Stoa :: macassis :: Blog :: A Odisséia da atribuição de aulas nas escolas públicas de São Paulo

fevereiro 11, 2010

default user icon
Postado por macassis

Na verdade, me refiro ao grande mistério que é o funcionamento da atribuição de aulas na Diretoria de Ensino Centro-Oeste. É possível que a mesma confusão tenha ocorrido em todas as outras, mas como só estive na Centro-Oeste, não posso falar das outras.

Não sei se você que está lendo isso já participou de alguma atribuição de aulas alguma vez na vida. Trata-se de uma experiência única, que você pode ter uma boa idéia de como funcionava lendo este post aqui. Ou pelo menos "saber como era antes" já que agora  temos o "processo seletivo simplificado" que DEVERIA deixar as coisas mais simples. Infelimente, o efeito foi justamente o contrário...

Os professores efetivos da rede publica participaram da atribuição na semana passada. Aos temporarios ("OFAS" como são chamados) experientes e novatos aprovados no processo seletivo (como eu) a atribuição se deu nos dias 08 e 09 de fevereiro. Assim, na segunda-feira as 9:00 da manhã teve início a odisséia...

Em primeiro lugar, é necessário que você saiba que os professores temporarios se dividem em categorias: há os experientes que já possuem algum tipo de vinculo com o Estado (categoria "F")  e os novatos no sistema público (categoria "L", em que me incluo). Graças as manobras realizadas pela APEOESP (que transformaram a prova eliminatória em classificatória) houve também duas listas de colocação: uma para os que conseguiram obter 40 ou mais pontos na prova seletiva (aprovados) e outra para os que obtiveram pontuação inferior a 50% da prova (reprovados, portanto). 

Bem, a ordem da atribuição para os OFAS seria a seguinte, na ordem:

1-Formados com licenciatura plena

2-Formados com licenciatura curta (nem quero saber o que é isso...)

3-Alunos de ultimo ano de licenciatura plena

4- Bachareis e Tecnologos

5- alunos que tenham concluido + de 50% de seus cursos.

Sempre a lista da Categoria "F" sendo chamada antes da "L", em todas as situações. Parece bem organizado, mas não se iluda! A confusão começa na hora de chamar os nomes, contando-se apenas com a força pura do gogó até alguém aparecer (já as 10 da manhã) com um microfone e um amplificador, posicionados em frente a porta de entrada (de forma que quem estivesse distante mal conseguia entender o que se dizia).

Depois, a demora: todas as áreas (ciências humanas, da natureza, linguagens & códigos, etc ) eram chamadas de 10 em 10 pessoas, na mesma porta e sem a menor pressa. 

Para ajudar, a própria diretoria de ensino parecia não saber ao certo qual a ordem das listas a ser atendida: na área de artes, assim que a lista de aprovados da categoria F com licenciatura plena acabou, quiseram chamar a lista dos "F" com licenciatura curta - o que gerou vários protestos, pois o correto seria chamarem os "L" com licenciatura plena e depois os "F"curta...

A demora era tanta que alguns professores ansiosos passaram a se dependurar nas grades das janelas das classes para conseguir ver se ainda haviam aulas disponíveis nos paineis dentro das classes.

Ainda assim, resisti bravamente. A tarde rendeu ótimos papos com uma professora mãe de 4 filhos (de 5 pais diferentes, como fez questão de enfatizar) que achava que a segunda guerra mundial ocorreu há 150 anos atrás. E uma recém-mamãe que estava mal colocada na lista de classificação, com muita vontade de dar aulas  pela primeira vez.

Infelizmente, ao ser finalmente chamada, a recém-mamãe deu de cara com uma lousa vazia - todas as aulas de biologia e ciências estavam esgotadas. Uma pena.

Palavras-chave: atribuição, Broncas, diretoria ensino centro oeste, OFA, professor temporario

© 2019 Todos os direitos reservados

Postado por macassis | 1 usuário votou. 1 voto

Comentários

  1. Luciana Passos da Silva escreveu:

    Você esqueceu de dizer se conseguiu aulas, e onde...

    Estou acompanhando atentamente sua odisséia porque acabei de me formar em física, e estou pensando em entrar nessa brincadeira......

    Luciana Passos da SilvaLuciana Passos da Silva ‒ quinta, 11 fevereiro 2010, 07:54 -02 # Link |

  2. Francisco escreveu:

    Consegui sim, Luciana! Precisei de 4 escolas para poder ter a tal da "carga horaria completa", mas são todas bem próximas ao campus da USP - a mais distante fica a 15 minutos de passeio de bicicleta...

    macassisFrancisco ‒ quinta, 18 fevereiro 2010, 22:16 -02 # Link |

  3. escreveu:

    A Odisséia neste insólito espaço começa agora em 2.011 com novas palhaçadas' e os palhaços já mais envelhecidos e cada vez mais atormentados por um clientela seleta "dos piores dos piores".... e o salário.... oh lá embaixo! Tendo ainda que se enfrentar a rabujices de Diretoras (es)  e Coordenadores (é bom frisar!) mais despreparados que certos professores, além de câmeras indiscretas que tiram (ou policiam) a atividade dos professor dentro de sala de aula. Não bastasse a Proposta Curricular inaplicável (moldes de Países Europeus para a Irrealidade Brasileira) fruto da imaginação de algum megalomaníaco do Governo do Estado feita mais para tumultuar do que funcionar. Palmas a incompetência do Governo Tucano, pois ela está aí.... votaram neles de novo!! Enfim, a Odisséia está aí.... começamos então com atribuição e 'GREVE" NOVAMENTE, como diz o mineiro: Uai!!!    

    default user icon ‒ segunda, 10 janeiro 2011, 13:07 -02 # Link |

Você deve entrar no sistema para escrever um comentário.

Termo de Responsabilidade

Todo o conteúdo desta página é de inteira responsabilidade do usuário. O Stoa, assim como a Universidade de São Paulo, não necessariamente corroboram as opiniões aqui contidas.