Stoa :: Alexandre Hannud Abdo :: Blog :: Wikipédia: eliminadores, aperfeiçoadores e o ponto de equilíbrio

janeiro 22, 2010

default user icon

Ni!

Uma reflexão sobre as dificuldades que as pessoas, especialmente novatos, encontram com o "delecionismo" na Wikipédia.

Este artigo não diz respeito à oposição entre delecionismo e inclusionismo, mas aborda a questão posterior, mas mais consequente, do que ocorre com o novo artigo ou contribuição após este ser corretamente avaliado inadequado por um contribuidor experiente.

Ou seja, o caso frequente de um artigo ser deletado de forma justa, mas com o sabor amargo de "poderia ter sido consertado ao invés de deletado".

Há muitos artigos deletados cujas fontes poderiam ser facilmente encontradas, cujo tom propagandista poderia ser facilmente neutralizado ou que, apesar de pouco relevantes, poderiam ser aproveitados como um parágrafo em outro verbete.

É frustrante quando essas eliminações acontecem, porque frequentemente o autor era bem intencionado e poderia, se bem encaminhado, tornar-se um contribuidor mais frequente no futuro. E sabemos o quanto precisamos de mais contribuidores frequentes.

 

A questão, assim, é por que não conseguimos ser mais acolhedores?

 

A resposta aparece ao considerar a Wikipédia no contexto educacional e econômico da sociedade em que é produzida: há mais pessoas que gostam de eliminar do que consertar por duas razões: requer menos capacidade e dá menos trabalho. E essas razões são destacadamente críticas em nossa sociedade, onde a maioria das pessoas tem pouca educação e trabalha demais.

Seria, evidentemente, ótimo se pudéssemos prescindir desses eliminadores (chamem como quiser) e permitir ação apenas aos aprimoradores, mas a realidade é que mesmo com ambos já é difícil manter a coerência do projeto.

Se a atitude eliminadora fosse proibída, haveria um grande risco, senão certeza, do projeto desmontar antes que aparecessem suficientes aperfeiçoadores para tomar o lugar.

E por mais que existam por aí suficientes potenciais aprimoradores, essa proporção estabeleceu-se inicialmente assim por natureza do crescimento espontâneo do projeto.

Aperfeiçoadores são raros e leva tempo a encontrá-los. Porque a vocação necessária para ser um aperfeiçoador é muito maior e requer muito mais tempo dedicado ao projeto.

A equação é simples: {muita capacidade} * {muito tempo} = {poucas pessoas}

Portanto antes de poder se dispensar os eliminadores precisa se aumentar o número de aperfeiçoadores.

Reclamar dos eliminadores achando que com isso se os converterá em aperfeiçoadores não funciona, porque na produção social cada um faz aquilo que gosta, pode e tem competência para fazer.

E já vimos que essa combinação, para aperfeiçoadores, será sempre difícil de obter. Claro, que não se perca a esperança de mudar os indivíduos, mas também não se acabe a combater moinhos.

Mas conseguindo crescer o número de aperfeiçoadores, quando houverem suficientes deles os eliminadores vão simplesmente ficar sem o que fazer, e vão achar outra tarefa.

Alguns eliminadores vão até converter-se aperfeiçoadores, mas a maioria é provável que busque atividades mais independentes.

O que precisamos entender é que, dado o atual equilíbrio, se ganha muito pouco criticando eliminadores.

O necessário é dar estímulos e oportunidades para aperfeiçoadores, e esperar, lentamente, que eles surjam.

E ainda que a atividade dos eliminadores retarde esse surgimento, no presente momento não muda nada criticá-los.

Tanto que o melhor caminho para superar essa situação pode nem reconhecer tal dicotomia. Não há como prefer se um novo contribuidor será uma coisa ou outra. Até que haja suficientes aprimoradores, há apenas de se buscar receber os novatos já evitando que problemas e frustrações surjam. E talvez isso seja o ideal em qualquer tempo.

 

Deixo aqui então uma sugestão: tornar mais direto e incentivar ostensivamente o contato de novatos com tutores.

 

Atualmente, é preciso editar sua página de usuário e aguardar, quando mesmo editar páginas de discussão é muito difícil para um novato.

Diante disso, penso que alguns tutores deveriam frequentar o canal de IRC da Wikipédia lusófona, que pode ser aberto com um click do mouse, e que um link para esse canal deveria constar destacado no cabeçalho das páginas de edição da Wikipédia.

Assim, toda pessoa editando uma página seria diretamente convidada a conversar imediatamente com um tutor. Só esse fato já evitará a grande maioria dos conflitos, além de permitir adornar outros com a observação: "mas você perguntou a um tutor como recomendava o cabeçalho da página que editou?"

Introduzir radicalmente esse elemento de diálogo melhoraria muito a experiência dos novatos, além de proporcionar uma interação mais envolvente com o projeto, com potencial de extender-se a contribuições mais duradouras à Wikipédia.

Abraços,

[[Usuário:Solstag]]

~~

Palavras-chave: análise, delecionismo, reflexão, sugestão, tutor, wikipedia

Esta mensagem está sob a licença CreativeCommons Atribuição.

Postado por Alexandre Hannud Abdo

Comentários

  1. escreveu:

    Com certeza essa é uma solução educativa, que tem sido bastante adotada no Wikieducator, onde há preocupação de formar aqueles que estão começando. É uma proposta diferente da Wikipedia, que também tem seu mérito, mas que é um canal diferente.

    Aqui está um link para um artigo americano sobre publicações na area acadêmica mas que também faz apelo à formação e acompanhamento dos novatos na área.

    The Academy’s Zeitgeist—Standards of Scientific Investigation:Exploring the Impact of Scholarly Work

    Um abc,

    Barbara Dieu

    http://barbaradieu.com
    http://beespace.net

     

    default user icon ‒ sexta, 22 janeiro 2010, 09:14 BRST # Link |

  2. escreveu:

    Excelente, Abdo!

    Precisamos construir hábitos de colaboração e não acredito que isso seja possível ao excluir pessoas dos processos.

    Sofri a frustração de um texto excluído, em vez de melhorado. E vi a frustração dos meus alunos, que depois de dias de trabalho, tiveram sua produção considerada irrelevante.

    Mas agora sinto a alegria de ver este debate, na torcida pra que dele saiam boas soluções, tentando colaborar no que puder.

    beijos,

    Bianca

    default user icon ‒ sexta, 22 janeiro 2010, 16:51 BRST # Link |

  3. escreveu:

    Alê,

    Cheguei no seu texto por acaso, gostei. Já disse que sinto falta de um blog não institucional para os textos dos integrantes dos movimentos relacionados à wikimedia? Reforço.

    Sobre o texto, concordo com suas observações sobre incorporar alguns novos hábitos e que isso terá efeito positivo, ainda mais os hábitos comunicativos.

    Apenas aponto uma outra questão que pode incrementar seus argumentos: a ausência de acesso à informação necessária para a discussão. Não me refiro ao conteúdo normativo que se encontra em caminhos nada amigáveis aos novatos - pois ele pode ser acessado -, me refiro ao conteúdo inacessível que fora eliminado. Ninguém (além dos administradores) enxerga a poeira embaixo do tapete, para o bem e para o mal. Isso gera um viés em todo o sistema comunicativo da comunidade na direção da cristalização das ações e, por conseguinte, suas justificações.

    Abraços,

    Pietro

    default user icon ‒ quarta, 17 fevereiro 2010, 17:39 BRST # Link |

Você deve entrar no sistema para escrever um comentário.

Termo de Responsabilidade

Todo o conteúdo desta página é de inteira responsabilidade do usuário. O Stoa, assim como a Universidade de São Paulo, não necessariamente corroboram as opiniões aqui contidas.