Stoa :: Ewout ter Haar :: Blog :: A intensidade das nossas conexões na Web

março 15, 2010

default user icon
Postado por Ewout ter Haar

Redes sociais na Web são objetos interessantes de estudo, na interface entre sociologia e ciência de computação. A primeira coisa que vem à mente é estudar as propriedades estruturais: quem está ligado com quem? Veja um exemplo do crescimento do Stoa, por exemplo

Mas é claro que na realidade as ligações entre pessoas não sáo binários, sim ou não. Algumas ligações são mais fracas do que outros. Granovetter ("The Strength of Weak Ties", American Journal of Sociology, Vol. 78, Issue 6, May 1973, pp. 1360-1380.) foi um dos primeiros de conceituar ligações fracos e fortes entre pessoas (mostrando que para achar um novo emprego era importante ter conexões sociais "fracas" porque via estas conexões é possível  achar oportunidades mais diversas.)

Embaixo incorporei uma palestra interessante de Karrie Karahalios que relatou os resultados de trabalho que fez com Erich Gilbert quantificando o grau de intensidade das conexões entre pessoas no Facebook. Na apresentação e no paper é mostrado como um modelo simples, usando dados como número de palavras trocados em mensagens, distância geográfica, número de vezes que aparece em fotos, número de contatos mútuos, etc. etc. pode prever com quase 90% de precisão a intensidade da conexão (como relatado numa entrevista feito em laboratório). 

Não está no paper (que é do início de 2009),  mas fizeram algo muito mais interessante: tendo o modelo em mãos, transferiram o para Twitter e aplicaram nos contatos lá. O resultado é We Meddle, um serviço que tente agrupar os seus contatos no Twitter baseado na suposta intensidade da conexão. 

E funciona até razoavelmente bem! Primeiro, o programa agrupa os seus contatos em grupos: 

(pode fazer ajustes manuais). Mas o interessante mesmo é o cliente de Twitter que fizeram. Este cliente mostre os Tweets dos seus contatos maior ou menos baseado na intensidade da conexão: pode mostrar sobretudo Tweets das suas conexões mais próximos, por exemplo. 

É claro que é só um começo, mas achei muito interessante a ideia de um cliente Twitter (ou outra plataforma de streaming) que faz mais do que simplesmente mostrar tudo em ordem de chegada. De fato, há um monte de coisas legais que pode ser feito com as informações agora disponível da Web Social.

Fique com a apresentação, vale a pena.

Palavras-chave: conexões, web, web social

Esta mensagem está sob a licença CreativeCommons Atribuição.

Postado por Ewout ter Haar | 1 usuário votou. 1 voto

Você deve entrar no sistema para escrever um comentário.

Termo de Responsabilidade

Todo o conteúdo desta página é de inteira responsabilidade do usuário. O Stoa, assim como a Universidade de São Paulo, não necessariamente corroboram as opiniões aqui contidas.