Stoa :: Helder Gonzales :: Blog :: O Caminho dos Sonhos

maio 25, 2010

default user icon
Postado por Helder Gonzales

"Sou o intervalo entre o meu desejo e aquilo que os desejos dos outros fizeram de mim" Álvaro de Campos

Há 8 anos ainda não havia começado Lost. A grande estrela fora da seleção para a Copa era Romário. A banda do momento era o The Calling. O carro imbatível da Fórmula 1 era a Ferrari, e o piloto favorito, Schumacher.  Os celulares bacanas tinham display colorido,  só. Não havia Gmail, nem Twitter, nem Facebook. O presidente do Brasil era FHC, nos EUA era Bush. O candidato da continuidade era Serra, o da oposição, Lula. Eu morava em Minas Gerais, com meus pais. Tinha 16 anos, estava no colegial.

Naquele tempo, eu tinha excelentes amigos, uma banda de rock e uma namorada. O que mais um garoto de 16 anos poderia querer? Mas eu tinha mais do que isso. Tinha sonhos incríveis e deliciosos. Meu futuro estava integralmente por ser escrito. Eu sabia que, muito em breve, se encerraria uma fase relativamente previsível e bastante segura da vida. Enquanto você está na escola basta ir passando de ano, não há grandes escolhas, nem grandes consequências.

Eu me lembro de que, naquele tempo, eu voltava a pé do colégio – vantagens de se morar em uma cidade pequena – conversando com um grande amigo que morava no mesmo bairro e era um dos companheiros de banda de rock. Falávamos sobre os infinitos caminhos do futuro, viajávamos na maionese e no tempo. Como era divertido imaginar a vida que teríamos hoje! De certa forma, tenho saudades daqueles dias e daquele garoto sonhador e – por que não dizer? – ingênuo e inconsequente.

Ocorre que o tempo nos vai exigindo amadurecimento e escolhas. A maioria dos sonhos tem de ser progressivamente descartada em favor de um caminho único, que será, finalmente, uma estrada contínua. Claro que a continuidade só pode ser vislumbrada de trás pra frente. Mas quero chamar atenção para o fato de que, ao lado, pelo caminho, vão ficando os nossos sonhos descartados. Alguns por escolha própria, outros por preguiça, outros por conveniência, e tantos pelos desejos dos outros, que moldam o limite das nossas decisões.

Pois, essa semana, conversando justamente com aquele amigo do colégio, concluí que esse blog é, de alguma forma, uma tentativa de me reconectar com aquele garoto de 16 anos, que vivia no esplendor da multitude de seus futuros possíveis. O Metalinguista é ele, não sou eu.

Nesse espaço tento acalentar meus sonhos abandonados. Falo do que gosto, do que me ecanta, dos caminhos que não segui. Não tenho um tema, tenho muitos temas. Trato de música (meu primeiro amor), de política, de religião, de ciência, de linguagem. De coisas que eu queria ter sido, mas não sou. De coisas cotidianas que me chamam a atenção. Dou vazão a esporádicos lampejos sobre qualquer assunto. Talvez na esperança de ele, o Metalinguista,  me convencer de que nunca é tarde.

O leitor frequente desse espaço –  se é que há algum –  terá notado um esforço, no último mês, para intensificar as postagens e para relançar o blog. Sei que é dificil esperar público em um espaço intimista, sem compromisso com tema ou com periodicidade de atualizações. Mesmo assim, refaço o convite. Um convite um pouco envergonhado, de alguém que é muito crítico para gostar das coisas que escreve. Mas, ainda assim, um convite – para visitar sonhos, inquietudes, coisas que ressoam em minh’alma. Na esperança de que alguém se indentifique e venha nos fazer companhia nessa caminhada, pelas ruas de Minas, de volta pra casa, jogando conversa fora, com a certeza de que o futuro dos sonhos é mais do que possível.

© 2017 Todos os direitos reservados

Postado por Helder Gonzales

Links para este post

  1. Aprendendo a Viver (Helder Gonzales)

Comentários

  1. escreveu:

    Oi Herdi! Só pra dizer que eu li e gostei! Adoro blogs...

     

    Bjos,

     

    Flávia

    default user icon ‒ quarta, 26 maio 2010, 21:54 BRT # Link |

  2. Anônimo escreveu:

    ótimo

    default user iconAnônimo ‒ quarta, 26 maio 2010, 22:28 BRT # Link |

  3. Stella escreveu:

    Acho ótimo que os seus sonhos latentes (e não necessariamente abandonados pelo caminho) continuem te inspirando e te estimulando a escrever tantas coisas interessantes pra nós, leitores assíduos do seu blog. ;)

    Na verdade, às vezes é preciso mudar de sonhos ou de planos pra poder concretizar o sonho maior. Mas aí não é que vc abandonou o primeiro, vc simplesmente transformou-o em algo melhor ou mais adequado pra vc.

    Enquanto você existir, sempre dá tempo de voltar atrás ou começar algo novo. Nunca é tarde.

    Beijos.

    default user iconStella ‒ quinta, 27 maio 2010, 14:16 BRT # Link |

  4. paulo_in_ escreveu:

    Ótimo texto! Que nostalgia!

    Sou de outro interior, e parece que aconteceu o mesmo comigo.

    Um abraço,


    Paulo.

    default user iconpaulo_in_ ‒ sexta, 23 novembro 2012, 16:50 BRST # Link |

Você deve entrar no sistema para escrever um comentário.

Termo de Responsabilidade

Todo o conteúdo desta página é de inteira responsabilidade do usuário. O Stoa, assim como a Universidade de São Paulo, não necessariamente corroboram as opiniões aqui contidas.