www.flickr.com
Este é um módulo do Flickr que mostra as fotos públicas de Mauricio Kanno. Faça o seu próprio módulo aqui.

Stoa :: Maurício Kanno :: Blog :: Pessoas confusas com super-poderes, não "heróis" (e um tutorial para assistir séries de TV pela internet)

setembro 29, 2007

default user icon
Postado por Maurício Kanno

Ufa, enfim consegui terminar meu projeto, currículo e reunir toda a papelada para me inscrever no mestrado... Ufa!!! Q trabalhão!

Agora vou aproveitar pra falar de outra coisa, bem menos polêmica (que vegetarianismo e direitos animais), apesar de meio atrasado. O próprio Francisco, meu colega de Ludus Culturalis, já havia anunciado: começou esta semana, após meses de espera pelos admiradores, a segunda temporada da super-série Heroes! É uma série de televisão que vem sendo exibida nos EUA, e está tendo muito sucesso com o público e a crítica. Veja um gostinho desta segunda temporada abaixo:



Aqui você pode ver também o começo do primeiro episódio da primeira temporada:

O que tem de interessante nela? Personagens com super-poderes, mas que não são de fato "heroes" ou "heróis", como se diz no título... bem, de vez em quando até dão uma de heróis, tentando salvar o mundo e tal, mas não é a regra. e seus poderes nem sempre são muito úteis (ou a turma não usa direito, como poderíamos esperar que usassem), nem usam uniformes colantes com cueca pra fora... são pessoas na medida do possível normais.

E o roteiro, o drama estabelecido nas histórias também é muito interessante. E não é centrado em nenhum personagem específico; mas em sua rede. (Algo parecido com Lost; mas como costumam dizer, Heroes resolve seus enigmas). É tão bom que pessoas comuns, como minha esposa, adorou e ficou fascinada! (Ela não gosta dos meus gibis de super-heróis... Nem de RPG.)

Onde assistir

Bem, onde você pode assistir? Tem algumas opções, mas a melhor que encontrei é pegando os episódios pelo site Brazil Séries, cujos links indico abaixo.

-Aqui tem os 23 episódios da primeira temporada.

--Aqui tem a segunda temporada.

Mais especificamente, por enquanto só saiu um episódio da segunda temporada, mas na segunda-feira já sai mais. Bem, pegue esse primeiro episódio aqui. (se você já assistiu a primeira temporada, lógico!)

Aí tem na verdade a descrição e algumas opções para download. Eu consegui direto na opção do site XPG, no sub-título RMVB com legendas. Ou seja, aqui.

Como assistir

Bem, e você poderia perguntar: por que não pegar o AVI sem legenda? AVI é um formato de vídeo que conheço! Nunca ouvi falar desse tal RMVB! Pois é, eu também nunca tinha ouvido falar. Até conhecer Heroes, e descobrir que RMVB é beeem mais leve que AVI. E tem uma boa qualidade ainda. Ah, e se você puder ouvir inglês nuumaa boa, além de ter uma óootima conexão também, fique à vontade, para pegar o AVI sem legenda. Bem, e até dá pra depois de um processo complexo (digo isso porque não consegui) botar as legendas separadas no AVI sem legenda e assistir junto... Mas acho que não vale a pena.

Então recomendo o RMVB. Como assistir? O Windows Media Player não toca! Vou precisar do software Real Player? Não, não pegue, em geral esse software costuma ser pedido pelo RMVB, mas é um software tremendo de um chato, que não funciona direito, e fica entupindo seu computador com outras coisas. Pegue o Media Player Classic for Windows, por aqui.

Isso se você usar Windows, claro.

Linux

Se você preferir usar Linux (por exemplo, Ubuntu, a distribuição aparentemente mais fácil do Linux), é bem mais complicado. Quem está dizendo não sou eu, é Daniel Neves, que conta em seu blog que após uma grande aventura épica conseguiu descobrir um jeito pra dar certo, trabalhoso, mas que resolve. Infelizmente, o link que nos passa está fora do ar. Mas achei o link certo depois. Basta clicar aqui, e verá como usar RMVB no seu Linux Ubuntu.

Para quem manja de códigos e compilações (não é meu caso), pode seguir as instruções de Leandro Santiago da Silva. Basta clicar aqui e verá. A distribuição Linux que ele usou foi Slackware (uma das "distros" famosa por ser mais complicada).

YouTube

E é claro, você também pode assistir, independente do sistema que usa, pelo YouTube. Mas não encontrei episódios em vídeos únicos, apenas em partes. Creio que eles estão quebrados em 6 partes cada episódio. E como não gosto de ficar a todo momento interrompido, enquanto assisto algo... Não recomendo tanto assim este procedimento. Mas que é prático e fácil é, ainda mais que já selecionei ao menos as 6 partes do primeiro episódio da primeira temporada aqui pra você! Então aproveite! E viva a Web 2.0!

Parte 1



Parte 2



Parte 3



Parte 4



Parte 5

Parte 6

Palavras-chave: AVI, Brazil Séries, Heroes, heróis, linux, RMVB, série de tv, software, software livre, software proprietário, super-poderes, supers, Ubuntu, vídeo, Windows, xpg

Esta mensagem está sob a licença CreativeCommons Atribuição.

Postado por Maurício Kanno

Comentários

  1. Francisco escreveu:

    Hola Mauricio!!

    Amigo, se vc realmente deseja assistir online, porque não vai direto ao site da NBC? Eles quebraram o pau com a apple e nnao mais disponibilizam suas séries para vender no iTunes, ao invés disso, permitem que vc assista online por uma semana, gratuitamente, direto no site da emissora (também é possível baixar o episódio)

     

    tá dado o toque.... e aquela nossa reunião virtual, quando rola? 

    macassisFrancisco ‒ sexta, 28 setembro 2007, 23:01 -03 # Link |

  2. Maurício de Paula Kanno escreveu:

    ué, e depois de uma semana, como fica? de td modo, vou dar uma passada no site deles pra experimentar... aliás, tb quero ver um dia os quadrinhos q eles disponibilizam.

    Maurício KannoMaurício de Paula Kanno ‒ sábado, 29 setembro 2007, 09:29 -03 # Link |

  3. kaliel.pokemon.@hotmil.com escreveu:

    eu ainda nao entendi como controlar meus poderes

    default user iconkaliel.pokemon.@hotmil.com ‒ segunda, 23 fevereiro 2009, 21:26 -03 # Link |

Você deve entrar no sistema para escrever um comentário.

Termo de Responsabilidade

Todo o conteúdo desta página é de inteira responsabilidade do usuário. O Stoa, assim como a Universidade de São Paulo, não necessariamente corroboram as opiniões aqui contidas.