Doutorando em Sociologia – USP
    Guilherme Nascimento Nafalski - mestre em Sociologia – USP
    Tatiane Maíra Klein, Mestranda em Antropologia Social/USP
    Ana Paula Bianconcini Anjos - doutoranda em Letras – USP
    José Paulo Martins Junior - Doutor em ciência política – USP
    Demétrio Gaspari Cirne de Toledo - Doutorando Sociologia - USP.
    Pedro Fragelli - Doutor em Literatura Brasileira-USP
    Evandro de Carvalho Lobão - Doutor em Educação - FE/USP
    Walter Hupsel – Mestre em Ciência Política – USP
    Carina Maria Guimarães Moreira e sou doutoranda em Artes Cênicas na UNIRIO.
    Marinê de Souza Pereira - Doutora em Filosofia-USP
    Fabiola Fanti - Mestre em Ciência Política – USP
    Verena Hitner - mestre em Integracao da America Latina - USP
    Fabio Cesar Alves – Doutorando- Teoria Literária- FFLCH- USP
    Frederico Hnriques  - Mestre em Sociologia pela USP
    Fábio Pimentel De Maria da Silva - Mestre em Sociologia – USP
    Natália Bouças do Lago - mestranda em Antropologia USP
    Fábio Silva Tsunoda - mestrado em sociologia – USP
    Terra Friedrich Budini, doutoranda em ciência política – USP
    Natália Helou Fazzioni – Mestranda em Antropologia Social – USP 
    Renato Bastos - Mestre em História Econômica – USP
    Andreza Tonasso Galli - Mestranda da Sociologia -USP
    Andreza Davidian - mestranda em Ciência Política – USP
    Dioclézio Domingos Faustino - Mestrando - Filosofia – USP
    Fernando Costa Mattos – Doutor em Filosofia – USP
    Joaquim Toledo Jr - Mestre em Filosofia pela USP.
    Erinson Cardoso Otenio - doutorando em filosofia – USP
    Berilo Luigi Deiró Nosella, sou doutorando em Artes Cênicas na UNIRIO
    Rafael Alves Silva – Doutorando em Sciências Sociais – UNICAMP
    Ludmylla Mendes Lima - Doutoranda em Estudos Comparados de Literaturas de Língua Portuguesa – USP
    Tânia Cristina Souza Borges - Mestranda em Letras – USP
    Miguel Barrientos - Doutorando em Ciência Política - USP.
    Eveline Campos Hauck - Mestranda em filosofia pela USP
    Mariana Zanata Thibes - Doutoranda Sociologia – USP
    Nahema Nascimento Barra de Oliveira Mestre em Ciencias Humanas – USP
    Manoel Galdino Pereira Neto - Doutor em Ciência Política-USP
    Gonzalo Adrián Rojas - Doutor em Ciencia Politica-USP
    Miguel Barrientos - Doutorando em Ciência Política-USP
    Maria Aparecida Abreu - Doutora em Ciência Política-USP
    Pedro Feliú - Doutorando em Ciência Política - USP
    Fernando Gonçalves Marques - Doutorando em Ciência Política-USP
    Petronio De Tilio Neto - Doutor em Ciência Política-USP
    José Paulo Martins Junior - Doutor em Ciência Política-USP
    Renato Francisquini - Doutorando em Ciência Política-USP
    Júlio César Casarin Barroso Silva - Doutor em Ciência Política-USP
    Francisco Toledo Barros - Mestrando em Arquitetura e Urbanismo
    Marcia Dias da Silva - Mestre em História Social – USP
    Maira Rodrigues - doutoranda em Ciência Política - USP.
          Ivana Pansera de Oliveira Muscalu - Mestranda História Social – USP
    Renata Lopes Costa Prado – Doutoranda do Programa de Psicologia Escolar e do Desenvolvimento Humano – USP
    Emi Koide - Doutora em Psicologia - USP
    Mario Tommaso Pugliese Filho - Mestre em Literatura Brasileira - USP.
    Gabriela Viacava de Moraes - Mestranda em Literatura Brasileira - USP
    Tatiane Reghini Matos - Mestranda em Letras - USP
    Andréia dos Santos Meneses - Doutoranda em Letras - USP
    Kátia Yamamoto - Mestranda em Psicologia USP
    Lygia de Sousa Viégas  - Doutora em Psicologia Escolar e do Desenvolvimento Humano da USP.
    Daniel Gomes da Fonseca - Mestrando em Teoria Literária e Literatura Comparada - USP
    Michelangelo Marques Torres – mestrando na Unicamp e graduado pela USP
    Luana flor Tavares Hamilton - mestrança em psicologia – USP
    Renan Honório Quinalha - mestrando em Sociologia Jurídica na USP
    Adriana De Simone - Doutora em Psicologia - IP/USP
    Grazielle Tagliamento – doutorado PST – USP
    Tamara Prior- mestranda em História Social – USP
    Airton Paschoa –Mestre em Literatura Brasileira - USP
    Daniela Sequeira - mestra em Ciência Política - USP
    Thaís Brianezi Ng – doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Ciência Ambiental - USP
    Davi Mamblona Marques Romão - mestrando - PSA - Psicologia
    Rafael Godoi - Doutorando em Sociologia -USP
    Vanda Souto - Mestranda em Ciências Sociais - UNESP - Marília
    Pedro Rodrigo Peñuela Sanches - Mestrando em Psicologia USP
    Grazielle Tagliamento - Doutoranda Psicologia - USP
    Monica Loyola Stival - Doutoranda em filosofia - USP
    Tatiana Benevides Magalhães Braga Doutora em Psicologia Escolar e do Desenvolvimento Humano pela USP
    Regina Magalhães de Souza, doutora em Sociologia – USP
    Ludmila Costhek Abilio - Mestre em sociologia - USP
    Gabriela Viacava de Moraes - Mestranda em Literatura Brasileira -  USP
    Tatiane Reghini Matos - Mestranda em Letras - USP
    Andréia dos Santos Meneses - Doutoranda em Letras - USP
    Edson Teles - doutor em Filosofia – USP
    Julia Maia Peixoto Camargo - Graduanda em Ciências Sociais-USP
    Rodnei Nascimento - Doutor em filosofia - USP.
    Rafael Luis dos Santos Dall'olio - Mestrando em História Social – USP
    Ana Aguiar Cotrim - Doutoranda em Filosofia – USP
    Tercio Redondo - Doutor em Literatura Alemã – USP
    Maria Cláudia Badan Ribeiro Doutora em História Social – USP
    Pedro Mantovani- Mestrando em Filosofia- USP
    Stefan Klein - Doutorando em Sociologia - USP
    Wagner de Melo Romão, doutor em Sociologia –USP
    Maria de Fátima Silva do Carmo Previdelli -  Doutoranda em História Econômica – USP
    Felipe Pereira Loureiro - doutorando em História Econômica – USP
    Thiago de Faria e Silva - Mestre em História Social – USP
    Marcus Baccega – Doutor em História Medieval – USP
    Luciana Moreira Pudenzi - Mestre em Filosofia - USP
    Daniela Jakubaszko - Doutora em Ciências da Comunicação pela ECA-USP
    Leo Vinicius Maia Liberato, ex-pos-doutorando no Departamento de Filosofia da USP
    Maria Lívia Nobre Goes - Graduanda em Filosofia-USP
    Agnaldo dos Santos - Doutor em Sociologia - USP
    Annie Dymetman doutora em Ciências Sociais – USP
    Evandro NoroFernandes – Mestre em Geografia- USP
    Wilma Antunes Maciel  -  Doutora em História Social – USP
    Luciano Pereira - Doutor em filosofia -  USP
    Guilherme Varella, mestrando em Direito de Estado
    Constância Lira de Barros Correia Rodrigues Costa - Mestranda em Ciência Política - USP
    Ester Gammardella Rizzi - Mestre em Filosofia e Teoria Geral do Direito - USP
    Cristiana Gonzalez  - mestranda em sociologia – USP
    Rafaela Aparecida Emetério Ferreira Barbosa - Mestranda em Direito do Trabalho - USP
    Franco Nadal Junqueira Villela - Mestre em Ciência Ambiental – USP
    Clara Carniceiro de Castro, doutoranda em Filosofia-USP
    Marcelo Netto Rodrigues - mestrando em Sociologia – USP
    Elisa Klüger – mestranda em sociologia – USP
    Marilia Solfa - Mestre em Arquitetura - USP
    Pedro Feliú - Doutorando em Ciência Política - USP.
    Renato Francisquini, doutorando em Ciência Política - USP
    Júlio César Casarin Barroso Silva - doutor em Ciência Política - USP
    Andreza Davidian - mestranda em Ciência Política - USP
    Andrea Kanikadan - doutorando em Ecologia Aplicada na ESALQ em Piracicaba.
    Miguel Barrientos - Doutorando em Ciência Política - USP
    Diogo Frizzo - Mestrando em Ciência Política - USP
    Vinicius do Valle - Mestrando em Ciência Política – USP
    Carolina de Camargo Abreu - Doutoranda em Antropologia - USP
    Tatiana Rotolo- Mestre em Filosofia pela USP
    Pedro Ivan Moreira de Sampaio - Graduando em Direito PUC-SP e Filosofia - USP
    Thaís Brianezi Ng, doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Ciência Ambiental – USP
    André-Kees de Moraes Schouten - Doutorando em Antropologia Social – USP
    Alvaro Pereira - Mestre em Direito – USP
    Vinícius Spira - mestrando em Ciências Sociais - USP
     Rafael Faleiros de Pádua, doutorando em Geografia-USP
    André Luis Scantimburgo - Mestrando em Ciências Sociais pela UNESP de Marília/SP.
    Rosemberg Ferracini - Doutorando em Geografia Humana - Universidade de São Paulo – USP
    Lucas Brandão - Mestrando em Sociologia-USP
    Márcia Cunha - doutoranda em Sociologia - USP
    Nilton Ken Ota - doutor em Sociologia - USP
    Felipe Figueiredo - Bacharel em Letras - USP
    Bruno Boti Bernardi - Doutorando em Ciência Política - USP
    Roberta Soromenho Nicolete - Mestranda em Ciência Política – USP
    Lara Mesquita - Mestre em Ciência Política – USP
    Milene Ribas da Costa - Mestre em Ciência Política - USP
    Katya dos Santos Schmitt Parcianello - mestranda em História Econômica/ USP
    Alcimar Silva de Queiroz - Doutor em Educação - USP
    Paulo Vinicius Bio Toledo - mestrado Artes Cênicas
    Ruy Ludovice – mestrando em Filosofia – USP
    Pollyana Ferreira Rosa - Mestranda em Artes Visuais - USP
    Patrícia de Almeida Kruger - Mestranda em Letras – USP
    Giselle Cristina Gonçalves Migliari - Mestranda em Literatura Espanhola – USP
    Wellington Migliari - Mestre em Literatura Brasileira - USP
    Diana P. Gómez - Mestranda Antropologia Social
    Simone Dantas - Mestranda em Letras-USP
    Eduardo Zayat Chammas, mestrando em História Social – USP
    Maristela de Souza Pereira - Doutoranda em psicologia – USP
    Virginia Helena Ferreira da Costa  - Mestranda em filosofia – USP
    Gustavo Motta - mestrado Artes Visuais – USP
    Paula Maciel Barbosa - doutoranda em Literatura Brasileira – USP
    Francisco Prata Gaspar – doutorando em Filosofia – USP
    Gustavo Goulart Moreira Moura -Doutorando do Programa de Pós-graduação em Ciência Ambiental – USP
    Luiz Fernando Villares, doutorando Faculdade de Direito – USP

     
    ---------------------

    João Carlos Holland de BarcellosJocax ‒ sábado, 12 novembro 2011, 14:13 -02 # Link |

Você deve entrar no sistema para escrever um comentário.

Termo de Responsabilidade

Todo o conteúdo desta página é de inteira responsabilidade do usuário. O Stoa, assim como a Universidade de São Paulo, não necessariamente corroboram as opiniões aqui contidas.