Stoa :: Ana A. S. Cesar :: Blog :: VEJA DIFERENÇA ENTRE PLÁGIO, PARÁFRASE E PARÓDIA

junho 17, 2009

default user icon
Postado por Ana A. S. Cesar

Uma das mais conhecidas maneiras de reelaborar um texto é o plágio, caracterizado pela apropriação ou imitação ilícita de um texto alheio. Outras formas de reescrever um texto, como a paráfrase e a paródia, não são consideradas ilícitas.

A nova “Gramática Houaiss da Língua Portuguesa” (Publifolha 2009) explica a diferença entre o plágio, a paráfrase, a paródia e outras formas conhecidas de reelaboração de texto.

Leia abaixo breve trecho do livro que define as formas mais conhecidas de reelaboração de texto.

*****

4.5.6.4.2  Reelaboração - A reelaboração consiste em produzir um texto (texto meta) derivado de outro (texto fonte). A relação entre os dois é geralmente de todo e todo. Entre os modos de reelaborar um texto, cinco são bem conhecidos, como segue.

  • 4.5.6.4.2.1 Paráfrase - A paráfrase consiste em refazer um texto fonte em função de seu conteúdo. É uma categoria que abrange resumos, condensações, atas, adaptações relatórios.
  • 4.5.6.4.2.2 Tradução - Tradução é uma variedade de reescrita de um texto, em que o texto meta é reelaborado em uma língua diferente daquela em que foi produzido o texto fonte. Tradução e paráfrase mesclam-se no gênero 'tradução adaptada', comum quando se trata de traduzir obras literárias muito extensas para o público infantil ou infanto-juvenil.
  • 4.5.6.4.2.3 Paródia - A paródia é a recriação de viés crítico, com intenção cômica ou satírica. Na paródia, o texto fonte não é apenas o ponto de partida. Ele permanece entrevisto no espaço do texto recriado, sem o que se perde o efeito de sentido da paródia.
  • 4.5.6.4.2.4 Plágio - O plágio consiste na apropriação ou imitação, essencialmente ilícita, de texto alheio. Pode ser parcial ou total, distinguindo-se da paráfrase e da paródia por ocultar seu processo de criação. A facilidade, criada pela internet, do acesso a textos alheios aumentou consideravelmente a prática do plágio nos meios acadêmicos.
  • 4.5.6.4.2.5  Retificação - A retificação consiste no ato discursivo pelo qual o enunciador corrige ou modifica uma palavra, uma construção, uma formulação com o propósito de tornar a expressão mais precisa ou mais adequada. O alvo da retificação é normalmente um fragmento de texto, e pode ser extraído de um discurso alheio ou do discurso em processo do próprio enunciador, como nesta passagem de Nelson Rodrigues:

"(O pintor) punha no colarinho uma gravata feérica ou, melhor dizendo, uma gravata que era um repolho multicolorido." [RODRIGUES, 1993: 225]

 


“Gramática Houaiss da Língua Portuguesa”
Autor: José Carlos de Azeredo
Editora: Publifolha

 

Já redigida de acordo com a nova ortografia, a nova “Gramática Houaiss da Língua Portuguesa” explica o funcionamento das regras do português de maneira clara e oferece ferramentas para interpretação e redação de texto.

O autor é José Carlos de Azeredo, doutor em letras pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e professor adjunto do Instituto de Letras da UERJ. Azeredo é autor também de “Escrevendo pelo Nova Ortografia” (Publifolha, 2008).

 

fonte: Folha online 28/03/2009.

foto: Arquivos de Ilustração 

   

Palavras-chave: Paródia, Plágio

Postado por Ana A. S. Cesar

Você deve entrar no sistema para escrever um comentário.

Termo de Responsabilidade

Todo o conteúdo desta página é de inteira responsabilidade do usuário. O Stoa, assim como a Universidade de São Paulo, não necessariamente corroboram as opiniões aqui contidas.