Stoa :: Software Livre - Sociedade Livre :: Blog :: Microsoft leva o Office para a web e Adobe segue

outubro 08, 2007

user icon
Por IDG News Service
01 de outubro de 2007 - 08h00

Em linha com sua estratégia de oferecer software como serviço, a Microsoft anunciou nesta segunda-feira (01/10) o serviço Microsoft Office Live Workspace, recurso do pacote Office baseado na web que permite às pessoas acessar seus documentos online e compartilhá-los com outros.

A nova estratégia representa uma mudança em relação ao modelo adotado até agora pela companhia, de vender licença de softwares que rodam localmente em computadores, e torna a Microsoft um pouco mais próxima de seu principal rival Google, que oferece versões online de seus aplicativos de produtividade.

Outro competidor, a Adobe Systems, anunciou hoje que assinou um acordo definitivo para adquirir a Virtual Ubiquity Inc., que tem um processador de palavras online, o Buzzword.

A Adobe também adicionou um serviço de compartilhamento de arquivos ao seu serviço de documentos online. Apelidado de Share, o serviço, ainda em beta, vai tornar mais fácil o compartilhamento, a publicação e organização de documentos online, segundo a companhia. Ele foi construído com o Adobe Flex e roda no Adobe Flash Player.

(fonte: http://gnusp.cjb.net/portal/index.php?option=com_content&)

Palavras-chave: acordo, Adobe, Adobe Flash Player, Adobe Systems, arquivos, Beta, Buzzword, compartilhamento, compartilhamento de arquivos, computador, computadores, documentos, estratégia, Flash, Google, internet, Live Workspace, Micro$oft, Microsoft, MS, MS Office, net, Office, on-line, online, pacote, processador, recurso, recursos, rival, serviço, serviços, Share, sharing, software, texto, textos, Virtual Ubiquity, web, Wokspace

Postado por Priscila Frohmut Fonseca em Software Livre - Sociedade Livre

Você deve entrar no sistema para escrever um comentário.

Termo de Responsabilidade

Todo o conteúdo desta página é de inteira responsabilidade do usuário. O Stoa, assim como a Universidade de São Paulo, não necessariamente corroboram as opiniões aqui contidas.