Stoa :: Gloria Kreinz :: Blog

abril 01, 2012

user icon
Postado por BADI

Corre na Camara dos Deputados o Projeto para reconhecer o ensino domiciliar. Vindo de onde vem, PR - Partido da Republica, o Partidos dos Pastores, fica clara a intenção de repetir tecnicas usadas pelas religiões nos EUA, que aproveitam as aulas ministradas fora do regime publico para acentuar a pregação e ensinar evolucionismo e todas as outras boas lições de Deus Pai Todo Poderoso.

O QUE VOCE ACHA DESTA BOA OBRA?

O Congresso Nacional decreta:
Art. 1º O art. 23 da Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, passa a vigorar acrescido do seguinte parágrafo:

"Art. 23

§ 3º É facultado aos sistemas de ensino admitir a educação básica domiciliar, sob a responsabilidade dos pais ou tutores responsáveis pelos estudantes, observadas a articulação, supervisão e avaliação periódica da aprendizagem pelos órgãos próprios desses sistemas, nos termos das diretrizes gerais estabelecidas pela União e das respectivas normas locais."
Art. 2º Esta lei entra em vigor na data de sua publicação.
JUSTIFICAÇÃO
A Constituição Federal estabelece a educação como um dever do Estado e da família (art. 205). Determina também a obrigatoriedade da educação básica, dos 4 aos 17 anos de idade (art. 208, I).

Minha opinião creio já estar bem clara, mas posso explicitá-la ainda mais: SOY CONTRA!

Não apenas pelo perrigo de deixar doido ensinando crianças dentro de casa. Calma... Não estou falando dos Pastores, que também podem ser bem doidos, mas, no caso, refiro-me a qualquer doido que sabemos existir por aí. Não apenas por isso, portanto, mas porque corre-se o risco de perder uma infancia por impericia e principalmente, porque esta é aquela obra com conceito de Estado minimo, que é muito bom para Paises que explora outros povos, como o Americano. Gente que vive do produto de seu trabalho apenas, tem de ter o Estado assegurando direitos basicos, que é o caso da educação.

JUSTIFICAÇÃO
A Constituição Federal estabelece a educação como um dever do Estado e da família (art. 205). Determina também a obrigatoriedade da educação básica, dos 4 aos 17 anos de idade (art. 208, I).
Liderança do Bloco - Praça dos Três Poderes, Câmara dos Deputados, Sala 122 - Corredor das Lideranças
Tel: 61-32155950 FAX: 61-32159577
Câmara dos Deputados
Gabinete da Liderança do Bloco PR/PTdoB/PRP/PHS/PTC/PSL
É fato que, na realidade brasileira, a oferta desse nível de ensino se faz tradicionalmente pela via da educação escolar. Não há, porém, impedimento para que a mesma formação, se assegurada a sua qualidade e o devido acompanhamento pelo Poder Público certificador, seja oferecida no ambiente domiciliar, caso esta seja a opção da família do estudante. Garantir na legislação ordinária essa alternativa é reconhecer o direito de opção das famílias com relação ao exercício da responsabilidade educacional para com seus filhos.
Mesmo que a matéria de que trata a solicitação já tenha sido objeto de proposições apresentadas em legislaturas anteriores e tais projetos foram recorrentemente rejeitados, o respeito à liberdade inspira a reapresentação do presente projeto de lei, sem descuidar do imperativo em dar acesso, a cada criança e jovem, à formação educacional indispensável para sua vida e para a cidadania.
Estou seguro de que a relevância da proposição haverá de assegurar o apoio dos ilustres Pares para sua aprovação.
Sala das Sessões, em de de 2011.

Este post é Domínio Público.

Postado por BADI | 0 comentário

março 28, 2012

user icon
Postado por BADI

 

Atividade promovida pelo PNUD visa capacitar profissionais que trabalham em projetos de cooperação técnica internacional

Divulgação/PNUD
Leia também
Seminário debate atuação do PNUD 

Cooperação será ferramenta usada para melhorar gestão pública no país 

Projetos da ONU pelo mundo oferecem oportunidades para empresas brasileiras

do PNUD

 

Servidores públicos e demais profissionais que trabalham em projetos de cooperação técnica internacional têm mais uma oportunidade para conhecer os procedimentos administrativos relativos à execução dessas atividades. O Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) promove, nesta quarta e quinta-feira (14 e 15 de março), em Brasília, a sétima edição do Encontro Informativo sobre Execução de Projetos: Como trabalhar com o PNUD.

 

Durante o enconto, os participantes receberão uma série de informações para facilitar e agilizar a execução de projetos. Com isso, espera-se que a cooperação técnica seja mais eficiente e que as equipes estejam mais preparadas para trabalhar com o PNUD, evitando equívocos comuns que consomem tempo e trabalho.

 

No primeiro dia do curso, serão discutidos aspectos gerais da cooperação internacional, como marco regulatório, modelos de execução, responsabilidades e divisão de trabalho entre as partes, monitoramento e avaliação e auditoria; contratações de pessoas física e jurídica; e procedimentos administrativos sobre contratos corporativos. No segundo dia, serão abordadas as ferramentas de gestão e monitoramento.

 

“Essas atividades são importantes para que os participantes tenham uma visão da organização internacional da qual são parceiros e de como todas as etapas do processo se interligam até o resultado final do projeto”, avalia Maristela Marques Baioni, Coordenadora de Programa do PNUD.

 

A última edição do Encontro Informativo sobre Execução de Projetos promovida pelo PNUD ocorreu em janeiro de 2012 e contou com cerca de 50 participantes. A atividade foi focada nas equipes de projeto que estão começando a trabalhar com o organismo, e ofereceu a oportunidade para a troca de experiências, informações e aprendizado, aproximando as diversas partes envolvidas na execução dos projetos.

 

Este post é Domínio Público.

Postado por BADI | 0 comentário

março 24, 2012

user icon
Postado por BADI

 

AH! SE EU PUDESSE DIZER COMO TE AMO

SE EU PUDESSE DIZER COMO TE AMO

EU DIRIA QUE TE AMO MAIS

MAIS DO QUE PENSO

MAIS DO QUE SOU

MAIS DO QUE TENHO

MAIS DO QUE DOU

EU QUERIA PODER CONTAR

MOSTRAR O TAMANHO DO MEU AMOR

MOSTRAR QUE NÃO TEM TAMANHO

DE TÃO TAMANHO QUE É O MEU AMOR

AH! SE EU PUDESSE DIZER COMO TE AMO

 

AH! SE EU PUDESSE DIZER COMO TE AMO

EU DIRIA QUE TE AMO TANTO

E QUE O TANTO QUE EU TE AMO

É TANTO E TANTO E TANTO

QUE OS MEUS OLHOS TURVAM

OS MEUS OUVIDOS NUBLAM

E O MEU CORPO ENTONTECE

AH!  SE EU PUDESSE

SE EU PUDESSE

EU DIRIA O TANTO QUE TE AMO

EU DIRIA SIM

SE EU PUDESSE

 

AH! SE EU PUDESSE DIZER COMO TE AMO

EU DIRIA SIM

DE LÁ DE DENTRO DO MEU CORAÇÃO

QUE TE AMO

ALÉM DAS IMAGENS

ALÉM DOS SONS

ALÉM DAS PALAVRAS

EU DIRIA O TANTO QUE TE AMO

E MESMO SEM NADA

SEM ALMA

ESTIVESSE EU

INTUMADO

EM BRUMAS

DE OLHOS E OUVIDOS LÚGUBRES

NO SILENCIO DE UM CORPO MUDO

DE LÁ DE DENTRO DO MEU CORAÇÃO

EU DIRIA

QUE TE AMO ALÉM DE TUDO

 

EU DIRIA SIM

EU DIRIA O TANTO QUE TE AMO

 

AH! SE EU PUDESSE DIZER COMO TE AMO

 

SE EU PUDESSE DIZER COMO TE AMO

EU DIRIA QUE TE AMO

QUANDO O SOL SE PÕE

QUANDO A CHUVA MOLHA

QUANDO A LUZ ILUMINA

QUANDO SOPRA FORTE O VENTO

EM QUALQUER MOMENTO

MESMO QUANDO TROVÃO RONCA DISTANTE

SÓ PARA CHAMAR NOSSA ATENÇÃO

EM NOME DAS COISAS DO FIRMAMENTO

 

MESMO NESSA HORA

EU DIRIA QUE TE AMO

 

E QUE TE AMO

SOBRE TODAS AS COISAS DO UNIVERSO

SOBRE O SIM E O NÃO

SOBRE A VIDA E A MORTE

SOBRE DAR E RECEBER

ATÉ MESMO SOBRE A DOR DE TE PERDER

SE EU PUDESSE DIZER COMO TE AMO

POR DEUS

EU DIRIA SIM

EU DIRIA QUE TE AMO SOBRE TUDO

TUDO SIM

TUDO QUE HÁ SOB ESSE CÉU

E SOBRE TUDO ALÉM DESSE MUNDO

ATÉ MESMO ALÉM DE MIM

 

AH! SE EU PUDESSE DIZER COMO TE AMO

AH! SE EU PUDESSE DIZER COMO TE AMO

AH! SE EU PUDESSE DIZER COMO TE AMO

 

Este post é Domínio Público.

Postado por BADI | 0 comentário

março 19, 2012

user icon
Postado por BADI

"Mais grave ainda que a fome aguda e total, devido às suas repercussões sociais e econômicas, é o fenômeno da fome crônica ou parcial, que corrói silenciosamente inúmeras populações do mundo".

Josué de Castro.


É importante saber que a necessidade de se combater a fome e a extrema pobreza é uma percepção que se ampliou ao longo do tempo, partindo de uma preocupação mais limitada ao âmbito da igreja e ao conceito de caridade para abranger ao estado num plano institucional, até abarcar a Sociedade Civil organizada na condição de agente condutor e indutor de Políticas Públicas voltadas para a solução dessa demanda.
E toda essa caminhada exigiu por parte dos agentes públicos e dos intelectuais a formulação e a reformulação dos conceitos, na medida em que avançaram os conhecimentos nessa área.
Pôde-se ver claramente, até pelos programas da Fao, ao longo dos anos que, se até inicio do Século XX, o combate à pobreza estava extremamente ligado ao combate à fome sendo, portanto, passível de controlá-las através de ações caridosas, a partir de meados desse mesmo século, as iniciativas sofreram transformações substancias.

No primeiro momento de alteração no tratamento do problema da pobreza, houve o entendimento de que tal obstáculo não podia ser vencido tão somente através de soluções esporádicas e locais, mas, a erradicação dessa situação era de responsabilidade do Estado. E nesse contexto, ainda que durante muito tempo, principalmente em face do Período Ditatorial, se guardasse o cerne de prover alimento para grupos limitados, os programas ganharam mais institucionalidade dentro do governo, até que, a partir dos anos 1990, a estruturação de tais iniciativas sofreu uma significativa reformulação e as Políticas Públicas de combate à pobreza substituíram o caráter foquista por uma visão mais generalista e também trataram de estruturar-se utilizando mais comumente a renda como fonte de recursos a fim garantir a alimentação de seus públicos.

O Programa Bolsa Família surgiu na atmosfera social do início do século XXI, aonde a importância do combate à extrema desigualdade perpetuada no Brasil, ganhou contornos de condição primordial para o desenvolvimento do País. E o sucesso do Plano foi imediato e rapidamente angariou resultados satisfatórios reconhecidos no mundo inteiro. Dessa forma, com o efetivo combate a extrema pobreza em curso, não houve somente o atendimento de um querer geral, mas também o cumprimento de obrigações que foram relegadas a segundo plano por vários governos.
Contudo, na condução dos debates no legislativo uma série de condicionantes foi introduzida no programa. Notadamente, condições voltadas a prover incentivos à educação, saúde e contra o trabalho infantil nas Famílias sujeitas à transferência da renda. E tais condicionantes também surtiram os resultados esperados envidando postura mais produtiva no que diz respeito à construção da própria cidadania dentre os elementos participantes do programa.

Então, em uma analise mais objetiva, o Bolsa Família existe para atender à constituição, em seu Artigo 3º, quanto ao combate a Extrema pobreza, e também aos Objetivos de erradicar a fome e a pobreza até 2015, conforme compromisso do Brasil junto a ONU.

Sendo assim, as metas dessa iniciativa estatal estão calcadas nesses parâmetros e, para gerenciá-las com autoridade e competencia, criou-se um Ministério especifico cuja denominação para o melhor de sua atuação, bem o delimita na esfera do Desenvolvimento Social e Combate à Fome.

Portanto, em minha opinião, as condicionantes propostas para o programa, que se esmeram em cuidar da educação, saúde e trabalho infantil, na verdade são desviantes daquilo que é central no Bolsa Família, qual seja; Combater a pobreza extrema.
Devemos reconhecer que para cada condição imposta no Programa, há um Ministério próprio, responsável pelo desenvolvimento de tais atividades, e que poderia e deveria atuar diretamente nesse extrato da população e com a mesma intensidade que dispensa o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome para levar a cabo os objetivos do Bolsa família.
Diante dessa realidade, eu defendo que o Bolsa Família deva ser apenas o colchão que eleva a população miserável a um nível superior ao da extrema pobreza e assim permita que outras iniciativas retirem os elementos dessa condição, um tanto mais favorecida, e os incentive buscar mais cidadania.
Nessa idéia, considerando que a inexistência do programa recolocaria aqueles com direito à transferência de renda num nível de miserabilidade absoluto, podemos concluir que a partir dessa iniciativa, os participantes do Bolsa Família estão melhores posicionados para progredir, facilitando sobremaneira o desenvolvimento de Planos de incentivo à educação, saúde e contra o trabalho infantil, promovidos pelos respectivos ministérios responsáveis por tais áreas. Pelo que se reforça a tese de não haver necessidade das condicionantes no âmago do Programa.

Por derradeiro, poder-se-ia até considerar ilegal promover-se a perda do direito à Bolsa, mesmo no caso de não cumprimento de condicionalidades, pois que, stricto sensu, o próprio estado estaria deixando de cumprir obrigação constitucional de combater a extrema pobreza de forma deliberada.
E ainda há que se considerar uma última argumentação no campo da analogia, visto que, mesmo inspirado em Josué de Castro, entendendo a primordialidade do combate à fome, mesmo assim, eu aceito que a hierarquização de Políticas Públicas é uma necessidade imposta pelo orçamento. Mas, não posso aceitar que o Combate à Miséria esteja em segundo plano, quando confrontado com as ações de educação e saúde, posto que as condicionalidades, quando não cumpridas, retiram da família menos zelosa o provimento a que tinham direito, conforme manda a lei.
Imagino se as condicionantes fossem utilizadas do mesmo modo como se usa no bolsa família, mas com outras atividades do estado. Claro, assim como se aceita para o programa de transferência de renda, também para outras políticas publicas tais condicionalidades existiriam com o mesmo intuito de incentivar o cidadão ao movimento de buscar mais cidadania.
Quando confrontados com esse exercício de analogia, tenho certeza de que todos aqueles que apoiam as condicionalidades para o desenvolvimento do Bolsa Família e que podem, nesse instante, estar imaginando o absurdo de minha proposta contraria a elas, ficariam pasmos diante de impensáveis condições.
Suponhamos então, que houvesse algum tipo de comprometimento no sentido de punir a família no caso de não matricula dos filhos e que a pena fosse a proibição de lhes serem ministradas vacinas. Por outro lado, vice versa, no caso de não cumprimento no Calendário de vacinação, seria negado o acesso à escola para os desafortunados.
Não há dúvida da impropriedade da proposta, contudo, é exatamente o que se faz a partir das condicionantes no Bolsa família. Condena-se os elementos à retornar para o limbo como se não fosse obrigação do Estado tirá-lo dali e sua condição de cidadão somente lhe fora garantida na expectativa de cuidar da educação e da saúde, como fossem tais iniciativas mais importantes do que a vida com o mínimo de dignidade, como aquela conquistada pelo ingresso no Programa.

PELA DIGNIDADE SEM CONDICIONANTES.
É o que gostaria de debater sinceramente.

 

Bolsa Família 

O Bolsa Família é um programa de transferência direta de renda com condicionalidades, que beneficia famílias em situação de pobreza e de extrema pobreza.

O Bolsa Família atende mais de 13 milhões de famílias em todo território nacional. A depender da renda familiar por pessoa (limitada a R$ 140,00), do número e da idade dos filhos, o valor do benefício recebido pela família pode variar entre R$ 32,00 a R$ 306,00.

Artigo 3º da Lei 10.836 que criou o Bolsa Familia
Art. 3o A concessão dos benefícios dependerá do cumprimento, no que couber, de condicionalidades relativas ao exame pré-natal, ao acompanhamento nutricional, ao acompanhamento de saúde, à frequência escolar de 85% (oitenta e cinco por cento) em estabelecimento de ensino regular, sem prejuízo de outras previstas em regulamento.

 

DAS CONDICIONALIDADES

Art. 2º São condicionalidades do PBF, de acordo com o art. 3° da Lei n° 10.836, de 2004, e com os arts. 27 e 28 do Decreto nº 5.209, de 2004:

I - na área de educação:

para as crianças ou adolescentes de 6 (seis) a 15 (quinze) anos de idade, a matrícula e a frequência mínima de 85% (oitenta e cinco por cento) da carga horária escolar mensal; e

para os adolescentes de 16 (dezesseis) e 17 (dezessete) anos de idade, cujas famílias recebam o Benefício Variável Vinculado ao Adolescente - BVJ, a matrícula e a frequência mínima de 75% (setenta e cinco por cento) da carga horária escolar mensal;

II - na área de saúde:

para as gestantes e nutrizes, no que couber, o comparecimento às consultas de pré-natal e a participação nas atividades educativas sobre aleitamento materno e cuidados gerais com a alimentação e saúde da criança; e

para as crianças menores de 7 (sete) anos, o cumprimento do calendário de vacinação e o acompanhamento do crescimento e desenvolvimento infantil;

III - para as crianças e adolescentes de até 15 (quinze) anos, em risco ou retiradas do trabalho infantil, a frequência mínima de 85% (oitenta e cinco por cento) da carga horária relativa aos serviços sócio-educativos e de convivência, conforme estabelecido no art. 13 da Portaria/MDS nº 666, de 28 de dezembro de 2005


 

 

Este post é Domínio Público.

Postado por BADI | 0 comentário

março 18, 2012

user icon
Postado por ON

HOMENAGEM A MANUEL CALVO HERNANDO NO INÍCIO DESTE BLOG

 

 

SALVAREMOS PELOS SEUS DOCUMENTOS E TARDES E NOITES, PASSADOS COM PAVAN E EQUIPE, NO NJR, ONDE NÃO CABE JOVENS MAURICINHOS E SUAS COMPANHEIRAS DESLUMBRADAS QUERENDO APARECER.SALVAREMOS PELO QUE SOMOS, E PELO QUE APRENDEMOS COM OS SENHORES MESTRES. AMOR PELA VERDADE, SEM DISCURSOS SUPERFICIAIS.

CITAÇÃO DAS DECLARAÇÕES DO PROFESSOR AZIZ AB' SABER SOBRE O NÚCLEO JOSÉ REIS, PARA O JORNAL DO CAMPUS, EM 20 DE OUTUBRO DE 2010. E AGORA, MESTRE?

De acordo com o geógrafo e professor emérito da USP, Aziz Ab’Saber, “o acervo é muito importante e precisa ser bem protegido e bem exposto”. Aziz conheceu José Reis e confirma ter dado palestras e participado de um evento no núcleo ainda este ano. O professor é citado por Osmir Nunes numa carta à Pró-Reitoria como um dos apoiadores do núcleo. Apesar de desconhecer a carta, Aziz manifesta apoio à equipe em relação ao acervo: “eu conheço o trabalho deles e admiro muito”

.............................................

HOMENAGEM EMOCIONADA DE MEMBRO DA EQUIPE AO SABER DA MORTE DO MESTRE

Parceira, pequena homenagem ao professor Aziz ...
um grande vencedor ... feito Pavan e Reis

Beijos e beijos ...



Geografia de um Vencedor


Na sinuosa geografia da vida
fostes um incansável
Como poucos,
atravessou os mais irregulares relevos
superando declives
e fazendo-se ainda mais forte nos elevados

Razão da qual, latitude
e longitudinalmente falando,
de tão grandiosas tuas conquistas,
escapam a quaisquer tipos de medições

E assim fostes, professor,
até o último dos teus dias
quando finalmente partistes
para fazer tua tão justa morada
na verdejante planície de nossa memória

Marcelo Roque





Homenagem da equipe do Núcleo José Reis de Divulgação
Científica e ABRADIC, ao geógrafo e amigo Aziz Ab'Saber,
falecido no dia 16 de março

Com todo o nosso respeito, professor

Palavras-chave: AZIZ AB' SABER, CRODOWALDO PAVAN, DIVULGAÇÃO CIENNTÍFICA, GLÓRIA KREINZ, JOSÉ REIS, JOVENS DESLUMBRADAS, MARCELO ROQUE, MAURICINHOS PÓS MODERNOS, NÃO NO NÚCLEO JOSÉ REIS, NÚCLEO JOSÉ REIS, TRABALHO DE 20 ANOS, WIKIPEDIA

Este post é Domínio Público.

Postado por ON | 0 comentário

março 17, 2012

user icon
Postado por ON

 

MARCELO ROQUE, EQUIPE ABRADIC/NJR

 

MESTRE, QUANDO ALGUNS NEGARAM OS IDEAIS DE PAVAN E JOSÉ REIS O SR PERMANECEU CONOSCO...PERMANECEREMOS COM O SR., ESTRELA E INCENTIVO...

ONTEM, SEGUNDO RUTE ANDRADE, O SR. ESTAVA NA SBPC. HOJE VIROU ESTRELA, VENTO NOS SEUS CAMPOS AMADOS...ESTAMOS COM O SR.

EQUIPE ABRADIC/NJR

O Jardineiro de biomas

OSMIR NUNES

 

Aziz Ab’Saber costumava contar, nas palestras de abertura do Curso de Especialização de Divulgação Científica do NJR/USP, uma das suas inúmeras histórias de vida pessoal, que se misturavam com as suas atividades científicas. Dizia, que quando foi contratado para trabalhar na USP começou sua carreira recebendo salário de jardineiro. Mesmo a sisudez de Crodowaldo Pavan jamais reagia quanto à verdade  poética da história. Aliás, no Núcleo José Reis de Divulgação Científica, os dois grandes cientistas faziam questão de, semestralmente, de realizarem suas aulas magnas de divulgação científica. Faziam questão nessas aulas/debate da presença da amiga Glória Kreinz, que contribuía com mais intensidade nos debates, que eram uma aula à parte.

Aziz, geógrafo de fama internacional, foi mais um dos grandes cientistas da geração pós  fundação da SBPC que trazia na veia o prazer da divulgação científica. Não bastava ficar na instituição, no caso a USP, ministrando aulas, pesquisando no campo, era necessário ir mais longe, partir para a ação. Nesse caso esse amigo de José Reis pegou gosto cedo em editar livros, escrever para publicações populares, fazer política e falar diretamente com a sociedade. A sociedade, no caso de Aziz, eram os catadores de lixo, índios, enfim toda população expropriada de bens e direitos.

As populações periféricas sempre mereceram atenção do professor. Em outubro de 2004, por ocasião da 1ª Semana Nacional de Ciência e Tecnologia reuniram-se Aziz Ab’Saber, Pavan e Glória Kreinz para fazer uma palestra para alunos do CEU Butantã. Os alunos aproveitaram e convidaram os pais e estes trouxeram vizinhos, conhecidos e de repente o espaço era pequeno demais para ouvir aqueles cientistas que falavam numa linguagem que eles entendiam.

A divulgação científica está de luto. A história de Aziz e as suas histórias permanecem.

 

Mais sobre o falecimento de Aziz nos links:

http://pt.wikipedia.org/wiki/Aziz_Ab'Saber

http://www1.folha.uol.com.br/ciencia/1062853-morre-aziz-absaber-decano-da-geografia-fisica-no-brasil.shtml

http://g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia/2012/03/geografo-aziz-absaber-morre-aos-87-anos-em-sp.html

http://www.estadao.com.br/noticias/vidae,morre-o-geografo-aziz-absaber,849376,0.htm

http://www.youtube.com/watch?v=RyZllwll79E

Este post é Domínio Público.

Postado por ON | 0 comentário

março 10, 2012

user icon
Postado por BADI

 

Muito bem meus amigos, convido-os pensar por um instante:

Se acaso aparecesse entre nós alguem com a seguinte pregação:

1) A humanidade foi destruída 81 vezes,e a Terra está prestes a explodir em breve, e que o único com poderes para impedir a explosão fosse esse tal Mestre.

2) Que a terra fosse a lixeira do universo, sendo os Estados Unidos o maior de todo esse lixo, e que só através da Crença no Poderoso, o homem será capaz de escapar da hecatombe.

 

3) Fosse ele, o grandão, o legitimo governante do mundo e maior do que o universo.

 

4) Que proíbisse qualquer outra crença religiosa entre os crentes de seu rebanho e acusasse outras religiões de enganar as pessoas.

 

5) O Poderoso alegasse ter providenciado tudo no mundo, mas que o holocausto do povo judeu por Hitler foi resultado de mudanças em fenômenos celestes.

 

6) Que afirmasse; "a ciência é forçada sobre a humanidade por interesse de seres extraterrestres", e que, aliás, inventaram o computador para controlar a humanidade na terra

 

7) Que a ciência na verdade é um culto.

 

8) Que os praticantes de sua religião não devem ir ao médico ou a tomar medicamentos para tratar a doença, porque, sendo crentes verdadeiros, nunca adoecerão. E inclusive, um praticante de Fé pode até se jogar embaixo de um carro que não morrerá.

 

9) Mandasse os praticantes de sua religião desistir de tudo e deixar se levar por pensamentos de vida e morte para tornarem-se Deuses. E se gabasse de que fará um Milagre para todos os praticantes voarem de seus corpos quando morrerem.


10) Denominasse aqueles contrarios a pratica de sua Religião de Demônios e que, sendo demônios regicidas devem morrer  e que aqueles de sua seita que matam demonios (diretamente ou atraves de parentes e profissionais) são perdoados.


11) E se mais 1.000 praticantes morreram acreditando por seguir tais ensinamentos; se recusando procurar tratamento médico para suas doenças.

 

12) E se várias centenas causaram auto-mutilação ou suicídio, por acreitarem na imortalidade.

 

13) Profissionais medicos seguindo os preceitos da religião causassem mais de 30 mortes

 

E SE ESSE SUJEITO FICASSE MUITO FAMOSO

ENTRE AS PESSOAS MAIS SIMPLES DE SEU PAÍS?


E SE ELE GANHASSE MUITO DINHEIRO COM ESSA ESTORIA?

 

E se o Governo de seu País proibisse essa pratica de Charlatanismo?

 

E se uma faculdade estrangeira; fizesse uma exposição contra a "perseguição" que o seu Pais promove contra esta crença religiosa?

 

E se o País onde esta estabelecida esta renomada universidade também proibisse muitas praticas?

Por exemplo, se o Pais onde se localiza essa faculdade, tão preocupada com a liberdade de culto, proibisse pessoas de cultivar o nazismo? E mais, se segundo as leis deste país, pessoas que veêm o futuro ou que declarem ter poderes sobrenaturais e que ganhem dinheiro usando destes "dons" fossem presas?

 

E SE ESSA FACULDADE VENDESSE PARA SEUS ALUNOS A ESTORIA DO PRESS REALESE EMITIDO POR ESSA ENTIDADE, SEM SE DAR A CHANCE DE OUVIR O LADO DAS AUTORIDADES DE SEU PAÍS?

 

 

Bem, então, voce consideraria isto uma hipocrisia ou maniqueismo?

 

Voce esta convidado para assitir a exposição  abaixo:

 

EACH apresenta exibição internacional de pinturas que retratam prática perseguida na China

Foto: Reprodução


A obra "Chamado inocente", do artista Xiaoping Chen, faz parte da exibição internacional
A Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH | USP Leste) apresenta a partir da próxima segunda-feira a exibição internacional de artes “Verdade, Benevolência e Tolerância”, no saguão do prédio da Administração, das 8h às 22h. A exposição gratuita e aberta ao público reúne obras de 18 artistas praticantes de Falun Dafa, meditação que é perseguida na China. 

Carregadas de significados e sentimentos, as obras abordam questões atuais como liberdade de consciência, de expressão e de crença, além de valores como verdade, bondade e tolerância. O objetivo não é apenas entreter o público, mas também provocar reflexões sobre a condição humana no mundo contemporâneo. 

Com passagem em mais de 40 países, a exibição é composta por 22 pinturas de artistas da Fei Tian Academy of The Arts, sediada em Nova York. A instituição disponibilizou as obras para a Associação Falun Dafa no Brasil, atual organizadora da exibição que acontece até o dia 30 de março na EACH.

A prática do Falun Dafa surgiu na China em 1992 e ensina a desenvolver fortes valores morais por meio da aplicação dos princípios de verdade, benevolência e tolerância. Em 1999, o Partido Comunista Chinês ordenou a perseguição dos praticantes, aproximadamente 100 milhões de chineses. Atualmente, o Falun Dafaresiste pacificamente à campanha de extermínio e é praticado em mais de 80 países.

A EACH está localizada na Avenida Arlindo Béttio, 1000, no bairro de Ermelino Matarazzo. É possível chegar facilmente à unidade pela estação USP Leste da linha 12-Safira da CPTM.

 

 

LEIA UM POUCO DO LIVRO SAGRADO

 

ZHUAN FALUN

Girando a Roda da Lei

 

 

AGORA PERMITA-SE QUESTIONAR A INTELIGENCIA POR UM BREVE INSTANTE:

SERÁ QUE ESTA EXPOSIÇÃO É O INICIO DE UMA SERIE NA QUAL SE APRESENTARÃO CHARLATANICES PROIBIDAS EM OUTROS PAISES TAMBÉM? DUVIDO!

ENTÃO, POR QUE A CHINA? OU MELHOR; POR QUE SÓ A CHINA? SERÁ QUE OUTROS PAISES TAMBÉM NÃO PROIBEM IGREJAS DE SE MANIFESTAREM? ME ENGANA QUE EU GOSTO! 

 

MAS VAMOS IMAGINAR QUE NÃO HAJA QUALQUER MOVIMENTO ECONOMICO, POLITICO IDEOLOGICO POR DETRAS DESTA EXPOSIÇÃO...

VAMOS INTERPRETAR A CONTENTO O PAPEL AO QUAL ESTÃO NOS CHAMANDO REPRESENTAR....

VAMOS NOS INDIGNAR E BATER PALMAS... 

MAS, VAMOS SAIR SÓ UM POUQUINHO DO SCRIP...

VAMOS COLABORAR COM SUGESTÕES PRODUTIVAS...

 

SENDO ASSIM APRESENTO SUGESTÃO PARA PROXIMA EXPOSIÇÃO

Reparem que a foto também é emocional... Dá pra usar no Press realese

Este ser divino foi perseguido em varias partes do mundo. Ele foi expulso da Inglaterra e da França. Ele, o proprio Filho do Pai, enfrentou anos de luta judicial para poder adotar o nome de Inri Cristo e por conta desta proibição, imposta pelas terriveis autoridades brasileiras, viveu como apatrida durante anos. Não somente tais humilhações ele teve de enfrentar no passado pois que, a  (SOUST)  "Suprema Ordem Universal da Santíssima Trindade"  não é reconhecida no mesmo nivel das igrejas catolicas e pentecostais e a ele não se oferecem isenções de taxas e impostos e nem dinheiro publico para realizar projetos sociais tal como fazem com as outras entidades religiosas. Ele também não pode dar conforto aos doentes e aos presos, nos hospitais e nas cadeias.

Inri Cristo sofreu todas estas perseguições sem nunca recomendar a alguem deixar de ir em medico, ou se matar, imagine se orientasse seus fieis nesse sentido, o que as autoridades deste País fariam com o Filho do Pai. 

Por todo exposto, creio que Inri Cristo merece uma exposição na EACH nos mesmos moldes do Mestre do Dafa. Ele e seus seguidores merecem todo nosso apoio...

Ou não? 

 

Não se deixe manipular; o mundo é mais complexo do que lhe querem apresentar aqueles defensores de interesses ou os ignorantes usados por eles. Nesse jogo promovido pelo Capitalismo, agora utilizando a EACH como correia de transmissão, se busca sempre, através de maniqueismos tolos,  querer que acreditemos estar vivendo  num filme de bang-bang, cheio de bandidos mauzinhos (de olhinho puxado, né?) e mocinhos bonzinhos (Loirinhos de olhos azuis). Ops!


DE UMA CHANCE A SUA INTELIGENCIA E PERGUNTE SE ESTA EXPOSIÇÃO NÃO DEVERIA SER MAIS AMPLA E TRAZER MAIS INFORMAÇÃO DO QUE O PRESS REALESE DA INSTITUIÇÃO QUE SE DIZ PERSEGUIDA PELO GOVERNIO CHINES SEM NENHUMA PALAVRA DO OUTRO LADO.

IMAGINE  SE VOCE OUVISSE APENAS O LADO DE HENRY CRISTO E MAIS... PARTINDO DO PRINCIPIO QUE ELE É REALMENTE O FILHO DO PAI.

 

Este post é Domínio Público.

Postado por BADI | 0 comentário

março 04, 2012

user icon
Postado por Ana A. S. Cesar

"Não devemos permitir que alguém saia da nossa presença sem se sentir melhor e mais feliz."  (Madre Teresa de Calcutá )

Palavras-chave: Citações

Postado por Ana A. S. Cesar | 0 comentário

março 01, 2012

user icon

Os arquivos postados para consulta  nao estao mais aparecendo:

 

Parte 1:
http://stoa.usp.br/jocax/files/1210/6911/geneticatexto40.htm

Parte 2:
http://stoa.usp.br/jocax/files/1210/6938/geneticatexto42.htm

Parte 3 :
http://stoa.usp.br/jocax/files/1210/6912/geneticatexto41.htm

Eu terei que carrega-los de novo?

Obrigado

Jocax

 

Palavras-chave: Arquivos desaparecidos

Postado por João Carlos Holland de Barcellos em Stoa: dúvidas, bugs e sugestões | 4 comentários

fevereiro 27, 2012

user icon

Ni!

Florian Cramer (DE/NL) The German WikiWars and the limits of objectivism from network cultures on Vimeo.

Acabei trombando com este vídeo por uma mensagem do Roberto Winter na lista do curso Futuro da Informação. Nele o palestrante argumenta que a Wikipédia é uma construção de inspiração neoliberal baseada no objetivismo filosófico de Ayn Rand, justificando-se num raciocínio sobre a forma de funcionamento da Wikipédia - e do Software Livre - e nas inclinações filosóficas de seus dois fundadores, em particular de Jimmy Wales.

Há alguns problemas sérios na argumentação do sujeito, que destaco abaixo, numa revisão ponto a ponto dos argumentos levantados no vídeo...

O vídeo começa com o palestrante contrastando um suposto potencial transformador da Internet com o que seria a realidade. Há já aí alguns enganos.

Confundir autores de filosofia inspiracional, como pierre levi, com análises rigorosas e realistas da questão da colaboração. -- Sem nenhum demérito para o que esses autores fazem, as obras deles não tem como objetivo entender o presente a partir dos fatos da realidade, mas apontar destinos potenciais, para serem perseguidos ao avançarmos e que, sem prejuízo, acabarão em outra forma que não a imaginada.

A partir disso, dizer que a wikipédia e software livre são as únicas formas de coautoria em larga escala efetivas na Internet, desconsiderando os vastos repositórios de cultura e tecnologia gerados por redes par-a-par, apenas porque estes não se enquadram em uma definição extremada e inspiracional que nunca teve como objetivo descrever a realidade - ou por desconhecimento mesmo.

Em particular, parece que ele nunca escutou hiphop, nem visitou um hackerspace, ou acessou uma imageboard, e abre o youtube só para canais de grandes produtoras. Não entendeu que a produção par-a-par na troca de arquivos é precisamente o mesmo processo operando numa outra categoria, nem nunca recebeu um demotivator, nem percebeu que expressões concretas não são o único objeto passível de remix, internet memes e tais.

Por fim, chegando ao assunto, ele trata a Wikipédia como uma criação intencional e exclusiva de um ou dois indivíduos, e salta a sugerir que a ideologia desses membros fundadores contamina de tal maneira sua natureza que todo resultado do processo é uma manifestação dessa ideologia.

Bem, basta investigar para ver que a primeira afirmação é falsa e que a segunda é ilógica. A Wikipédia não foi a criação programada e intencional de dois indivíduos obcecados por uma ideologia única e, mesmo que fôsse, isso não implicaria que seu resultado será uma manifestação inescapável e exclusiva dessa ideologia.

Ele então afirma que o conceito de Ponto de Vista Neutro da Wikipédia é um produto do consenso atingível pelo diálogo entre visões supostas objetivas da realidade, em busca de uma objetividade extremada; quando, muito pelo contrário, ele é um consenso a respeito da soma das visões dessa realidade consideradas relevantes pelos mecanismos que a própria sociedade já desenvolveu e mantém com o fim de atribuir relevância e confiança às informações, como a academia e a imprensa.

Acho difícil alguém argumentar que a academia e a imprensa são construções neoliberais do objetivismo randiano ;-)

Depois ele vai dizer que o Software Livre tem por natureza ser genérico. Mas isso não é uma particularidade do Software Livre, e sim uma ideia básica da engenharia de software ou, mais geralmente, da engenharia. Os sistemas UNIX tem tanto sucesso justamente por serem feitos de componentes reutilizáveis, minimizando o esforço repetitivo de produção e depuração, independente de serem UNIXes livres ou proprietários. Um tijolo é algo genérico, assim como as pedras das pirâmides.

Após isso, faz alguma alusão sobre a wikipédia ser genérica e sugere que a Wikipédia é crucial para o Pagerank do Google. Bem, ou ele não sabe como funciona o Pagerank, ou ele não se expressou claramente. O Google usa dados da Wikipédia, mas não é algo crucial.

Depois ele identifica, sem nenhuma explicação, a opção por modularidade e interfaces genéricas no software - e portanto nas pirâmides - com o objetivismo filosófico, ao invés de reconhecer que trata-se de uma mera questão de bom senso no emprego do trabalho, perdendo-se na sopa de palavras.

Só resta concluirmos que Ayn Rand era uma viajante do tempo! :D

Por fim, ele passa o resto do vídeo viajando nessa sopa que ele preparou, onde objetivismo randiano neoliberal está equacionado com escolhas de bom senso em engenharia e onde ponto de vista neutro é entendido como consenso objetivista e não como a coleção dos pontos de vista considerados válidos pela sociedade através de instituições que predatam o objetivismo séculos, se não milênios.

E para justificar esse raciocínio, ele aponta muito brevemente a existência de alguns casos na Wikipédia alemã onde, segundo ele, há problemas profundos de escala no processo, mas não oferece nenhum exemplo concreto de como ele descreveria esse objetivismo afetando a tomada de decisões. À parte, ignora que a Wikipédia em língua inglesa mesmo sendo muito maior não sofreu da mesma forma, ignora que há diferenças profundas em como a wikipédia em diferentes línguas organiza-se e que, dentre todas, a alemã é muito particular - e não numa direção objetivista randiana, até porque qual alemão vai dar bola pra uma pop-filósofa norte-americana? - e ignora, por fim, que a tal "guerra" na wikipédia alemã teve fim.

Pra encerrar a palestra, ele ainda categoriza como "bizarro" o conhecimento que não cabe numa enciclopédia britânica e o software que uma microsoft não desenolve. Bem, com isso, se não demonstra que a wikipédia é randiana, ao menos revela-se um novo tipo de fundamentalista estético ;)

E aí entra a aluna dele, faz uma alusão sem grandes méritos a Brecht, e aponta que as pessoas devem ter uma olhar crítico para a informação da wikipédia, como se isso fôsse uma novidade! Era um bom momento para sugerirem também um olhar crítico sobre eles mesmos, pelo menos salvaria o Brecht.

Ela passa daí a mostrar um trabalho focado no "quem escreveu", onde ignora-se todo o contexto do processo de revisão par-a-par a posteriori em ação na enciclopédia, que constringe a atuação individual e frequentemente tem mais protagonismo que o autor em si.

A ideia da teatro é muito chamativa, mas uma sequência de edições não é uma expressão dialética, os atores não são apenas quem editou, e o produto final não é um diálogo, mas uma enciclopédia. Que é escrita nessa voz, mais uma vez, desde séculos antes do neoliberalismo ou randianismo serem concebidos.

.~´

Postado por Alexandre Hannud Abdo | 0 comentário

user icon
Postado por Carla Neves Costa

O incêndio na Estação Comandante Ferraz na Antártida neste sábado, 25.02.2012, deixa dois mortos e, pelo menos, um ferido.

A Estação é uma base militar da Marinha do Brasil usada para desenvolver pesquisas. Não se sabe ao certo as causas do incêndio, mas os pesquisadores sobreviventes relataram que houve uma explosão de nitrogênio, os alarmes de segurança contra incêndio não funcionaram e as pessoas tiveram que abandonar o local às pressas, sem tempo para salvar os documentos e pertences.

Os sobreviventes, 45 pessoas ao todo, foram resgatados e já estão de volta ao Brasil.

Assista o vídeo GloboNews®

O acidente causou a perda total do espaço físico ocupado pela base na área continental. A expectativa é de que a reconstrução da base e a retomada de pelo menos 50% das pesquisas demore no mínimo dois anos.

Leia:

Incêndio destrói 40% da pesquisa brasileira na Antártida

Fonte: Veja Online

Esta mensagem está sob a licença CreativeCommons Atribuição.

Postado por Carla Neves Costa | 1 usuário votou. 1 voto | 1 comentário

fevereiro 16, 2012

user icon
Postado por BADI

Documentos divulgados esta semana na Internet revelam alegados detalhes da estratégia de uma organização norte-americana que contesta a visão dominante na ciência sobre as alterações climáticas, incluindo um plano para levar as suas teses às escolas.

Os documentos – na maior parte relacionados com uma reunião realizada em Janeiro – supostamente pertencem ao Instituto Heartland, uma das organizações mais activas nos EUA na contestação às evidências da influência humana sobre o aquecimento global verificado no século XX.

O instituto confirmou num comunicado, ontem, que alguns dos documentos “foram roubados” e “pelo menos um é falso e alguns podem ter sido alterados”. 

“Os documentos roubados foram obtidos por uma pessoa desconhecida que fraudulentamente assumiu a identidade de um membro da direcção do [Instituto] Heartland e convenceu um funcionário a ‘reenviar’ materiais da direcção para uma nova morada de email”, refere o comunicado, divulgado ontem à noite. “Nós queremos identificar esta pessoa e vê-la na prisão por esses crimes”, acrescenta o comunicado.

Um caso semelhante – conhecido como Climategate – ocorreu no final de 2009, quando emails de vários climatologistas obtidos ilegalmente dos servidores da Universidade de East Anglia, no Reino Unido, foram publicados na Internet. O conteúdo de alguns emails foi interpretado como revelador de que alguns cientistas manipularam ou ocultaram dados que poderiam enfraquecer a conclusão de que a Terra está a aquecer e que a culpa principal é humana. Três inquéritos posteriores refutaram que tenha havido qualquer fraude ou má-conduta científica, embora tenham apontado falhas na disponibilização pública de dados. 

Materiais escolares alternativos

Agora, a situação é a inversa. Os documentos alegadamente revelam a estratégia interna de uma organização cuja posição contra a ciência climática vigente é publicamente conhecida. “Não tivemos até agora nenhuma prova a indicar que os documentos não são reais”, disse ao PÚBLICO Branden DeMelle, editor do blogue DeSmogBlog, que divulgou os documentos do Instituto Heartland. 

Pelo menos um dos documentos – um memorando “confidencial” sobre a estratégia climática do Instituto Heartland – é refutado pela organização como “totalmente falso, aparentemente com a intenção de difamar e desacreditar” o instituto, segundo o comunicado. Parte do seu conteúdo, no entanto, está reproduzida noutro documento, cuja autenticidade o instituto não desmentiu no comunicado – embora tenha dito que ainda está a verificar a autenticidade de todo o material.

Neste documento – um plano para obtenção de fundos em 2012 – há uma menção a uma proposta para a produção de materiais escolares que apresentem a questão das alterações climáticas como controversa em vários aspectos, desde os modelos climáticos até à influência humana – o que coincide com as posições que o Instituto Heartland assume publicamente. O argumento invocado no documento é o de que não há livros escolares que não sejam "alarmistas ou abertamente políticos".

O PÚBLICO tentou, sem sucesso, contactar por email o autor desta proposta, David Wojick, descrito no site do instituto como consultor do Departamento de Energia do Governo norte-americano.

Informações sobre doadores 

O documento detalha o financiamento deste e de outros projectos – incluindo o apoio ao Nongovernamental International Panel on Climate Change (NIPCC), uma rede de especialistas com visões alternativas às do Painel Intergovernamental para as Alterações Climáticas (IPCC, na sigla em inglês). Também figura no documento o apoio à criação de um site com interpretações gráficas dos dados de uma nova rede de estações meteorológicas da NOAA, a agência norte-americana para a atmosfera e os oceanos – uma ideia do meteorologista e blogger norte-americano Anthony Watts, que defende que a tese humana do aquecimento global baseia-se em dados imprecisos.

Há menções a apoios a outros nomes conhecidos entre os chamados “cépticos” das alterações climáticas, e que já figuravam como colaboradores do Heartland Institute.

Embora muita da informação apenas detalhe ligações que já se conheciam, os documentos revelam dados que o instituto não divulga publicamente, em especial sobre os seus financiadores. O seu último relatório anual, divulgado no site do instituto, refere apenas que, em 2010, foram recebidos 6,1 milhões de dólares (4,7 milhões de euros), dos quais 48% vieram de fundações, 34% de empresas, 14% de pessoas individuais e 4% de outras fontes. 

Nos documentos agora divulgados surge a menção a um doador em particular – descrito como “o doador anónimo” –, que terá sido responsável, individualmente, por uma expressiva fatia das receitas do instituto. Em 2010, terá contribuído com o equivalente a 1,3 milhões de euros (27% do total) e em 2011 este valor terá caído para cerca de 770 mil euros (21%). Em 2007, 63% das receitas terão vindo deste doador, com uma contribuição de 2,5 milhões de euros. A maior parte destes valores foi aplicada nas actividades relacionadas com as alterações climáticas – uma das principais, mas não a única, do Instituto Heartland.

Os documentos revelam uma extensa lista com dezenas de apoiantes do instituto. Na lista não aparecem referências directas a empresas petrolíferas – sendo que, pelo menos, a ExxonMobil terá, no passado, financiado organizações e pessoas contra a visão consensual da ciência sobre as alterações climáticas. Consta da lista a fundação Charles G.Koch, ligada à indústria do petróleo, com uma contribuição marginal em 2011 (0,5% das receitas do instituto) e que no orçamento para 2012 se espera ampliar para 2,5%.

Indirectamente, o Instituto Heartland reconheceu a veracidade da lista de doadores, a quem pediu desculpas, no seu comunicado, pelas suas identidades “terem sido reveladas por este roubo”.

 

Este post é Domínio Público.

Postado por BADI | 0 comentário

user icon
Postado por BADI

Senado debate sobre papel das agências reguladoras

O que se projetava apenas como uma sabatina para recondução ao cargo do diretor-geral da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), Bernardo Figueiredo, ao final, derivou no questionamento, pelo líder do PT e do Bloco de Apoio ao Governo, Walter Pinheiro (PT-BA), do real papel que as agências regulado

O debate surgiu na sessão da Comissão de Infraestrutura do Senado (CI), durante a sabatina de Bernardo Figueiredo, que teve seu nome aprovado por 16 votos favoráveis e uma abstenção para um novo mandato à frente da instituição. O senador Roberto Requião (PMDB-PR) acusava Bernardo Figueiredo de ligações com interesses privados no ramo das ferrovias.ras devem desempenhar no mercado.

Coube a Walter Pinheiro, em seu primeiro embate concreto como novo líder, requalificar o debate, propondo uma discussão de fundo que permita redefinir o papel das agências reguladoras e os “vícios e distorções” que elas trazem desde a origem.

Atributo técnico
“Em primeiro lugar”, pontuou Pinheiro, “as agências não deveriam formular políticas. O papel delas é regular e fiscalizar determinados setores. Sem estrutura para isso, muitas vezes elas parecem ter sido capturadas por interesses privados, já que são incapazes de enfrentar grandes conglomerados, muito mais aparelhados e organizados”, afirmou Pinheiro.

O líder petista lembrou que o que hoje é tratado como “relação com os interesses privados” — ter uma trajetória profissional no segmento regulado pela agência — já foi cotado como “atributo técnico” indispensável aos candidatos ouvidos em sabatinas anteriores. “Em seus dez anos de existência, a ANTT poderia ter dado uma contribuição muito maior para a reestruturação da malha ferroviária do País. Mas esse é um problema que não se resolve personalizando as críticas nesse ou naquele gestor, mas repensando as tarefas das agências reguladoras”.

A reflexão de Pinheiro sobre os vícios de origem das agências reguladoras mudou o curso do debate e pareceu esfriar a lista de oradores inscritos para apoiar ou rebater as críticas à gestão da ANTT. “Estamos reeditando a Batalha de Itararé, a que não chegou a ser lutada”, resumiu o relator da proposta de recondução de Figueiredo, o senador Lindbergh Farias (PT-RJ), referindo-se a um célebre episódio da Revolução de 1930, no qual um confronto entre as tropas de Getúlio Vargas e Washington Luiz—antecipado como “o mais sangrento da América do Sul”- acabou resolvido com a substituição dos tiros pela interlocução política.

Sabatina


Desde a última segunda-feira (13/02), a reunião da CI prometia se converter num franco tiroteio

Após ouvir as explicações do dirigente da agência reguladora, que negou todas as acusações, Jorge Viana (PT-AC) resumiu: “Infelizmente, no Brasil, não é raro que o jogo político transforme questionamentos do Ministério Público em acusações e, pior, em sentenças condenatórias”. — a “munição” já havia sido antecipada por Requião em discursos no plenário da Casa. A principal peça de acusação era uma série de questionamentos do Ministério Público Federal ao dirigente da ANTT. Iniciada a sabatina, os senadores peemedebistas Ricardo Ferraço (ES) e Requião reafirmaram essas críticas e questionamentos, rebatidos por Bernardo Figueiredo.

Foram apontados problemas em rodovias e ferrovias concedidas, inclusive quanto ao descumprimento dos investimentos previstos e questionada a validade do projeto do "Trem Bala", entre São Paulo e Rio de Janeiro. Requião apontou o diretor da ANTT como defensor de interesses das concessionárias do setor férreo e chegou a mencionar a outorga de novas concessões de linhas à ALL, a maior operadora do setor, logo após o indicado assumir o primeiro mandato à frente da ANTT.

Figueiredo negou que tenha sido o responsável pelas outorgas, salientando que as linhas foram adquiridas pela ALL antes de sua nomeação. Também negou que tenha atuado na modelagem da privatização do setor férreo no governo FHC e, em seguida, já no setor privado, na estruturação dessa empresa, embora tenha sido integrante de seu Conselho de Administração. Ele disse que se orgulhava do seu currículo.

O indicado, que recebeu elogios de integrantes da base, colocou-se à disposição para um debate qualificado sobre os transportes no País. Bernardo Figueiredo terá seu nome ainda submetido ao plenário do Senado, a quem cabe a decisão final.

 

Este post é Domínio Público.

Postado por BADI | 0 comentário

fevereiro 13, 2012

default user icon

O problema voltou...qdo acesso meu lattes, não aparece meu blog, mas só o de contatos de 2010...Obrigada

Postado por Gloria Kreinz em Stoa: dúvidas, bugs e sugestões | 0 comentário

fevereiro 04, 2012

user icon
Postado por BADI

 

A mídia autóctone anda muito interessada em dois assuntos para os quais não costuma dar bola: blogueiros e direitos humanos. Só que não é aqui, mas em Cuba. Enquanto isso, no Brasil, detrata blogueiros e relativiza direitos humanos.

A blogueira cubana Yoany Sanchez é a contemplada por esse apreço inédito da mídia brasileira por ser a maior detratora individual do regime cubano em todo o mundo. Ninguém fala tão mal de Cuba quanto ela, que produz música para os ouvidos dos barões midiáticos.

Yoany, porém, é uma farsa, uma construção anticastrista que se dedica a inventar histórias sobre “violações de direitos humanos” em Cuba, como fez recentemente no caso do dissidente Wilman Villar Mendoza, que faleceu em Santiago de Cuba no mês passado.

A história da blogueira foi a de que Mendoza faleceu devido a uma greve de fome de 56 dias. Ela acusou o governo de seu país por sua morte dizendo-o “negligente”, provavelmente por não ter renunciado para atender às exigências do dissidente.

A verdadeira história, porém, é outra. Mendoza foi preso no fim de 2011 por ter agredido a esposa e quem o denunciou à polícia foi a própria sogra. Preso, teve complicações de saúde e faleceu.

Todavia, a mídia brasileira comprou integralmente a invenção de Yoany. E após o desmentido da família do sujeito de que ele fizera greve de fome, escondeu o fato do público.

As farsas da blogueira cubana são reiteradamente compradas pelos interessados estrangeiros. Como essa, agora, de que quer vir ao Brasil.

A mídia brasileira vende a história de uma revolucionária que luta contra uma ditadura cruel sob condições adversas, mas os fatos mostram que o regime cubano tem sido um pai para sua detratora. A história de Yoany não se encaixa no perfil que inventou.

Yoani María Sánchez Cordero é cubana de Havana, graduada em Filologia em universidade cubana desde 2000, segundo consta em seu blog. Dois anos depois de se formar às custas do erário cubano, casou-se com um alemão e foi viver na Suíça, não tendo tido qualquer dificuldade para emigrar.

Em 2004 decide voltar ao país, tornando-se o primeiro caso de alguém que fugiu de uma ditadura para dentro em vez de fugir para fora.

Se fôssemos tomar por base as condições de vida de Yoany na ditadura cubana, no entanto, concluiríamos que se trata de uma ditabranda.

Para comprovar isso, basta ver o escritório da blogueira na foto acima ou dar uma olhada na cena abaixo, em que ela aparece usando a internet sem fio de um dos hotéis mais luxuosos de Havana para falar mal de seu país em seu blog.

Ora, mas por que Yoany voltou à terrível ditadura Cubana? Porque gosta de sofrer?

CONTINUA NO BLOG DA CIDADANIA

 

 

 

Nas vésperas da visita da presidenta Dilma Rousseff a Cuba, a mídia colonizada fez grande alarde em torno do nome da blogueira cubana Yoani Sánchez. Ela é apresentada como uma “jornalista independente”, que mantém um blog com milhões de acesso e que enfrenta, com muitas dificuldades materiais, a “tirania comunista”, que a persegue e censura.

Na busca pelo holofote midiático, líderes demotucanos e, lamentavelmente, o senador petista Eduardo Suplicy têm posado de defensores da blogueira. Eles se juntaram para pressionar o governo a conceder visto para que Yoani venha ao Brasil assistir à pré-estréia do filme “Conexões Cuba-Honduras”, do documentarista Dado Galvão – que, por mera coincidência, é membro-convidado e articulista do Instituto Millenium, o antro da direita que reúne os barões da mídia nativa.

A falsa “jornalista independente”

Mas, afinal, quem é Yoani Sánchez? Em primeiro lugar, ela não tem nada de “jornalista independente”. Seus vínculos com o governo dos EUA, que mantém um “escritório de interesse” em Havana (Sina), são amplamente conhecidos. O Wikileaks já vazou 11 documentos da diplomacia ianque que registram as reuniões da “dissidente” com os “agentes” da Sina desde 2008.

Num deles, datado de 9 de abril de 2009, o chefe da Sina, Jonathan Farrar, escreveu ao Departamento de Estado: “Pensamos que a jovem geração de dissidentes não tradicionais, como Yoani Sánchez, pode desempenhar papel a longo prazo em Cuba pós-Castro”. Ele ainda aconselha o governo dos EUA a aumentar os subsídios financeiros à blogueira “independente”.

CONTINUA NO BLOG DO MIRO

 

4.-Mentirosa compulsiva
-Mintió cuando denunció ante la prensa internacional que había sido golpeada por la policía en La Habana.
Medios de todo el mundo reseñaron que el 6 de noviembre de 2009 había sido arrestada en compañía de tres amigos por “tres fornidos desconocidos” durante una “tarde cargada de golpes, gritos e insultos”. El 8 de noviembre recibió a periodistas en su casa para mostrar las huellas de una supuesta golpiza, de la cual no había hablado hasta 48 horas después.

 

 

Este post é Domínio Público.

Postado por BADI | 0 comentário

user icon
Postado por ON
AZIZ AB'SABER E HOMENAGEM DE MARCELO ROQUE, PELA ABRADIC/NJR, NO INÍCIO DESTE BLOG
SAUDADES MESTRE AZIZ


NOVO BLOG DE PROTESTO DO POETA

 

Pinheirinho - A Vida é Bela

Não chorem crianças do Pinheirinho,
tudo não passou de uma grande festa,
com fogos de artifício sendo lançados
por malabaristas fantasiados de soldadinhos
e que fingiam fazer cara de mau
Não chorem crianças do Pinheirinho,
o vermelho não era sangue,
era catchup,
as balas eram de morango
com recheio de caramelo
e os gritos não eram de horror,
mas de contentamento
Não chorem crianças do Pinheirinho,
as bombas eram de chocolate,
os cassetetes de algodão doce
e aquelas armas só disparavam bolinhas de sabão
Não chorem crianças do Pinheirinho,
pois tudo foi uma grande brincadeira,
assim, como estas brincadeiras que vemos nos circos
Porém, onde os palhaços, desta vez,
ao invés de vestirem aquelas roupas coloridas
e sapatos esquisitos,
vestiam terno, gravata
e toga

Marcelo Roque

 

Palavras-chave: ABRADIC, BLOG, CRÔNICAS, DIVULGAÇÃO, MARCELO ROQUE, NUCLEO JOSÉ REIS, PAVAN AZIZ AB' SABER, POETA, PROTESTO, TEXTOS

Este post é Domínio Público.

Postado por ON | 0 comentário

fevereiro 02, 2012

user icon
Postado por BADI

 

O Departamento de Informações Públicas das Nações Unidas recebe, até 12 de fevereiro, inscrições de jornalistas voluntários para trabalhar na Rádio ONU Português em Nova York.

A oportunidade é para participar de uma redação de jornalismo internacional e das atividades de novas mídias. A Rádio ONU transmite diariamente noticiários, entrevistas e programas especiais sobre o trabalho das Nações Unidas no mundo.

Não é necessário experiência. Obrigatório fluência verbal e escrita em português. Inglês desejável.

O voluntariado é de um mês, com possibilidade de renovação por igual período. O profissional deve arcar com todas as despesas de viagem e estada em Nova York.

CLIQUE NA FIGURA ABAIXO PARA MAIS INFORMAÇÕES

E PARA FAZER A INSCRIÇÃO

Clique Aqui para mais Informações

 

Este post é Domínio Público.

Postado por BADI | 0 comentário

janeiro 21, 2012

user icon

A capacidade de testar ideias sobre o mundo e recombiná-las inteligentemente forma a base da ciência, observou Thomas Kuhn em meio ao século passado. Muito antes, Darwin descreveu a capacidade de organismos competirem no ambiente e recombinarem-se adaptativamente como a base generativa da vida. Ambos os processos, eles próprios resultantes de longa evolução, dependem fundamentalmente da recombinação de padrões, expressos em linguagem científica ou genética.

Quando Turing concebeu o computador moderno, originou-se ali um outro sistema onde novos padrões, os softwares, comportavam-se com características similares. Dessa vida primitiva nos mainframes acadêmicos e militares à sua presença abundante permeando as interações entre quase todos os seres humanos, o software sofreu diversas transformações na sua forma de produção, derivadas de dois conflitos particulares à sua natureza:

Primeiro, porque o software tem a peculiaridade de ser tecnologia e informação ao mesmo tempo, o que transfere à informação a característica alienante da tecnologia: aquilo que você pode utilizar sem compreender.

Segundo, porque por ser uma manifestação codificada, acabou circunscrito por uma legislação concebida para outros fins, aplicada levianamente para restringir ainda mais seu ciclo de vida informacional.

Nesse contexto, a propriedade de livre recombinação, fundamental para a evolução dos ecossistemas, foi gravemente ameaçada.

Mais grave do que isso, aos poucos ficou evidente que a primeira forma de restrição à recombinação tinha um efeito secundário, de inibir a própria competição em si, eliminando de uma vez os dois pés do processo evolutivo.

Na década de 80, quando essas contradições começavam a atingir amplamente a sociedade, Richard Stallman concebeu o que chamou de Software Livre, referindo-se a um método para preservar o ecossistema de código recombinante que existia.

Formaram-se assim dois ecossitemas contraditórios regulando cada vez mais o fluxo e processamento da informação mundial, informação que, nesse mesmo período tornou-se o bem mais valioso da economia global.

Nessas condições, esses ecossistemas, o do Software Livre em oposição ao do software proprietário, impõem crescentemente à sociedade desenvolvida em seu meio as próprias características que os organizam.

Assim, mais do que uma estratégia evolucionária de sobrevivência, essa questão ética foi uma das principais motivações dos pioneiros do Software Livre.

Em 2002, cerca de vinte anos após dar início ao movimento, o próprio Stallman publica uma coletânea de ensaios seus entitulada, assertivamente, "Software Livre, Sociedade Livre".

Nessa mesma época, um advogado chamado Lawrence Lessig publica um livro chamado "Código" explicando, se não pela primeira vez, ao menos com uma clareza sem precedentes, como o software gradativamente substituirá o papel do direito em muitos aspectos da sociedade.

A questão do ecossistema do software torna-se, então, uma questão ética e política, que interessa não apenas a programadores - ou /hackers/ - mas a todos os seres humanos.

A computação partiu o mundo em dois e criou um novo espaço, onde convivemos entre nós e com as máquinas. Como nas grandes navegações, esse novo mundo acabará por fundir-se com seu genitor e, quem sabe, até suplantá-lo.

Se falharmos em garantir ali os mesmos mecanismos contra a elitização do conhecimento e do controle dos recursos e das leis, promovendo sua recombinação e experimentação aberta e participativa, estaremos condenando junto todas as lutas por justiça e solidariedade neste mundo.

Ni!

Texto usado como guia para uma aula no Curso de administração de redes GNU/Linux do LabMap, no IME-USP, em 20 de janeiro de 2012.

Palavras-chave: aula, ciencia, darwin, ecossistema, ime, kuhn, labmap, lessig, livre, software, software livre, stallman, usp

Postado por Alexandre Hannud Abdo | 2 comentários

janeiro 20, 2012

user icon
Postado por BADI

Giovani Cherini
Giovani Cherini: medida vai proteger direitos e tirar do mercado pessoas não habilitadas.

Tramita na Câmara o Projeto de Lei 2533/11, do deputado Giovani Cherini (PDT-RS), que regulamenta o exercício da profissão de filósofo em todo o País. De acordo com a proposta, órgãos públicos da administração direta e indireta ou entidades privadas, quando encarregados de projetos socioeconômicos em nível global, regional ou setorial, deverão manter filósofos legalmente habilitados em seu quadro de pessoal ou em regime de contrato para prestação de serviços. A atuação do profissional ficará condicionada a registro prévio no órgão competente do Ministério do Trabalho.

O texto estabelece que só poderão exercer a profissão:
- os bacharéis em Filosofia;
- os profissionais que já estejam plenamente licenciados até a data da publicação da nova lei;
- os diplomados em curso similar no exterior, após a revalidação do diploma; e
- mestres, doutores e não diplomados que exerçam a atividade há mais de cinco anos.

Também será assegurado o exercício da profissão aos membros titulares da Academia Brasileira de Filosofia e aos por ela diplomados.

Contrato de trabalho
As atividades de filósofo serão exercidas na forma de contrato de trabalho regido pela Consolidação das Leis do Trabalho ou pelo Estatuto dos Servidores Públicos ou de forma autônoma.

“O Estado pode e deve agir para estipular as condições de habilitação e as exigências legais para o regular exercício da profissão de filósofo”, defende Cherini. “Essa medida é de suma importância, pois se de um lado retira do mercado de trabalho as pessoas não habilitadas, de outro, presta justo reconhecimento a esta milenar profissão, que é responsável pela preservação e expansão do pensamento e das ideias”, defende.

Competências
O projeto define como competências do filósofo: 
- elaborar, supervisionar, orientar, coordenar, planejar, executar, analisar ou avaliar estudos, pesquisas e projetos atinentes à Filosofia, história do pensamento e ideias em geral; 
- ensinar Filosofia, história do pensamento e das ideias em estabelecimentos de ensino, desde que cumpridas as exigências legais; 
- assessorar e prestar consultoria a empresas, órgãos da administração pública direta ou indireta, entidades e associações, assim como a pessoas físicas; e
- participar da elaboração, supervisão, orientação, coordenação, planejamento, análise ou avaliação de qualquer projeto global, regional ou setorial relativo à Filosofia.

Tramitação
O projeto, que tramita em caráter conclusivo, será analisado pelas comissões de Trabalho, de Administração e Serviço Público; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Este post é Domínio Público.

Postado por BADI | 1 usuário votou. 1 voto | 2 comentários

janeiro 14, 2012

user icon
Postado por ON

POETA MARCELO ROQUE - COMUNIDADE

http://www.orkut.com.br/Main#Community?cmm=13358263
 CIÊNCIA  E POESIA NO SÉCULO 21


1-  Marcelo Roque e USP

Lei da Palmada

Este último incidente ocorrido na USP, onde um policial militar

agride um estudante, inclusive chegando ao ponto de sacar sua

arma, nos deu mais uma clara demonstração do quão o pensamento

autoritário e repressor existe, não apenas em boa parte de nossas

instituições públicas, mas também em nossa sociedade

Isto fica evidenciado através dos comentários que podemos ver

nos sites, blogs, e redes sociais que noticiam tais casos

Infelizmente, uma parcela considerável de nossa população

concorda com estas ações truculentas, imaginando serem

necessárias para a manutenção da paz e da ordem

Não é de se admirar este tipo de comportamento, tendo-se em

vista que, historicamente, o brasileiro se caracteriza pela

passividade diante dos assuntos mais relevantes, deixando

à cargo dos governantes, todo o poder de decisão

Mesmo os movimentos populares de maior vulto em nosso país

que combateram o autoritarismo, como a resistência a ditadura

militar, se notabilizaram pela baixíssima adesão popular

Desde os tempos do Império,  instalou-se em terras brasileiras,

esta indecente cultura  paternalista - o Estado colocando-se

como o \"tutor\" das pessoas

Passaram-se as décadas, os séculos, e parece que não mudou

muita coisa - nós, os \"tutelados\", absorvemos os conceitos

que nos foram passados por nossos \"tutores\" - assim como um pai

que, hoje, defende que para bem educar seu filho, algumas

\"palmadas\" são necessárias, pois, foi também desta forma,

que seu pai o \"educou\"


Marcelo Roque

 

2-Crodowaldo Pavan-livro em homenagem-2011

http://www.orkut.com.br/Main#Community?cmm=13358263
 CIÊNCIA  E POESIA NO SÉCULO 21-MARCELO ROQUE
O livro \"Poder, Polêmica e Poesia\", de Glória Kreinz e Marcelo Roque,2011, é em homenagem a Crodowaldo Pavan, fundador da ABRADIC.

3-José Reis

\"A ciência é bonita e profundamente estética; portanto devemos exibi-la  à sociedade\". [placa homenagem do NJR ao seu Patrono]- Comemoração dos 90 anos de José Reis - presidente - Crodowaldo Pavan e Glória Kreinz

Participe-O blog de José Reis, com notícias do ACERVO/NJR/ABRADIC

http://esportencia.blogspot.com/


Este post é Domínio Público.

Postado por ON | 0 comentário

<< Anterior Próxima >>