Stoa :: ON :: Blog :: poesia

Janeiro 14, 2012

default user icon
Postado por ON

POETA MARCELO ROQUE - COMUNIDADE

http://www.orkut.com.br/Main#Community?cmm=13358263
 CIÊNCIA  E POESIA NO SÉCULO 21


1-  Marcelo Roque e USP

Lei da Palmada

Este último incidente ocorrido na USP, onde um policial militar

agride um estudante, inclusive chegando ao ponto de sacar sua

arma, nos deu mais uma clara demonstração do quão o pensamento

autoritário e repressor existe, não apenas em boa parte de nossas

instituições públicas, mas também em nossa sociedade

Isto fica evidenciado através dos comentários que podemos ver

nos sites, blogs, e redes sociais que noticiam tais casos

Infelizmente, uma parcela considerável de nossa população

concorda com estas ações truculentas, imaginando serem

necessárias para a manutenção da paz e da ordem

Não é de se admirar este tipo de comportamento, tendo-se em

vista que, historicamente, o brasileiro se caracteriza pela

passividade diante dos assuntos mais relevantes, deixando

à cargo dos governantes, todo o poder de decisão

Mesmo os movimentos populares de maior vulto em nosso país

que combateram o autoritarismo, como a resistência a ditadura

militar, se notabilizaram pela baixíssima adesão popular

Desde os tempos do Império,  instalou-se em terras brasileiras,

esta indecente cultura  paternalista - o Estado colocando-se

como o \"tutor\" das pessoas

Passaram-se as décadas, os séculos, e parece que não mudou

muita coisa - nós, os \"tutelados\", absorvemos os conceitos

que nos foram passados por nossos \"tutores\" - assim como um pai

que, hoje, defende que para bem educar seu filho, algumas

\"palmadas\" são necessárias, pois, foi também desta forma,

que seu pai o \"educou\"


Marcelo Roque

 

2-Crodowaldo Pavan-livro em homenagem-2011

http://www.orkut.com.br/Main#Community?cmm=13358263
 CIÊNCIA  E POESIA NO SÉCULO 21-MARCELO ROQUE
O livro \"Poder, Polêmica e Poesia\", de Glória Kreinz e Marcelo Roque,2011, é em homenagem a Crodowaldo Pavan, fundador da ABRADIC.

3-José Reis

\"A ciência é bonita e profundamente estética; portanto devemos exibi-la  à sociedade\". [placa homenagem do NJR ao seu Patrono]- Comemoração dos 90 anos de José Reis - presidente - Crodowaldo Pavan e Glória Kreinz

Participe-O blog de José Reis, com notícias do ACERVO/NJR/ABRADIC

http://esportencia.blogspot.com/


Este post é Domínio Público.

Postado por ON | 0 comentário

Junho 12, 2011

default user icon
Postado por ON

HOJE José Reis faria mais um aniversário...Não esquecemos disso. Comemoramos com poesia de Marcelo Roque, o poeta do orkut. Veja também o site histórico do núcleo José Reis:www.abradic.com/njr

VEJA NOVO STOA DE GLÓRIA KREINZ-  http://stoa.usp.br/gloriak/weblog

Marcelo Roque
Homenagem a Crodowaldo Pavan e José Reis


O BELO

José Reis já sabia,
e também Pavan,
que bela, sempre foi a flor
antes mesmo do olhar
e do amor...

"Homenagem a estes dois grandes cientistas,
José Reis e Crodowaldo Pavan, que sempre
perceberam a intrínseca relação existente
entre a beleza, a ciência e a natureza"

Marcelo Roque

Este post é Domínio Público.

Postado por ON | 0 comentário

Setembro 18, 2010

default user icon

Agosto 23, 2010

default user icon

Junho 30, 2010

default user icon

Junho 01, 2010

default user icon

Maio 15, 2010

default user icon
Postado por ON

"Neander"

Talvez ainda estejas comigo
Talvez, sejamos o mesmo
Que sabe também não são teus os meus sonhos,
e esta solidão, onde faço minha morada ?
Quem sabe ?
Quem poderá saber ?


Através de analises feitas em ossos do homem de neandertal,
encontrados da Croácia, e datados em cerca de 50 mil anos atrás,
cientistas perceberam que uma parcela da população mundial atual
- principalmente da Ásia e Europa - possui algumas características genéticas, identicas a esta espécie humana extinta
Sugerindo assim que, a milhares de anos atrás, aconteceu o cruzamento entre o Homo Sapiens com o Homo Neandertal

Marcelo Roque

Este post é Domínio Público.

Postado por ON | 0 comentário

Maio 02, 2010

default user icon
Postado por ON

Admirável Mundo Novo
Sejam as máquinas visíveis ou invisíveis
é o meu sangue quente
que corre entre suas juntas frias
Alimentando-as com a vida, até então,
restrita as fibras de minha carne
Reinventando assim o meu corpo
e expandindo minh'alma,
para além das fronteiras do meu peito
Marcelo Roque

VEJA TAMBÉM BOLETINS DO NACE-NJR/ECA/USP

http://www.eca.usp.br/nucleos/njr/catedra/

http://www.eca.usp.br/nucleos/njr/proscientiae/
http://www.eca.usp.br/nucleos/njr/clipeciencia/

ATUALIZADOS

Este post é Domínio Público.

Postado por ON | 0 comentário

Abril 13, 2010

default user icon
Postado por ON


 
 
 
 
Farol
 
Tu és de minh'alma, o paraiso;
constelação de versos em meu peito
És o rubor de minha carne,
febre esta que me salva do mundo;
verso em brasa entre meus dedos
Tu és tudo, e ainda mais
Mais que o tempo,
mais que a vida,
mais que a morte
Em meio as mais ferozes tempestades, és tu,
esta infinita paz que sustenta meu corpo
 
Marcelo Roque

Este post é Domínio Público.

Postado por ON | 1 usuário votou. 1 voto | 1 comentário

Março 08, 2010

default user icon
Postado por ON

JORNALISMO CIENTÍFICO E DIVULGAÇÃO CIENTÍFICA

http://cropavan.blogspot.com/

http://pt.wikipedia.org/wiki/Gl%C3%B3ria_Kreinz

CANAL DE VÍDEO http://www.youtube.com/user/nucleojreis

 


A

 

HOMENAGEM AO DIA INTERNACIONAL DA MULHER- MARCELO ROQUE


Revolução das Rosas

Sei que ainda há de estourar a revolução;
A gloriosa mãe de todas as revoluções
Desde sempre gerada no ventre da própria terra
E que irá conduzir toda a gente à luz
da mais próxima condição humana já alcançada




Neste 8 de março, dia internacional da mulher, vale lembrar
que ainda vivemos em um mundo regido pelo pensamento
masculino. Portanto, um equilibrio de forças se faz necessário
E este levante feminino é imprescindível para uma maior
humanização de ambos os sexos

Marcelo Roque

Este post é Domínio Público.

Postado por ON | 0 comentário

Janeiro 20, 2010

default user icon
Postado por ON


É ISSO...JUNTOS DRA ZILDA ARNS...COM MUITO AMOR...

http://gloriakreinz.blogspot.com/

COMO ENVELHECEM OS HOMENS
Ele era um homem novo, mas,
de tanto caminhar sobre velhas ruas,
velho,
tornou-se também


Marcelo Roque



"Deixo aqui minha homenagem
a dois homens que nunca envelheceram;
Crodowaldo Pavan e José Reis, afinal,
ousaram caminhar sobre novas ruas"

Este post é Domínio Público.

Postado por ON | 0 comentário

Novembro 01, 2009

default user icon
Postado por ON

ESTE POEMA ESTÁ NA PÁGINA 219 DO LIVRO "OLHARES"-COLEÇÃO DIVULGAÇÃO CIENTÍFICA, N.12.NJR/ECA/USP.

veja também MENINOS DE PEDRA:vídeo e poesia se Marcelo Roque

http://www.eca.usp.br/nucleos/njr/catedra/


[clique na fotoa para ampliar]

JEAN BAUDRILLARD E GLÓRIA KREINZ NA FOTO ACIMA

BLOGOSFERA, DIVULGAÇÃO CIENTÍFICA E UM TOQUE SUTIL
Glória Kreinz

Divulgação Científica no Século XXI:
Poeta do Orkut - Marcelo Roque - A flor

Grandes cientistas do videogame
Leandro Stein

Lula lá: no planalto e nas telonas
Mariana Queen Nwabasili

A útima moda não é de Paris
Danilo

Camarão poderá ajudar a desenvolver DVD's
Carlos Augusto Soares

O USO DA IMAGEM NA DIVULGAÇÃO CIENTÍFICA: Os Cientistas
João Garcia

Este post é Domínio Público.

Postado por ON | 0 comentário

Outubro 03, 2009

default user icon
Postado por ON

VEJA O VÍDEO POESIA MENINOS DE PEDRA E CONHEÇA MAIS NOSSA DIVULGAÇÃO CIENTÍFICA:

http://blogdonjr.wordpress.com/

A Noite Estrelada( Starry Night) Vincent Van Gogh 1889

CIENTISTA

Sei, que por mais que eu a indague,
a vida nunca me dará as respostas,
apenas me mostrará os caminhos

Marcelo Roque

Este post é Domínio Público.

Postado por ON | 0 comentário

Setembro 30, 2009

default user icon
Postado por ON

COMEMORANDO A PRIMAVERA COM MARCELO ROQUE, E TEXTO SOBRE BALLET DE RAQUEL NUNES:

MULTIARTE E DANÇA...GLÓRIA KREINZ DIVULGA


Dança

Sob luzes invisíveis,
flutuam os corpos devagar;
para além do tempo,
do espaço,
e dos sonhos ...

Marcelo Roque


Dançando

Dança você,
dançamos nós,
e danço eu...
Sonhos visíveis,
pefumes e rosas,
corpos no espaço,
música de um Deus...

Glória kreinz

Breve história do ballet no Brasil
http://www.raquelballet.com.br
RAQUEL NUNES

Pode-se dizer que a história do balé no Brasil começou em 1927, com a vinda da bailarina russa Maria Oleneva para o Rio de Janeiro. Ela fundou a Escola de Danças Clássicas do Teatro Municipal, que se tornou o principal centro de formação de bailarinos no país.
Depois de Oleneva, vieram outros europeus, como o tcheco Vaslav Veltchek, que a partir de 1939 deu novo impulso ao balé no Brasil, como coreógrafo do Teatro Municipal do Rio de Janeiro e organizador da escola de bailados da prefeitura paulistana. Mais tarde participou da fundação do Ballet do IV Centenário de São Paulo e no Rio de Janeiro fundou o Conjunto Coreográfico Brasileiro. Veltchek elaborou várias coreografias baseadas no folclore brasileiro, como Uirapuru, de Villa-Lobos, e Festa da roça, com música de José Siqueira.
Outro nome importante é o de Tatiana Leskova, que a partir de 1945 atuou no Teatro Municipal do Rio de Janeiro, primeiro como bailarina e depois como mestre de balé e coreógrafa. Juntamente com Igor Schwezoff, participou em 1946 da formação do Balé da Juventude. As inovações do balé moderno foram trazidas ao Brasil em 1949 pelos Ballets des Champs-Elysées. Aqui ficou como mestre um de seus integrantes, Pierre Klimov. Eugênia Feodorova chegou ao Brasil em 1955, atuando como mestre de balé e coreógrafa do corpo de baile do Teatro Municipal. E em 1962 foi chamado para trabalhar no Rio de Janeiro o coreógrafo e maître-de-ballet William Dollar.
O balé contemporâneo desenvolveu-se com Nina Verchinina, ex-integrante do Ballet Russe du Colonel de Basil, que deu uma das mais decisivas contribuições à dança brasileira, com sua companhia particular. Outros nomes que sobressaíram foram os de Berta Rosanova, Sandra Diecken, David Dupré, Dennis Gray, Artur Ferreira e vários outros, como bailarinos ou como coreógrafos e divulgadores. Bailarinas brasileiras que se destacaram no exterior foram Márcia Haydée, Beatriz Consuelo, Ivonne Weyer e Eleonora Oliosi.
O Teatro Municipal de São Paulo possui uma grande escola, fundada em 1940 e oficializada em 1947. A Universidade Federal da Bahia, em Salvador, tem um curso de dança, agregado a sua Escola de Teatro. E são milhares os cursos independentes em todo o Brasil, sobretudo em São Paulo e no Rio Grande do Sul.
A técnica acadêmica do balé, como concebida hoje, é russa e resultou da fusão dos estilos italiano e francês. O estilo italiano desenvolveu-se acrobaticamente, caracterizando-se pelo allegro, movimentos vivos, angulosos, com certa rigidez. Os braços estendidos vigorosamente, a velocidade, a técnica, o virtuosismo são suas marcas. No estilo francês destacam-se a graça, a leveza, os movimentos arredondados, braços leves, o adagio.
Dessas duas escolas resultou uma fusão ideal no estilo russo do século XIX: a graça de uma e o virtuosismo da outra, aliados ao temperamento emotivo do povo russo. Os bailarinos russos fizeram uma síntese, tirando de cada uma o que tinha de melhor.

Entre as obras brasileiras de ballet que mais se destacaram, temos: Uirapuru, O Garatuja, O Descobrimento do Brasil, Maracatu de Chico Rei e Salamanca do Jarau.


Fonte: www.emdiv.com.br

Palavras-chave: ARTE, BALLET, DANÇA, POESIA, POETAS DESTE BLOG

Este post é Domínio Público.

Postado por ON | 0 comentário

Setembro 23, 2009

default user icon

Setembro 07, 2009

default user icon
Postado por ON

Ver imagem em tamanho grande

http://cinciaepoesia.blogspot.com/ VEJA TAMBÉM O MANIFESTO ANTROPÓFAGO

SETE DE SETEMBRO-O GRITO QUE NÃO DEMOS

                                       Não,
                          aquele grito não foi meu,
                   ele nem mesmo cabia na minha boca,
              e nem na boca de ninguém que eu conhecia
                             Era pomposo demais,
                              empostado demais,
                                dourado demais,
                              e sofrido de menos
                    Era mesmo um grito para ser dado
                            do alto de um cavalo,
                                bem escovado
                                    e selado;
                                 e não do chão,
                                    descalço
                     e com a enxada entre as mãos
                             

  Deixo aqui o meu protesto, contra a falsa independência do Brasil,
  tendo em vista que, ela foi elaborada pela elite dominante daquela
  época, que em momento algum, defendia os interesses populares,
  muito pelo contrário, dentre outras coisas, defendia a manutenção
  dos latifúndios e a continuação da escravatura em nosso país
  Por esta razão, o dia sete de setembro, deveria sim ser lembrado,
  como o dia, em que o povo não gritou às margens do Ipiranga ...
                            

Marcelo Roque


 

 

Este post é Domínio Público.

Postado por ON | 0 comentário

Agosto 27, 2009

default user icon
Postado por ON

CONVITE DE LANÇAMENTO DE LIVROS DE COMUNICAÇÃO-DIA 1 DE SETEMBRO, 18HS, ECA/USP-DEPARTAMENTO DE JORNALISMO

http://wwwecauspbrnjr.blogspot.com/

 

"SIDEREUS NUNCIUS"

                                  Bem fez Galileu,
                                que tão bem sabia,
                 que de nada valiam as luzes no infinito
                    sem os olhares para contempla-las



Físico, matemático,astrônomo e filósofo italiano, Galileu Galilei foi um
dos maiores cientistas de todos os tempos
Em 1609, exatamente 400 anos atrás, foi o primeiro a utilizar um
telescópio para fazer observações do espaço, onde conseguiu
visualizar desde crateras lunares, até mesmo, os satélites de Júpiter,
dentre outros importantes avistamentos na via-láctea
E todas estas suas revolucionárias observações foram depois publicadas em um livro chamado "Sidereus Nuncius" ( Mensageiro das Estrelas)

     
                       
Marcelo Roque

Este post é Domínio Público.

Postado por ON | 0 comentário

Agosto 23, 2009

default user icon
Postado por ON

DIVULGAÇÃO CIENTÍFICA:OLHARES -V.12 DA COLEÇÃO DIVULGAÇÃO CIENTÍFICA DO NJR:http://wwwecauspbrnjr.blogspot.com/

UM CERTO JOSÉ ...

              Peço aqui, licença poética ao grande Drummond,
              pois, também quero indagar, um certo José ...




                                        José ...
                                   E agora, José ?
                                  A pose acabou,
                                   o tom apagou,
                                   o voto sumiu,
                                 a cadeira esfriou,
                                   e agora, José ?
                                   E agora, você ?
                             você que é sem terno,
                              que foge dos outros,
                            você que desfaz versos,
                               que cala, contesta,
                                   e agora, José ?

                                Está sem ninguém,
                                 esta sem recurso,
                                esta sem caminho,
                                já não pode correr,
                                 já não pode parar,
                                mentir já não pode,
                                 a cadeira esfriou,
                                  o gozo não veio,
                                  o clima não veio,
                                   o tipo não veio,
                                   não veio a folia,
                                   e tudo acabou,
                                     e tudo ruiu,
                                    e tudo gelou,
                                    e agora, José ?

                                    E agora, José ?
                                  sua doce falácia,
                               seu instante de plebe,
                                  sua turra e vudu
                                 sua brinquedoteca,
                                  sua fava de ouro,
                                 seu terço de vidro,
                                   sua prepotência,
                                seu dólar - e agora ?

                               Com o cetro na mão
                                quer fechar a porta,
                                  não existe cetro ;
                                 quer viver  no mar,
                                 mas o mar morreu;
                              quer ir para o Amapá,
                               Amapá não há mais,
                                    José, e agora ?

                                 Se você curvasse,
                                 se você tremesse,
                                 se você dançasse
                                  a valsa do adeus,
                                  se você sumisse,
                               se você embrenhasse,
                                  se você mudasse ...
                                mas você não muda,
                                 você é tolo,  José !

                                Sozinho e obscuro
                              qual mato-sem-bicho,
                                   sem ideologia,
                                sem bancada nua
                                 para se escorar,
                             sem tapete vermelho
                                que seja voador,
                              você marcha, José !
                                José, para onde ?



               

Estamos passando por um momento de profunda tristeza política,
onde o nosso Senado, através de seus "excelentíssimos" senadores,
vem nos proporcionando um deprimente e vexatório espetáculo
de abuso de poder, e total desrespeito à sociedade ...
Sabemos que "José Sarney", não é o grande malfeitor nesta estória;
sua saída, não seria suficiente para colocar ordem na casa, porém,
é evidente que sua permanência, se tornou moralmente insustentável
Agora, uma coisa é fato, o Senado é apenas um reflexo do que acontece na política brasileira como um todo ...
E esta postura passiva de nossa sociedade diante dos mandos e desmandos daqueles que, deveriam nos representar, sem dúvida, é
a pilastra que sustenta toda esta "politicagem" no mais fiel estilo
coronelista dos velhos tempos ...
Que o nosso povo não têm um histórico de participação em relação aos
assuntos políticos de nosso país, já sabemos; Que fomos doutrinados,
desde os tempos do Império, a dar viva ao rei,(seja ele quem fosse) e
colocar em suas mãos, o destino de nossa terra, nossos filhos e nossos
sonhos; também já sabemos; e é justamente por saber disto tudo, que
devemos dar um basta ! Um basta a este "paternalismo" que nos
mantêm aprisionados à um regime praticamente feudal ... Onde mesmo sem percebermos, acabamos dando "vivas" a tantos "Josés", Renans, Collors, e ACMS da vida !
E diante disto tudo, eu volto a perguntar :
E agora, você ?


 
 
   
                                 
Marcelo Roque

Este post é Domínio Público.

Postado por ON | 0 comentário

Agosto 10, 2009

default user icon
Postado por ON

OS FILHOS DE HIROSHIMA

                           Ainda contam os seus mortos,
                                 Hiroshima e Nagasaki
                     Contam aqueles que seriam os filhos,
                                        dos filhos,
                                        dos filhos ...
                     Contam os mortos que nem nasceram
                          E lamentam, os risos calados,
                                os olhares perdidos,
                             e as dores não sentidas ...
                 Lamentam, este estranho vazio nas ruas;
                                       e choram,
                     por aqueles que nem puderam choram,
                                 nem puderam fugir,
                              e nem souberam morrer ...
                                        Choram,
                            e contam os seus mortos;
                               e também choramos,
                                    e contamos,
                                     todos nós;
                        aqueles que seriam os filhos,
                                     dos filhos,
                                     dos filhos ...





 

  Em 6 de agosto de 1945, pela primeira vez na história, uma
  arma nuclear foi utilizada em combate, destruindo a cidade
  de Hiroshima
  No dia 9 deste mesmo mês, foi a vez de outra cidade japonesa,
  Nagasaki
  A devastação em ambas as cidades foi tão grande, que até hoje,
  não se sabe ao certo o número total de mortos. E milhares de
  sobreviventes foram permanentemente afetados pelos terríveis
  efeitos da radiação. Muitos, morreram anos mais tarde, vítimas
  de doenças causadas por esta exposição radioativa
  O fato, é que este triste episódio, ceifou a vida de pessoas
  inocentes; homens, mulheres e crianças; que levavam uma vida
  absolutamente normal; em seus trabalhos, lares, escolas;
  E Hiroshima e Nagasaki, bem poderiam ser, as cidades em que
  vivemos com os nossos filhos, irmãos e amigos
  E quando tomamos consciência desta proximidade de realidades,
  percebemos então, o quanto, de certa forma, fomos também
  atingidos por estas bombas. Poderíamos ter sido as vítimas
  diretas destes ataques; só não fomos, por conta das circunstâncias,
  apenas isso, e nada mais ...
  E é importante lembrar, que a morte de todo e qualquer indivíduo,
  é também a morte de toda a sua descendência; Como digo neste
  poema: "a morte dos filhos / dos filhos / dos filhos" ...
  E sendo assim, continuaremos para sempre, contando os mortos de
  Hiroshima e Nagasaki ...
 
 
 
Marcelo Roque

Este post é Domínio Público.

Postado por ON | 0 comentário

Agosto 01, 2009

default user icon
Postado por ON

O POETA E DIVULGADOR CIENTÍFICO MARCELO ROQUE UNE CIÊNCIA E LITERATURA NA POESIA "COSMOS" (texto logo abaixo do curso) 

O texto de Marcelo Roque mostra como dizia José Reis que "a ciência é profundamente estética."

www.eca.usp.br/nucleos/njr/curso

NJR/ECA/USP-F3091-4021/9185-8655...

CURSO DE DIVULGAÇÃO CIENTÍFICA-NJR/ECA/USP

Faça sua inscrição no Curso de Divulgação Científica do NJR!

INÍCIO DAS AULAS EM AGOSTO-20009

Inscrições abertas para o segundo semestre de 2009
 
ÚNICO COM APOIO DA CÁTEDRA UNESCO NJR/ USP-ABRADIC
 

COSMOS

                                  Assim, como muitos,
                            eu pensava que as estrelas,
                               não soubessem de mim
                         E que ao lado dos outros astros,
                                       só existiam,
                        para dar sentido ao desconhecido
                                   Foi quando Carl,
                           nos contou sobre o universo
                                        e suas leis
                                 Estas mesmas leis
                  que regem desde o mais frio e longínquo
                                    corpo celeste,
                              até a mais viva e úmida,
                                     flor do jardim
                       E assim então, ele nos apresentou,
                                     a nós mesmos;
                                     e nos revelou,
                                     principalmente,
                                      que o infinito,
                              também começa por nós ...






         "Carl Edward Sagan (1934-1996), biólogo e astrônomo
          Foi um dos maiores cientistas do século XX. Na NASA,
          chefiou importantes projetos, como o das sondas Viking
          e Mariner, pioneiras na exploração do sistema solar
          Trabalhou com os astronautas da missão Apollo, antes
          de suas viagens à Lua
          Escreveu vários livros de sucesso, dentre eles, "Cosmos",
          que através de uma linguagem simples e objetiva, conseguiu
          despertar em um público leigo, o interesse pela ciência
          Seus feitos como cientista, foram muitos, e relevantes,
          porém, talvez a sua maior contribuição para a ciência, foi
          o fato de tê-la popularizado, de um modo, até então, inédito
          Por este fato, ele é considerado por muitos, como o maior
          divulgador científico de todos os tempos"
Marcelo Roque

Este post é Domínio Público.

Postado por ON | 0 comentário

<< Anterior