Stoa :: Ciência e Cultura (Licenciatura do IFUSP) :: Blog :: Museu a céu aberto

setembro 25, 2011

user icon

Arte em Sampa, Barden em Barcelona

Preciosidades perdidas em meio à cinzenta São Paulo, os punks no CCBB, um labrador que virou romance, o suingue da banda Tono e o angustiado Javier Barden em "Biutiful"

Por: Xandra Stefanel - xandra@revistadobrasil.net

Publicado em 15/09/2011

 
Arte em  Sampa, Barden em Barcelona

Galeria do Rock, de Alfredo Matias (foto: © Arte Fora do Museu/Divulgação)

A cidade é um museu

Quem anda preocupado, atrasado ou distraído pelas ruas da capital paulista não percebe a existência de obras de arte expostas a céu aberto. Por isso os jornalistas André Deak e Felipe Lavignatti se juntaram para fazer um mapeamento – ou georreferenciamento, como chamam – dessas peças pela cidade. Inscreveram a ideia em um edital da Fundação Nacional de Arte, o Bolsa Funarte de Reflexão Crítica e Produção Cultural para a Internet, levaram o primeiro lugar e receberam R$ 30 mil para produzir, em seis meses, esse roteiro artístico nos espaços públicos.

O site Arte Fora do Museu entrou no ar em julho com o mapeamento de 100 obras, entre pinturas, esculturas, construções arquitetônicas e grafites, muitas vezes camuflados pela paisagem urbana. Nessa primeira etapa, os organizadores do projeto selecionaram as obras de acordo com a relevância apontada por especialistas da área e pela localização, necessariamente próximas do centro expandido e com acesso fácil e gratuito a pedestres.

O endereço eletrônico funciona como uma visita guiada nesse gigantesco museu, já que cada obra vem acompanhada de foto e vídeo com sinopse e comentários de especialistas. E o melhor: pode ser acionado pelo celular. Segundo André Deak, o site capta a localização da pessoa e apresenta as obras mais próximas. O aplicativo para iPhone será lançado agora em setembro e também há perspectiva de desenvolvimento em plataforma Android (que depende de incentivo ou patrocínio).

Deak afirma que, apesar de recente, o projeto já mostra resultados. “Percebemos um movimento de pessoas que passaram a prestar mais atenção na cidade, que não viam o quanto ela é bonita.” Em contrapartida, segundo ele, notaram que muitas obras estão degradadas. “Por isso, já estamos pensado em desdobrar a ideia para ser um projeto também de preservação e educação. Por que não fazer visitas guiadas com escolas públicas? Por que pensar apenas em museus se a cidade em si já é um museu?”, sugere. Visitas gratuitas a qualquer hora do dia emwww.arteforadomuseu.com.br.

Palavras-chave: arte urbana, museus

Este post é Domínio Público.

Postado por Elisabeth Andreoli de Oliveira em Ciência e Cultura (Licenciatura do IFUSP)

Você deve entrar no sistema para escrever um comentário.

Termo de Responsabilidade

Todo o conteúdo desta página é de inteira responsabilidade do usuário. O Stoa, assim como a Universidade de São Paulo, não necessariamente corroboram as opiniões aqui contidas.